Sindicatos de Vestuário da CSB debatem desoneração da folha de pagamento com o Dieese

Central foi a primeira a receber a apresentação do economista Clóvis Scherer sobre o tema

Dirigentes da CSB se reuniram com Clóvis Scherer, economista do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), para debater os efeitos da desoneração da folha de pagamento. A apresentação inédita dos estudos foi realizada na quarta-feira, 29 de abril, na sede da Central.

IMGP4362

A pesquisa, que faz parte da dissertação de mestrado do economista para o Instituto de Estudos Sociais (ISS) de Haia, na Holanda, constatou que 74 mil empresas beneficiadas pela desoneração tiveram 17,1% de seu quadro médio de funcionários ampliado, em comparação a um aumento de 2,9% em empresas não beneficiadas. A análise foi realizada com base nos dados da Relação Anual De Informações Sociais (RAIS) de 2011 e 2012.

Segundo o estudo, a economia fiscal obtida com a troca da contribuição previdenciária por uma alíquota de 1% a 2% sobre o faturamento contribuiu também para o desempenho das horas trabalhadas, que tiveram um aumento de 9,6 %, e o ganho do salário real, que de foi 2,3% .IMGP4374

“Estes resultados indicam que a política de desoneração da folha teve efeitos positivos no mercado de trabalho. É uma política que não beneficiou apenas os empresários, pois ela contribuiu para o aumento da formalização dos empregos”, afirmou Clóvis Scherer.

 De acordo com presidente da CSB, Antonio Neto, o setor de TI e TIC foi um dos que mais cresceram com a desoneração. “A desoneração da folha para o segmento de TI contribuiu, de maneira positivamente impactante, em política pública estruturante para o setor, uma vez que contribui decisivamente para a competitividade do Brasil, por intermédio da inovação tecnológica e de processos, e estimula o crescimento com geração de empregos de qualidade e alta remuneração”, disse.

IMGP4379

“A desoneração construiu um panorama de crescimento para os setores beneficiados, com a geração de empregos, aumento da renda dos trabalhadores e plena contribuição para o desenvolvimento da economia brasileira”, avaliou Neto.

Para o secretário-geral da CSB, Alvaro Egea, a apresentação e o debate com o economista do Dieese foi essencial para compreensão dos benefícios que a política de desoneração trouxe para o mercado de trabalho. “Clovis é um economista conceituado, e nós tivemos o privilégio de sermos a primeira Central a ouvir essa palestra enriquecedora. A desoneração contribuiu para o aumento da renda e da qualidade do emprego”, disse.

“64% das desonerações da folha de pagamento foram feitos para reduzir custos com investimento e produção. É um programa que contribuiu para a geração de empregos. O governo pode ter deixado de arrecadar sobre a folha de pagamento, porém aumentou a arrecadação do imposto de renda e o INSS, pois houve mais contratações”, explica Egea.

De acordo com João Lima, presidente da Federação dos Trabalhadores na Indústria Vestuário de São Paulo (Fetivesp), o estudo mostra que a desoneração trouxe benefícios também para os trabalhadores. “Nós, do setor do vestuário, percebemos que, depois da lei da desoneração, em algumas regiões o número de trabalhadores contratados aumentou. Tinha cidades que o número de trabalhadores formais era de 17 mil, e esse número saltou para 26 mil trabalhadores. Isso graças à desoneração”, avaliou.

Desde 2011, os setores de tecnologia da informação, confecções, têxtil, naval, aéreo, de material elétrico, autopeças, hotéis, plásticos, móveis, ônibus e máquinas foram beneficiados com a desoneração e pagaram de 1% a 2% do faturamento para a Previdência, em vez de recolherem 20% sobre o salário dos trabalhadores. Em maio de 2014, mais 56 setores foram desonerados.

As condições impostas pelo governo para a concessão do benefício foram a não demissão de trabalhadores, aumento da formalização do trabalho, dos investimentos e da produção.

Compartilhe:

Leia mais
STF reverte reforma previdência para servidores
STF forma maioria para reverter pontos da Reforma da Previdência para servidores
Imagem CSB (28)
CSB NA 112ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO - OIT 2024
Sticmpel campanha salarial 2024-2025
Trabalhadores da Construção e Mobiliário de Pelotas iniciam campanha salarial 2024/2025
Apoio Financeiro a trabalhadores empresas calamidade RS
Governo abre cadastro para Apoio Financeiro a trabalhadores atingidos por calamidade no RS
home office trabalho híbrido estudo
Trabalho híbrido melhora satisfação no emprego e não afeta produtividade, diz estudo
reunião centrais rs e oit
Centrais e OIT discutem impacto das enchentes no mercado de trabalho do RS
plano erradicação trabalho escravo será atualizado
Plano para Erradicação do Trabalho Escravo será atualizado após 16 anos
podcast fetrarod
Fetrarod lança podcast para discutir temas de interesse dos rodoviários; assista aqui
Manifesto contra PL do estupro
Mulheres sindicalistas divulgam manifesto contra PL do Estupro (PL 1904/24)
Nota das centrais selic
Centrais pedem redução dos juros: "por desenvolvimento com justiça social"