Com expectativa de vida maior, valor da aposentadoria cai 1,7%

Diminuição é uma média no benefício de quem se aposentar por tempo de contribuição

Redução se deve ao fator previdenciário, mecanismo usado pelo INSS para tentar adiar as aposentadorias

Com o aumento da expectativa de vida do brasileiro, divulgada ontem pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), haverá uma redução média de 1,67% no benefício do trabalhador que se aposentar por tempo de contribuição.

A expectativa de vida ao nascer passou de 74,1 anos, em 2011, para 74,6 anos, no ano passado, com acréscimo de 5 meses e 12 dias, segundo os cálculos do IBGE.

A diminuição se deve ao fator previdenciário, mecanismo utilizado pelo INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) para tentar adiar a aposentadoria dos trabalhadores mais jovens, punindo quem se aposenta mais cedo, já que esse segurado, teoricamente, vai receber o benefício por mais tempo.

O cálculo leva em conta a idade ao se aposentar, o tempo de contribuição para a Previdência Social e a expectativa de sobrevida, ou seja, quanto tempo o trabalhador deve viver a mais considerando a idade que tem agora.

A nova tabela do fator vale desde ontem até 30 de novembro de 2014.

Newton Conde, atuário especializado em previdência e diretor da Conde Consultoria, estima que, no período de idade em que se concedem aposentadorias, dos 40 aos 80 anos, a expectativa de vida dos segurados aumentou, em média, 144 dias entre 2011 e 2012, que corresponde à perda média de 1,67% no valor do benefício.

Para se aposentar por tempo de contribuição, o homem deve comprovar pelo menos 35 anos, e a mulher, 30 anos.

Já para se aposentar por idade, é necessário ter, no mínimo, 65 anos (homens) e 60 anos (mulher). Nesse caso, o uso do fator previdenciário no cálculo do valor da aposentadoria é opcional, só sendo usado, portanto, se for beneficiar o trabalhador.

Vale lembrar que o mecanismo não é usado na aposentadoria por invalidez.

PRAZO DO BENEFÍCIO

Pela tábua de mortalidade de 2011 do IBGE, a expectativa de vida de um homem de 57 anos, por exemplo, era de 23,5 anos. Na tábua em vigor atualmente passou para 23,9.

Com isso, a Previdência pagará o benefício para esse segurado até os 80,9 anos, e não mais até os 80,5 anos, o que representa um aumento de 143 dias nesse caso específico no desembolso do governo federal.

Se esse homem tiver começado a contribuir com 20 anos de idade e pedir a aposentadoria agora, ele terá um fator de 0,809, número que vai multiplicar a média dos 80% maiores salários de contribuição à Previdência Social. (veja quadro acima)

Se esse montante for de R$ 2.000, a aposentadoria será de R$ 1.617,06. Anteriormente, chegaria a R$ 1.644,58 porque o fator era um pouco maior (0,822).

Veja a tabela do fator previdenciário: folha.com/no1379521.

Fonte: Folha de S.Paulo

TATIANA RESENDE

EDITORA-ASSISTENTE DE “MERCADO”

Compartilhe:

Leia mais
Chinelo - Antonio Neto e Cosme Nogueira fundação Fesmig
CSB, Sinab e CSPM celebram criação da Fesmig - Federação dos Servidores de Minas Gerais
STF reverte reforma previdência para servidores
STF forma maioria para reverter pontos da Reforma da Previdência para servidores
Imagem CSB (28)
CSB NA 112ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO - OIT 2024
Sticmpel campanha salarial 2024-2025
Trabalhadores da Construção e Mobiliário de Pelotas iniciam campanha salarial 2024/2025
Apoio Financeiro a trabalhadores empresas calamidade RS
Governo abre cadastro para Apoio Financeiro a trabalhadores atingidos por calamidade no RS
home office trabalho híbrido estudo
Trabalho híbrido melhora satisfação no emprego e não afeta produtividade, diz estudo
reunião centrais rs e oit
Centrais e OIT discutem impacto das enchentes no mercado de trabalho do RS
plano erradicação trabalho escravo será atualizado
Plano para Erradicação do Trabalho Escravo será atualizado após 16 anos
podcast fetrarod
Fetrarod lança podcast para discutir temas de interesse dos rodoviários; assista aqui
Manifesto contra PL do estupro
Mulheres sindicalistas divulgam manifesto contra PL do Estupro (PL 1904/24)