inss-pode-parar-por-falta-de-recursos

INSS avisa que pode parar atividades por falta de recursos; governo nega

O INSS enviou um ofício à Secretaria de Orçamento Federal informando que não tem verba para manter nem sequer os serviços essenciais e pode paralisar as atividades a partir desta quarta-feira (7). O Ministério do Trabalho e da Previdência Social nega que haja risco de interrupção. 

No ofício obtido pela CNN Brasil, o órgão afirma que a falta de recursos causará a suspensão de contratos e de deslocamentos de servidores, “impactando, consequentemente, no atendimento à população e na prestação dos serviços essenciais do INSS”.  

O documento foi enviado na última sexta-feira (2) e é assinado pelo presidente da autarquia, Guilherme Gastaldello. Segundo o alerta, as agências podem ter atendimento limitado ou até serem fechadas. Deve haver também suspensão de perícias, atrasos nos pagamentos de beneficiários e interrupção de contratos com terceirizados. 

Crise esperada 

Os avisos sobre a falta de recursos têm sido feitos desde o meio do ano. Neste mês, porém, a situação chegou ao extremo de ameaçar até mesmo os pagamentos de aposentadorias.  

Diante disso, o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, chegou a consultar o Tribunal de Contas da União sobre a possibilidade abrir créditos extraordinários para bancas despesas do INSS, mas o TCU alega que endividamento para pagar despesas correntes fere as regras fiscais. 

O governo alega que o gasto aumentou de forma inesperada após um trabalho acelerado para zerar a fila do INSS. Estima-se que, hoje, as despesas obrigatórias tenham um déficit de R$ 22,3 bilhões, dos quais 70% são da Previdência. 

Segundo o ofício, a única opção do INSS agora é adotar medidas de “caráter emergencial”. 

Governo nega 

Em nota enviada ao portal iG, o Ministério do Trabalho e Previdência e o INSS desmentiram as informações contidas no documento assinado por Gastaldello e afirmaram que não haverá qualquer prejuízo à população devido às restrições orçamentárias. 

“O atendimento ao público está mantido. Reforçamos também que todos os pagamentos dos benefícios operacionalizados pelo INSS, como aposentadorias, pensões, benefícios por incapacidade, além dos assistenciais (como o BPC), entre outros, estão assegurados.” 

Fonte: CNN Brasil e iG

Leia também: STF decide a favor da “revisão da vida toda”; mudança beneficia aposentados

Compartilhe:

Leia mais
Encontro CSB China
CSB promove encontros com entidades sindicais chinesas em SP e RJ; inscreva-se
CSB-RS conselho plano rio grande
Reconstrução do RS: CSB toma posse como membro do Conselho do Plano Rio Grande
distribuição extra fgts
Após acordo com centrais, governo fará distribuição extra do FGTS aos trabalhadores
Sindpd=SP ganha premio no Sindimais
Projeto do Sindpd-SP vence prêmio de Inovação e Transformação Digital no SindiMais
protesto colete feminino vigilantes niteroi
Vigilantes de Niterói iniciam campanha por coletes apropiados para mulheres
discurso lula OIT
Em discurso na OIT, Lula destaca precarização e informalidade como desafios para justiça social
Antonio Neto CSB na OIT 12-06-24
Antonio Neto na OIT: novas tecnologias podem ser oportunidade para os trabalhadores
Centrais sindicais apresentam denúncia contra governo do Paraná à OIT
Centrais denunciam governo do PR na OIT por repressão de greve de professores
FGTS correção inflação decisão stf
Acordo entre centrais e AGU prevalece no STF: FGTS deverá ter correção mínima pela inflação
miguel torres discurso centrais sindicais oit
Centrais pedem fim do golpismo no Brasil em discurso dos trabalhadores na OIT