Dieese defende reforma tributária que garanta justiça fiscal; confira

Reforma tributária – O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) produziu um documento no qual elenca as contribuições da centrais sindicais para que a reforma tributária, que será votada esta semana na Câmara dos Deputados, garanta justiça social e desenvolvimento econômico ao país.

O texto da reforma também foi foco da reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico Social Sustentável (CDESS), o Conselhão, nesta segunda-feira (03), em Brasília, que contou com a presença do ministro de Relações Institucionais, Alexandre Padilha.

“O Brasil é um dos países mais desiguais do mundo. Uma das causas fundamentais se refere ao sistema tributário brasileiro: sua estrutura perpetua este quadro, ao ser regressivo (proporcionalmente os pobres pagam mais impostos que os ricos). Este cenário acaba por prejudicar ainda mais o financiamento das políticas sociais em nível adequado e de forma perene, afetando toda população e, especialmente, quem mais precisam delas”, diz trecho do documento do Dieese.

O texto defende que a reforma tributária se oriente pelos seguintes princípios:

  • Simplificação, com redução das exceções (isenções), fim da cumulatividade e punição
    exemplar à sonegação;
  • Garantia de financiamento às políticas sociais, em especial, educação e seguridade
    social (saúde, previdência e assistência social);
  • Estímulo à produção nacional alinhada a uma visão de desenvolvimento econômico
    e social, sendo que todo benefício fiscal deve adotar contrapartidas sociais para quem
    os recebe, especialmente geração de postos de trabalho, investimentos e arrecadação
    de impostos;
  • Fim da guerra fiscal, com equalização maior do sistema evitando a competição entre
    unidades da federação.

O Dieese também elenca 10 ponto que considera fundamentais para uma tributação mais justa no Brasil:

1) Desonerar a cesta básica, avançando sobre os demais impostos, com controle de repasse para os preços, colaborando para redução dos impostos indiretos (previsto na reforma tributária);
2) Tributar lucros de dividendos;
3) Aumentar os impostos sobre a propriedade da terra;
4) Tributação sobre a remessa de lucros das empresas estrangeiras;
5) Instituir o imposto sobre grandes fortunas;
6) Corrigir a tabela do Imposto de Renda, aumentando sua progressividade (a correção da tabela está em andamento, mas é necessário ampliar o número de faixas e alíquotas);
7) Tributar os bens supérfluos e de luxo;
8) Melhorar a cobrança do imposto sobre herança (previsto na Reforma);
9) Cobrar IPVA sobre embarcações e aeronaves (previsto na Reforma);
10) Aumentar a transparência sobre a tributação (previsto na Reforma)

Confira documento produzido e divulgado pelo Dieese, na íntegra, clicando aqui.

(Foto Capa: Reprodução)

Compartilhe:

Leia mais
reunião fessergs reestruturação carreiras servidores rs
Servidores do RS pedem mais tempo para debater projetos de reestruturação de carreiras
Diretoria sindicato rodoviarios caxias do sul
Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Caxias do Sul (RS) reelege diretoria
senado e governo reoneração folha de pagamento
STF prorroga prazo para Senado e governo discutirem reoneração da folha de pagamento
eleição diretoria sindicato servidores são vicente 2024
Sindicato dos Servidores de São Vicente (SP) elege nova diretoria em disputa acirrada
lucro recorde fgts 2023
Lucro do FGTS quase dobra em um ano e atinge recorde de R$ 23,4 bilhões em 2023
comissão provisória csb-ba
Presidente da CSB-BA pede afastamento, e Antonio Neto nomeia comissão provisória
reunião centrais e governo lei igualdade salarial
Centrais e governo avaliam resultados do primeiro ano da Lei da Igualdade Salarial
mpt recomendação contadores contribuição sindicatos
Contador não pode incentivar oposição à contribuição sindical, orienta MPT
CSB no Forum Interconselhos 2024
Governo retoma Fórum Interconselhos com G20 Social e Plano Clima em foco
reuniões centrais sindicais 16 e 18 julho
Links: centrais realizam reuniões sobre agenda legislativa nos estados