Sindicatos repudiam ideia de desvincular aposentadoria do salário mínimo

Entidades representativas dos aposentados fizeram uma nota conjunta de repúdio à ideia proposta pela ministra do Planejamento, Simone Tebet, de desvincular a aposentadoria e outros benefícios previdenciários da Política de Valorização do Salário Mínimo. A CSB assina o documento por meio do Sinab, Sindicato Nacional dos Aposentados do Brasil.

A ministra expôs o plano de apresentar uma proposta neste sentido em entrevista ao portal Valor Econômico nesta segunda-feira (6). Ela afirmou que o governo terá que acabar com a valorização “pela dor ou pela convicção”, mantendo apenas a correção pela inflação desses benefícios.

O assunto ganhou ainda mais atenção após o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, compartilhar um artigo de um economista defendendo o mesmo princípio, num sinal de que a ideia está em pauta em toda a equipe econômica, em vez de ser uma fala isolada.

No artigo compartilhado por Haddad, o economista Bráulio Borges afirma que o ajuste fiscal deve ser feito tanto pela recomposição de receitas quanto por corte de gastos, e definiu a desvinculação da Previdência da política do salário mínimo um “elemento crucial” para a contenção das despesas.

O economista defendeu em seu texto que salário mínimo deve ter valorização para refletir os ganhos de produtividade dos trabalhadores, mas que aposentadorias e pensões deveriam apenas manter seu poder de compra ao longo do tempo.

Os representantes dos aposentados destacaram em sua nota que a Constituição Federal garante o direito de todos de receber remuneração não inferior a um salário mínimo e que, além disso, o piso salarial passa longe de garantir as necessidades básica do trabalhador.

Um estudo do Dieese do ano passado apontou que o salário mínimo deveria ser de R$ 6,5 mil para garantir o sustento de uma família de quatro pessoas. O valor foi calculado a partir da análise dos custos da cesta básica, somados às despesas com saúde, moradia, educação, higiene, transporte, lazer, previdência e vestuário. O piso era de R$ 1.320 em 2023.

Confira a nota completa dos sindicatos dos aposentados:

NOTA UNITÁRIA: Contra a desvinculação das aposentadorias e do salário mínimo

As instituições abaixo assinadas vem a público reafirmar a defesa dos aposentados e se posicionar contrárias à pretensão da ministra do Planejamento de apresentar, até 2025, uma proposta de desvinculação das aposentadorias da correção do salário mínimo.

É preciso lembrar que a Constituição Federal de 1988, define o direito à remuneração não inferior ao salário mínimo. E no capítulo dos Direitos Sociais, define que o salário mínimo deve cobrir todas as necessidades do trabalhador e de sua família, ser unificado em todo o território nacional e reajustado periodicamente para garantir seu poder aquisitivo.

Além do mais, há um consenso nacional de que o valor do salário mínimo encontra-se muito distante do valor previsto na Constituição.

Portanto, é inconcebível que haja, dentro do próprio governo federal, quaisquer tipos de estudos que prevejam reajuste para o piso dos benefícios do INSS menores que os concedidos ao piso salarial nacional.

Brasil, 10 de maio de 2024.

SINAB – CSB Sindicato Nacional dos Aposentados do Brasil – Central dos Sindicatos Brasileiros

COBAP – Confederação Brasileira de Aposentados e Pensionistas

SINDNAPI – FS Sindicato Nacional dos Aposentados, Pensionistas e Idosos – Força Sindical

SINTAPI – CUT Sindicato Nacional dos Aposentados, Pensionistas e Idosos da Central Única dos Trabalhadores

SINDIAPI – UGT Sindicato Nacional dos Aposentados, Pensionistas e Idosos da União Geral dos Trabalhadores

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Compartilhe:

Leia mais
reunião fessergs reestruturação carreiras servidores rs
Servidores do RS pedem mais tempo para debater projetos de reestruturação de carreiras
Diretoria sindicato rodoviarios caxias do sul
Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Caxias do Sul (RS) reelege diretoria
senado e governo reoneração folha de pagamento
STF prorroga prazo para Senado e governo discutirem reoneração da folha de pagamento
eleição diretoria sindicato servidores são vicente 2024
Sindicato dos Servidores de São Vicente (SP) elege nova diretoria em disputa acirrada
lucro recorde fgts 2023
Lucro do FGTS quase dobra em um ano e atinge recorde de R$ 23,4 bilhões em 2023
comissão provisória csb-ba
Presidente da CSB-BA pede afastamento, e Antonio Neto nomeia comissão provisória
reunião centrais e governo lei igualdade salarial
Centrais e governo avaliam resultados do primeiro ano da Lei da Igualdade Salarial
mpt recomendação contadores contribuição sindicatos
Contador não pode incentivar oposição à contribuição sindical, orienta MPT
CSB no Forum Interconselhos 2024
Governo retoma Fórum Interconselhos com G20 Social e Plano Clima em foco
reuniões centrais sindicais 16 e 18 julho
Links: centrais realizam reuniões sobre agenda legislativa nos estados