odontologia_1

CSB defende a aprovação do Projeto de Lei da odontologia trabalhista

PL nº 422/2007trata da manutenção de profissionais em odontologia do trabalho pelas empresas, o que traria maior qualidade de vida ao trabalhador

A CSB e a Federação Nacional dos Odontologistas (FNO) apoiam a aprovação do Projeto de Lei nº 422/2007, que dispõe sobre a odontologia trabalhista, obrigando as empresas, de acordo com normas a serem expedidas pelo Ministério do Trabalho, a manterem serviços especializados em segurança, em medicina e em odontologia do trabalho. O profissional será responsável por averiguar a saúde bucal dos empregados em momentos relevantes, como na admissão, demissão e na realização de consulta periódicas.  Atualmente, o projeto está parado na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara.

Segundo Joana Batista Oliveira Lopes, diretora da CSB e presidente da FNO, a inclusão da especialidade trará benefícios para as empresas e os trabalhadores, uma vez que os transtornos bucais são causas de acidentes de trabalho e ausência dos empregados, o que conduz à perda de produtividade dos trabalhadores.  A odontologia do trabalho é regulamentada pelo Conselho Federal de Odontologia  (CFO) por meio das Resoluções nº 22, de 27 de dezembro de 2001, e nº 25, de 28 de maio de 2002, e tem como objetivo a busca permanente da compatibilidade entre a atividade laboral e a preservação da saúde bucal do trabalhador.

A dentista explica que a odontologia do trabalho não faz o tratamento na empresa (assistencialismo), e sim identifica a alteração na boca, controla e orienta o trabalhador a procurar o tratamento no SUS, empresas conveniadas ou qualquer outro meio à escolha e possibilidade do cidadão. “A política de saúde em odontologia trabalhista, embora recente, destaca-se, principalmente, por que a dor de dente é uma das três maiores causas de problemas relacionados ao trabalho, perdendo apenas para a dor e cabeça e de estômago. Esse dado, por si só, já exemplifica a necessidade desses profissionais”, diz Joana.

De acordo com a presidente da FNO, os profissionais que mais sofrem com as doenças bucais  estão nas indústrias metalúrgicas, nas quais os trabalhadores estão em contato com ácidos, metais, gases e altas temperaturas. Além destes, os agricultores que sofrem exposição contínua ao sol e os trabalhadores nas indústrias de doces e de bebida alcoólica também sofrem com ação química sobre a mucosa bucal.

Para Antonio Neto, presidente da CSB, o Projeto de Lei representa um ganho no bem-estar do trabalhador. “O odontologista do trabalho tem a missão de verificar as condições do ambiente de trabalho, as substâncias químicas às quais os operários estão sendo expostos direta e indiretamente, bem como investigar o risco de intoxicações decorrentes da atividade laboral e suas manifestações na mucosa bucal dos trabalhadores. Essa é lei é um meio de proteção ao trabalhador, por isso precisa ser aprovada pelos deputados”, disse.

Compartilhe:

Leia mais
discurso lula OIT
Em discurso na OIT, Lula destaca precarização e informalidade como desafios para justiça social
Antonio Neto CSB na OIT 12-06-24
Antonio Neto na OIT: Tecnologias disruptivas podem ser oportunidade para os trabalhadores
Centrais sindicais apresentam denúncia contra governo do Paraná à OIT
Centrais denunciam governo do Paraná na OIT por repressão de greve de professores
FGTS correção inflação decisão stf
Acordo entre centrais e AGU prevalece no STF: FGTS deverá ter correção mínima pela inflação
miguel torres discurso centrais sindicais oit
Centrais pedem fim do golpismo no Brasil em discurso dos trabalhadores na OIT
Luiz Marinho discursa na OIT 2024
Na OIT, Luiz Marinho defende sindicatos e taxação de grandes fortunas
vigilantes niterói ato 13 de junho
Vigilantes de Niterói convocam ato por mais segurança para mulheres da categoria
vinicolas-no-rs-tinham-200-pessoas-em-condicoes-analogas-a-escravidao
Auditores fiscais do Trabalho repudiam fala de dirigente da CNA sobre trabalho escravo
assembleia rodoviários pelotas 10-6-2024
Rodoviários de Pelotas começam a negociar acordos em cenário após enchentes
Comitiva da CSB com ministro Luiz Marinho na Conferência da OIT 2024
Em reunião do Brasil na OIT, empresário diz que Bolsa Família atrapalha mão de obra