Plinio-1-4-e1367957240896

Sindpd inicia mostra de filmes do trabalhador com “Uma empresa decente”

Documentário é o primeiro dos quatro que serão exibidos pela regional de Araraquara neste mês de maio

O valor de uma companhia não está atrelado unicamente às cifras. Atualmente, com a globalização, as pessoas querem ter acesso às informações de como os produtos são feitos e as condições de trabalho dos funcionários. Ninguém tolera uma empresa que não respeita os princípios éticos e não cumpre com sua responsabilidade social e ambiental.

Esses valores são tratados em “Uma empresa decente”, filme exibido neste sábado (4), no Sesc Araraquara. O documentário marca o início da mostra de filmes do trabalhador, evento em comemoração ao 1° de maio. Essa iniciativa foi possível por meio da parceria do Sindpd com o Sesc, que disponibiliza o anfiteatro, e também com a Cinemateca, da Embaixada da França no Brasil, que providencia o empréstimo dos documentários.

A abertura contou com a presença de importantes autoridades. Antes da exibição do filme, estiveram presentes na mesa de cerimônia: Antônio Neto, presidente do Sindpd e da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), Daniel Forini, diretor da Regional de Araraquara, Renato Haddad, secretário municipal de Cultura – que representou o prefeito Marcelo Barbieri -, Édio Lopes, vereador – que representou o presidente da Câmara Municipal João Farias -, e Paulo Casale, gerente do Sesc Araraquara.

“Parabéns ao nosso diretor regional, o Daniel, e aos demais parceiros. Esse evento é uma brilhante ideia. Primeiro, temos que lembrar os mártires de Chicago, quando oito trabalhadores foram enforcados porque fizeram uma greve por melhores condições, redução de jornada de trabalho e outros direitos. Esses quatro filmes mostrarão a luta cotidiana do trabalhador e como a classe operária tem se comportado ao longo de tudo isso. Vamos exibi-los também na sede do Sindpd”, ressaltou Neto.

Casale também reforçou a importância do evento e da parceria. “É um grande prazer receber este evento tão importante. O Sesc é um centro voltado para educação, lazer e cultura. Ainda que muitos confundam a instituição com um clube, o Sesc é aberto à cidade, não para apenas as pessoas que têm a carteirinha. A portas estão abertas para todas as atividades que realizamos. Acompanhem as outras sessões que ocorrerão nos próximos sábados de maio.”

Haddad fez questão de mencionar o valor dos sindicatos. “Patrão e empregado sempre estarão conversando. É fundamental os sindicatos estarem bem representados, que tenham gente com condição e competência, tanto do patronal quanto dos trabalhadores, para que a representatividade seja legítima e se busque o equilíbrio na relação do trabalho. O Sindpd tem correspondido, tem trabalhado bastante. Isso é a busca da democracia, a busca dos direitos é incessante”, disse.

Representando a Câmara Municipal, Lopes disse ser um momento de reflexão. “Esses quatro filmes são para refletir o que queremos, para buscar os nossos objetivos. Ainda temos muitas coisas para conquistar. É importante as pessoas marcarem presença também nos próximos sábados para entenderem que a luta do trabalhador não acaba aqui, que novos espaços precisam ser conquistados.”

Diversos formadores de opinião estiveram na plateia como, por exemplo, a coordenadora do curso de Direito da Faculdade Uniesp (União das Instituições Educacionais do Estado de São Paulo), que levou cerca de 10 alunos para a sessão, Arari Ferreira Marchese, presidente do PMDB de Araraquara, Pedro Vono, presidente da Fundação de Arte e Cultura (Fundart) de Araraquara, Joel Chnaiderman, secretário para Comunicação e Imprensa do Sindpd, João Castro, editor geral da Agenciara, Plínio Cesar Silva, do Jornal da Justiça, e José Janone Junior, do Infocidades.

“Teremos mais três filmes para a população e conto com a presença de todos. Essa é a nossa primeira iniciativa nesse formato e espero tornar esse evento uma tradição”, disse Forini.

Por questões técnicas, o filme “Operárias do Mundo” não foi exibido no sábado passado. O documentário será o último da mostra, a ser exibido no dia 25 de maio. Além deste, teremos “Nem todos morriam, mas todos eram afetados”, no dia 11, e “Era uma vez um assalariado”, no dia 18.

Confira as sinopses dos documentários no site cinefrance.com

Próximas sessões

Datas: 11, 18 e 25 de maio
Horário: 15h
Local: Sesc Araraquara
Endereço: Rua Castro Alves, 1315

Fonte: Sindpd

Foto: Plinio Cesar Silva/ Jornal da Justiça

Compartilhe:

Leia mais
miguel torres discurso centrais sindicais oit
Centrais pedem fim do golpismo no Brasil em discurso dos trabalhadores na OIT
Luiz Marinho discursa na OIT 2024
Na OIT, Luiz Marinho defende fortalecimento dos sindicatos e taxação de grandes fortunas
vigilantes niterói ato 13 de junho
Vigilantes de Niterói convocam ato por mais segurança para mulheres da categoria
vinicolas-no-rs-tinham-200-pessoas-em-condicoes-analogas-a-escravidao
Auditores fiscais do Trabalho repudiam fala de dirigente da CNA sobre trabalho escravo
assembleia rodoviários pelotas 10-6-2024
Rodoviários de Pelotas (RS) começam a negociar acordos em novo cenário após enchentes
Comitiva da CSB com ministro Luiz Marinho na Conferência da OIT 2024
Em reunião do Brasil na OIT, empresário diz que Bolsa Família atrapalha mão de obra
carteira vazia contas a pagar salário mínimo
Salário mínimo no BR é menos da metade do valor necessário para garantir vida digna
reajuste salarial TI Paraná
Trabalhadores de TI do Paraná terão 5% de aumento salarial; veja pisos de cada função
assembleia feserp mg
Feserp-MG convoca sindicatos para assembleia de reformulação do estatuto
instrutor de yoga entra na cbo
Ufólogo, instrutor de yoga e outras 17 ocupações são incluídas na CBO