SINDIERJ garante jornada de 40 horas para todos os trabalhadores e amplia benefícios

Nova CCT foi assinada pelo Sindicato que representa profissionais de informática do Rio de Janeiro

Após mais de oito meses de negociações e da mobilização da categoria, o Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas, Cursos e Treinamento de Informática, Lan House, Cyber Café, Manutenção e Reparação de Máquinas de Escritórios do Estado do Rio de Janeiro (SINDIERJ) fechou uma nova Convenção Coletiva de Trabalho com importantes avanços, incluindo um reajuste salarial de 10,06% e a redução da jornada de trabalho de 44 horas para 40 horas semanais para todos os profissionais.

A CCT foi assinada no último dia 4 de julho entre o SINDIERJ e o sindicato patronal (Seprorj/TI Rio) com validade retroativa a 1º de outubro de 2015, data base da categoria. As regras ficarão em vigor até 30 de setembro de 2017 e beneficiarão trabalhadores de empresas de informática, cursos de informática, manutenção e reparação de máquinas de escritório, lan houses e cyber cafés.

“Foi uma negociação bastante difícil, mas a categoria esteve unida e mostrou a sua força”, afirmou o presidente do SINDIERJ, Claudemis Lopes da Cunha, que também é integrante da Direção Nacional da CSB. “Conseguimos importantes avanços mesmo neste período de crise. O reajuste salarial de 10,06% ficou um pouco acima da inflação, o que é importante para proteger o poder de compra dos salários dos trabalhadores”, disse.

A correção salarial retroativa a 1º de outubro de 2015 será paga em uma única parcela na próxima folha de pagamento, referente ao mês de julho, ainda de acordo com o presidente.

Além do ganho salarial, a nova CCT também trouxe importantes vitórias, como a universalização da jornada de trabalho de 40 horas semanais. Para parte dos trabalhadores, a redução da jornada já havia sido conquistada no ano passado. Agora, esse mesmo benefício foi estendido a todos os profissionais, incluindo trabalhadores de suporte e manutenção, conforme explicou Cunha.

“É um importante ganho para todos. Os trabalhadores poderão chegar mais cedo em suas casas, aproveitar mais as famílias e também terão mais tempo livre para se dedicar à capacitação profissional”, salientou o presidente.

Benefícios ampliados

Outros benefícios que foram ampliados são o auxílio-creche e o vale-refeição. No caso do auxílio-creche, será pago um valor de até R$ 165,09 para cada filho pelo período de sete meses após o retorno da licença-maternidade. Antes, o montante era pago por quatro meses. Já em relação ao VR, houve um aumento de R$ 17 para R$ 22 por dia.

O SINDIERJ também conseguiu incluir na CCT uma cláusula de benefícios indiretos. Neste caso, as empresas terão de conceder a todos os empregados benefícios equivalentes a R$ 179,20 mensais para aqueles que cumprem jornada de 8 horas diárias ou de R$ 134,57 nos casos de jornadas de 6 horas. Poderão ser escolhidos benefícios que constam em uma lista prévia, incluindo plano de saúde, plano odontológico, auxílio-formação, vale-alimentação, cesta básica e vale-combustível.

Compartilhe:

Leia mais
Chinelo - Antonio Neto e Cosme Nogueira fundação Fesmig
CSB, Sinab e CSPM celebram criação da Fesmig - Federação dos Servidores de Minas Gerais
STF reverte reforma previdência para servidores
STF forma maioria para reverter pontos da Reforma da Previdência para servidores
Imagem CSB (28)
CSB NA 112ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO - OIT 2024
Sticmpel campanha salarial 2024-2025
Trabalhadores da Construção e Mobiliário de Pelotas iniciam campanha salarial 2024/2025
Apoio Financeiro a trabalhadores empresas calamidade RS
Governo abre cadastro para Apoio Financeiro a trabalhadores atingidos por calamidade no RS
home office trabalho híbrido estudo
Trabalho híbrido melhora satisfação no emprego e não afeta produtividade, diz estudo
reunião centrais rs e oit
Centrais e OIT discutem impacto das enchentes no mercado de trabalho do RS
plano erradicação trabalho escravo será atualizado
Plano para Erradicação do Trabalho Escravo será atualizado após 16 anos
podcast fetrarod
Fetrarod lança podcast para discutir temas de interesse dos rodoviários; assista aqui
Manifesto contra PL do estupro
Mulheres sindicalistas divulgam manifesto contra PL do Estupro (PL 1904/24)