Mulheres trabalhadoras realizam seminário virtual na CSB

A defesa dos direitos diante da grave crise atual foi pauta central da reunião

Este 8 de março é antes de tudo uma data cujas raízes estão na luta das mulheres trabalhadoras, que há mais de um século reivindicaram melhores salários, boas condições de trabalho e o fim da discriminação de gênero. A manutenção de muitas dessas contradições, porém, faz necessária a elaboração de um debate que traga pautas que visem a construção de uma sociedade verdadeiramente igualitária. 

A Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB) organizou e realizou um seminário que contou com a participação de parlamentares, juristas e dirigentes sindicais: todas elas representantes da luta das mulheres. 

Uma das organizadoras do evento foi a secretária nacional da Mulher Trabalhadora da CSB, Antonieta de Cássia Dorledo, que em sua fala ressaltou o respeito como qualidade a ser valorizada na data. “É um dia de muita reflexão sobre o respeito e o verdadeiro papel da mulher na sociedade. Que nós possamos impor que os homens e até mesmo outras mulheres nos respeitem”. 

A abertura do evento foi feita pela deputada federal Lídice da Mata (PSB-BA), que ressaltou o caráter combativo do Dia da Mulher. “A nossa data não é uma data comemorativa para o comércio. O oito de março é um dia de reflexão e de luta”. Além disso, a parlamentar também trouxe para o debate pautas atuais, como a importância do auxílio emergencial de 600 reais e da vacinação para todos. 

Outra personalidade importante para o evento foi a desembargadora Brígida Joaquina Charão Barcelos, que traçou um panorama da condição das trabalhadoras durante a pandemia. “A covid-19 marginalizou ainda mais os trabalho das mulheres. Elas foram abaixo da linha da pobreza, pois a maioria dessas trabalhadoras exercem suas funções na área da limpeza. Já os seus maridos ou foram demitidos ou perderam a renda, já que as Medidas Provisórias lançadas pelo Governo Federal não garantem a cidadania dessas pessoas”, afirmou a jurista.

Já a auditora da Receita Federal, Maria Lúcia Fattorelli, trouxe para a sua fala duras críticas à Proposta de Emenda Constitucional 186/19, popularmente chamada de PEC Emergencial. “Essa PEC 186 condena a todas e todos a doar dinheiro público ao mercado financeiro. É isso que está em jogo. E ainda fizeram chantagem ao dizer que é necessário aprová-la para garantir o pagamento do auxílio emergencial.” 

A questão do auxílio emergencial também teve espaço importante na fala de Fattorelli. “Não precisamos dessa PEC para pagar o auxílio: temos 5 trilhões em caixa, em reservas internacionais e no caixa do banco central. Estão colocando lá um teto de 5 bilhões para pagar um auxílio que não compra uma cesta básica. Isso é uma ofensa, isso é uma humilhação”. De acordo com a auditora, a PEC desrespeita a constituição e é necessário levar tal debate ao povo brasileiro, por meio de uma audiência pública virtual. 

Por fim, quem finalizou o encontro foi o presidente da CSB, Antonio Neto, que ressaltou a importância da adesão dos homens na luta pela emancipação das mulheres. “É necessário discutirmos o papel da mulher neste momento e o quanto ela é mais afetada durante a pandemia. Nós sabemos que os homens nunca serão felizes enquanto as mulheres não forem totalmente emancipadas. É um compromisso de vida e a CSB tem esse compromisso”, finalizou o presidente. 

Compartilhe:

Leia mais
Chinelo - Antonio Neto e Cosme Nogueira fundação Fesmig
CSB, Sinab e CSPM celebram criação da Fesmig - Federação dos Servidores de Minas Gerais
STF reverte reforma previdência para servidores
STF forma maioria para reverter pontos da Reforma da Previdência para servidores
Imagem CSB (28)
CSB NA 112ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO - OIT 2024
Sticmpel campanha salarial 2024-2025
Trabalhadores da Construção e Mobiliário de Pelotas iniciam campanha salarial 2024/2025
Apoio Financeiro a trabalhadores empresas calamidade RS
Governo abre cadastro para Apoio Financeiro a trabalhadores atingidos por calamidade no RS
home office trabalho híbrido estudo
Trabalho híbrido melhora satisfação no emprego e não afeta produtividade, diz estudo
reunião centrais rs e oit
Centrais e OIT discutem impacto das enchentes no mercado de trabalho do RS
plano erradicação trabalho escravo será atualizado
Plano para Erradicação do Trabalho Escravo será atualizado após 16 anos
podcast fetrarod
Fetrarod lança podcast para discutir temas de interesse dos rodoviários; assista aqui
Manifesto contra PL do estupro
Mulheres sindicalistas divulgam manifesto contra PL do Estupro (PL 1904/24)