reducao-juros-do-consignado-inss

Conselho aprova redução do teto de juros do consignado para beneficiários do INSS

O Conselho Nacional da Previdência Social (CNPS) aprovou nesta quarta-feira (28) uma nova redução do teto de juros para empréstimos consignados para aposentados e pensionistas do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

É a sexta redução realizada pelo órgão liderada pelo ministro da Previdência, Carlos Lupi (PDT), desde março de 2023. No empréstimo consignado convencional, com desconto em folha de pagamento, o teto foi reduzido de 1,76% ao mês para 1,72% ao mês.

Já para operações nas modalidades de cartão de crédito e cartão consignado de benefícios, a taxa máxima de juros passou de 2,61% ao mês para 2,55% ao mês.

Ao oferecer a linha, bancos e instituições financeiras precisam respeitar os limites estabelecidos pelo CNPS.

No entanto, em auditoria divulgada na última semana, a Controladoria-Geral da União (CGU) identificou taxas acima do teto em mais de um quinto dos contratos analisados.

Ciclo de reduções

O ciclo de reduções no teto começou em março, quando o CNPS reduziu o teto dos juros do consignado convencional para beneficiários do INSS de 2,14% para 1,70%, o que gerou um impasse com os bancos.

Na época, bancos privados – e na sequência, públicos – promoveram um boicote e suspenderam temporariamente a oferta do crédito, argumentando que as taxas não cobririam os custos da operação.

O conselho então aprovou um ‘meio termo’, e o teto ficou estabelecido em 1,97%. Em agosto, houve nova redução, e o teto dos juros caiu para 1,91%, no caso do empréstimo consignado convencional.

Em outubro, o CNPS fez nova redução na taxa máxima de juros do consignado com desconto em folha e o teto caiu de 1,91% para 1,84% – novamente, a decisão veio após novo anúncio de corte da Selic.

Já em dezembro, esse teto foi reduzido de 1,84% para 1,80% ao mês. Em janeiro, após novas negociações, o CNPS reduziu mais uma vez o teto de 1,80% para 1,76% ao mês.

Efeito Selic

Na época da primeira redução, a decisão do CNPS veio dias após o Conselho de Política Monetária (Copom) do Banco Central reduzir a Selic pela primeira vez em três anos.

O Conselho tem mantido essa linha, de reduzir o teto de consignado após reduções na taxa Selic

A última redução da Selic ocorreu em janeiro, quando a taxa foi cortada em mais 0,5 ponto percentual, alcançando 11,25%.

Leia também: Robôs negam 65% dos pedidos de benefício do INSS, e CGU diz que servidores são indispensáveis

Com informações de G1

Foto: Ministério da Previdência

Compartilhe:

Leia mais
Anea denuncia Ifood Nicolas Souza
Aliança de Entregadores apresenta denúncia contra Ifood por violação de direitos humanos
rodoviários pelotas assembleia expresso embaixador
Rodoviários de Pelotas: funcionários da Expresso Embaixador discutem flexibilização da CCT
Sindplay Sindpd Sindimais
Projeto de qualificação profissional do Sindpd-SP é finalista do prêmio SindiMais; confira
agenda jurídica das centrais sindicais no stf 2024
Centrais lançam guia de ações relevantes para os trabalhadores em tramitação no STF
Pauta da Classe Trabalhadora 2024
Centrais atualizam Pauta da Classe Trabalhadora e estabelecem prioridades para próximos anos
enchente porto alegre propostas centrais
Centrais elaboram propostas para enfrentar crise no RS e de prevenção a futuras catástrofes
manifestação 22 de maio Brasília
Sindicatos de todo o país vão a Brasília para ato em defesa da Pauta da Classe Trabalhadora
CSB no Grito da Terra 2024
Mais de 10 mil agricultores familiares participam do 24ª Grito da Terra em Brasília
Greve metalurgicos renault
Centrais sindicais dão apoio à greve dos metalúrgicos da Renault no Brasil
Campanha CSB-RS doações locais isolados
CSB-RS faz campanha para atender locais isolados atingidos pelas enchentes