Trabalhadores de informática do Rio de Janeiro passam a ter jornada de 40 horas semanais

Conquista histórica do Sindierj entrou em vigor no dia 1º de junho; sindicato também firmou a Convenção Coletiva de Trabalho

O Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Informática, Cursos de Informática, Treinamentos de Informática, Lan House, Cyber Café, Manutenção e Reparação de Máquinas de Escritórios do Estado do Rio de Janeiro (Sindierj) fechou um acordo com o Sindicato das Empresas de Informática (SEPRORJ ) para que haja a redução da jornada de trabalho de 44 para 40 horas semanais, sem redução dos salários. O documento estabelece que, a partir do dia 1º de junho, todas as empresas de informática – privadas – devem aplicar a redução da carga horária.

Foram sete meses de negociação, e os trabalhadores receberão valor retroativo referente a esse período. “A luta pelas 40 horas semanais entre o Sindierj e o sindicato patronal foi extremamente complicada, mas nossa mobilização e a participação ativa de toda categoria foram determinantes para o sucesso da negociação”, disse Claudemis Lopes Cunha, presidente do sindicato.

10325396_10203125885622040_1120304627709837777_nPara o dirigente, a redução da jornada de trabalho é a principal vitória da categoria, pois estimula a abertura de mais vagas e aumenta a qualidade de vida do trabalhador. “Essa não é uma mudança apenas burocrática, é uma transformação na vida do profissional, que poderá passar mais tempo com a sua família e também se dedicar mais a cursos de qualificação”, avalia.

A mudança de carga horária atinge um dos setores mais importantes da economia brasileira e melhora diretamente a qualidade de vida dos trabalhadores de informática, que muitas vezes cumprem turnos de trabalho excessivos e desenvolvem doenças causadas pela atividade exercida no emprego, como a Lesão por Esforço Repetitivo (LER).

A conquista da redução da jornada para 40 horas foi inserida na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da categoria, que o Sindierj protocolou em 28 de maio. Depois de  meses de negociações, ficou definido um reajuste de 7,3%. O vale-refeição ficou em R$ 18,50, o valor destinado ao convênio médico será de R$ 167,48. Os trabalhadores passarão a receber auxílio-creche de R$ 150. A hora extra será de 50% em dias normais e de 100% em domingos e feriados, sejam eles estaduais ou municipais. Também ficou acordada a  licença-maternidade de 120 dias e, para amamentar o próprio filho até que complete seis meses de idade, a mulher terá direito – durante a jornada de trabalho – a dois intervalos de meia hora, ou será facultado à empregada sair uma hora antes ou entrar uma hora depois. “Essa é nossa primeira CCT, e isso é marco para a nossa base de trabalhadores, pois a partir de agora eles possuem um regimento próprio. E nós estaremos fiscalizando o cumprimento destas normas. Há uma semana com a vigência da Convenção, já recebemos mais de 3 mil denúncias de descumprimento dos direitos trabalhistas”, disse Cunha. A liberação dos dirigentes sindicais foi outro ponto acordado pela CCT.

Compartilhe:

Leia mais
reunião centrais rs e oit
Centrais e OIT discutem impacto das enchentes no mercado de trabalho do RS
plano erradicação trabalho escravo será atualizado
Plano Nacional para Erradicação do Trabalho Escravo será atualizado após 16 anos
podcast fetrarod
Fetrarod lança podcast para discutir temas de interesse dos rodoviários; assista aqui
Manifesto contra PL do estupro
Mulheres sindicalistas divulgam manifesto contra PL do Estupro (PL 1904/24)
Nota das centrais selic
Centrais pedem redução dos juros: "por desenvolvimento com justiça social"
lula critica campos neto
Lula diz que Campos Neto tem lado político e trabalha para prejudicar o país
campos neto presidente bc
Procurador pede investigação sobre influência de bancos na definição dos juros pelo BC
Encontro CSB China
CSB promove encontros com entidades sindicais chinesas em SP e RJ; inscreva-se
CSB-RS conselho plano rio grande
Reconstrução do RS: CSB toma posse como membro do Conselho do Plano Rio Grande
distribuição extra fgts
Após acordo com centrais, governo fará distribuição extra do FGTS aos trabalhadores