Brasil será o sexto produtor de petróleo em 2035, aponta Graça Foster

Os estudos divulgados por Graça Foster indicam ainda que o petróleo continuará como a fonte de energia mais importante em 2035

A presidenta da Petrobras, Graça Foster, disse hoje (2) que, em 2035, o Brasil será o sexto maior produtor de petróleo do mundo, com uma participação de 6,1% na produção internacional. Ela informou que a previsão foi feita pela Agência Internacional de Energia, organismo internacional integrada por 29 países. “Interessante é que tudo isso são previsões de analistas independentes, que têm seus próprios modelos”, acrescentou a dirigente, em palestra no 4º Seminário Sobre Matriz e Segurança Energética Brasileira, promovido pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre), para analisar o modelo energético brasileiro com as perspectivas e desafios do setor.

Graça Foster informou que, em maio deste ano, na média, o pré-sal correspondeu a 22% do que foi produzido pela Petrobras no período, e alcança resultados crescentes. “No mês de abril, o Brasil produziu média de 411 mil barris/dia no pré-sal das bacias de Campos e Santos. No dia 11 de maio, bateu recorde na produção, com 470 mil barris/dia, e estamos muito próximos de fazer 500 mil barris /dia. Hoje, olhando 2010 e 2014, a produção no pré-sal cresceu dez vezes. Todos os dias temos incorporações e, algumas vezes no mês, temos feito várias interligações no pós-sal e no pré-sal, de tal forma que a gente tenha o crescimento da curva de produção”, explicou.

No acumulado até 2013, a Petrobras investiu no pré-sal US$ 20 bilhões em atividades de exploração e de produção. “Estamos em uma fase em que 52% das reservas do Brasil, considerando as reservas provadas e volumes potencialmente recuperáveis, são reservas no pré-sal. Vamos estar produzindo próximo a 4,2 milhões de barris de petróleo em 2020, grande parte no pré-sal, e, por isso, o investimento até 2018 vai acumular um investimento de US$102 bilhões. Esse investimento já está contratado e é compromisso de Petrobras”, revelou. 

Os estudos indicam ainda que o quadro da matriz energética mundial, no período de 2011 a 2030, se manterá predominantemente fóssil, em que o petróleo estará firme como a fonte de energia mais consumida. “Em termos renováveis, tem um crescimento em especial de energias solar e eólica, mas, ainda assim, vai ter predomínio de petróleo em 2030”, informou Graça Foster. A presidenta defendeu ainda a necessidade de mais investimentos em produtividade na indústria naval . Ela acrescentou que 12 refinarias estão sendo construídas no Brasil e  mais duas serão iniciadas. “Significa que teremos petróleo para atender à nossa demanda e ainda certamente o Brasil se tornará um exportador de petróleo”, completou.

Fonte: Agência Brasil

Compartilhe:

Leia mais
Apoio Financeiro a trabalhadores empresas calamidade RS
Governo abre cadastro para Apoio Financeiro a trabalhadores atingidos por calamidade no RS
reunião centrais rs e oit
Centrais e OIT discutem impacto das enchentes no mercado de trabalho do RS
plano erradicação trabalho escravo será atualizado
Plano Nacional para Erradicação do Trabalho Escravo será atualizado após 16 anos
podcast fetrarod
Fetrarod lança podcast para discutir temas de interesse dos rodoviários; assista aqui
Manifesto contra PL do estupro
Mulheres sindicalistas divulgam manifesto contra PL do Estupro (PL 1904/24)
Nota das centrais selic
Centrais pedem redução dos juros: "por desenvolvimento com justiça social"
lula critica campos neto
Lula diz que Campos Neto tem lado político e trabalha para prejudicar o país
campos neto presidente bc
Procurador pede investigação sobre influência de bancos na definição dos juros pelo BC
Encontro CSB China
CSB promove encontros com entidades sindicais chinesas em SP e RJ; inscreva-se
CSB-RS conselho plano rio grande
Reconstrução do RS: CSB toma posse como membro do Conselho do Plano Rio Grande