Sindicato de trabalhadores em cassinos de Las Vegas consegue melhor acordo da história

O sindicato Culinary, que representa mais de 35.000 cozinheiros, garçons, bartenders, governantas e outros trabalhadores em 18 grandes cassinos de Las Vegas, ameaçou realizar a maior greve da história da indústria hoteleira dos Estados Unidos a partir das 5h da última sexta-feira (10).

Como resultado, alcançou seu terceiro acordo trabalhista provisório em três dias com uma operadora de cassino. O sindicato anunciou um acordo com a Wynn Resorts, que seguiu acordos semelhantes na quinta-feira (09) com a MGM Resorts International, proprietária de oito dos cassinos, e na quarta-feira (08) com a Caesars Entertainment, proprietária de nove dos cassinos.

“Após sete meses de negociações, temos orgulho em dizer que este é o melhor contrato e pacote econômico que ganhamos nos nossos 88 anos de história”, disse Ted Pappageorge, secretário-tesoureiro do sindicato e seu negociador-chefe. “Com este novo contrato sindical, os trabalhadores do setor hoteleiro poderão sustentar as suas famílias e prosperar em Las Vegas”, acrescentou.

Além dos aumentos salariais, os acordos incluem reduções na carga de trabalho dos atendentes de quartos de hóspedes, limpeza diária obrigatória dos quartos – uma questão de segurança no trabalho para o sindicato -, maiores proteções de segurança para os trabalhadores no serviço, linguagem de contrato de tecnologia ampliada e direitos de retirada estendidos em caso de demissões.

“Acreditamos firmemente que apenas os funcionários mais talentosos e capacitados, trabalhando em um ambiente no qual se sentem valorizados e bem remunerados, podem oferecer nossas experiências exclusivas aos hóspedes Wynn e Encore. Estamos muito satisfeitos por termos conseguido chegar a um acordo”, disse Michael Weaver, porta-voz do Wynn Las Vegas.

Alta nos aluguéis

Em Las Vegas, os aluguéis aumentaram quase 40% em relação ao período anterior à pandemia. O aluguel médio atingiu um máximo de US$ 1.861 por mês em julho de 2022, um aumento de 38% em relação aos US$ 1.351 por mês em julho de 2019.

Desde esse pico, os aluguéis em Las Vegas caíram ligeiramente, seguindo as tendências nacionais, mas ainda se mantém na casa dos US$ 1.800, em setembro deste ano.

Na média, um membro do sindicato de Culinary em Las Vegas recebe US$ 26 por hora em salários e benefícios, mas o sindicato não divulgou quanto desse valor vai para o salário e quanto vai para benefícios.

Os benefícios incluem assistência médica sem prêmio e um plano de pensão tradicional, que paga um benefício mensal aos aposentados.

A entidade sindical informou que o acordo no Caesars adicionou imediatamente cerca de US$ 4,57 por hora em dinheiro adicional destinado a uma combinação de pagamento e benefícios. O sindicato acrescentou que haverá aumentos adicionais durante os cinco anos de vigência do contrato.

Greve em meio à Formula 1

A greve de sexta – que atingiria todos os principais cassinos da cidade – teria ocorrido em um momento particularmente ruim, visto que Las Vegas está sediando um Grande Prêmio de F1 que incluirá uma parte da Strip (avenida mais famosa da cidade) como pista de corrida.

Os treinos estão agendados para quinta e sexta-feira da próxima semana, e a corrida em si está marcada para sábado, 18 de novembro. Também há shows e outros eventos programados e, segundo algumas estimativas, o fim de semana deverá atrair cerca de 100.000 visitantes à cidade.

No geral, a cidade tem cerca de 150 mil quartos de hotel, de acordo com a Autoridade de Convenções e Visitantes de Las Vegas.

Greves e vitórias sindicais

Os sindicatos têm mostrado a sua força em 2023, elevando o número de trabalhadores em greve a níveis não vistos há décadas. Neste ano, houve 348 greves até agora, um aumento de 56% em relação ao mesmo período de 2021.

Os sindicatos dos EUA têm obtido grandes ganhos nas negociações recentes, por vezes com uma greve, por vezes sem. Recentemente, a SAG-AFTRA, que representa 160.000 atores, entrou em greve durante quase quatro meses contra grandes estúdios e serviços de streaming antes de chegar ao seu próprio acordo provisório na noite da última quarta-feira (08).

Esse acordo veio após o sindicato United Auto Workers – de metalúrgicos – ter fechado acordos com a General Motors, Ford e Stellantis que incluíam aumentos salariais garantidos de 25% durante a vigência do contrato, que vai até abril de 2028.

Além disso, foram acertados ajustes de custo de vida que poderiam elevar o salário da maioria dos trabalhadores em mais de 30% quando combinados com os salários garantidos.

Uma coalizão de sindicatos da Kaiser Permanente obteve aumentos que totalizaram 21% ao longo do acordo de quatro anos, alcançado depois que 75.000 membros do sindicato fizeram a maior greve do setor de saúde da história dos Estados Unidos.

Já o sindicato Teamsters chegou a um acordo com a UPS em julho que evitou uma greve em 1º de agosto de mais de 340.000 membros, que incluiu um mínimo de US$ 7,50 em aumentos salariais por hora durante a vigência do contrato e aumentou do salário de motorista de entrega em 18%, para US$ 49 por hora.

O acordo também eliminou um nível inferior de pagamento para muitos membros do sindicato e concedeu aumentos salariais maiores a alguns trabalhadores de meio período.

Mas alguns sindicatos ainda não conseguiram chegar a acordo sobre novos contratos, incluindo 3.700 membros de uma coligação de sindicatos – que inclui os Teamsters e o UAW –, que decretaram estado em greve em três cassinos de Detroit desde o dia 17 de outubro. Um desses cassinos é de propriedade da MGM.

Além disso, cerca de 15 mil membros do sindicato têm promovido uma série de greves intermitentes contra 65 hotéis em Los Angeles e nos condados de Orange, na Califórnia, desde 4 de julho.

Com informações de CNN Brasil

Veja também: Sindicato dos metalúrgicos dos EUA chega a acordo com Ford e Stellantis para encerrar greve

Compartilhe:

Leia mais
mpt recomendação contadores contribuição sindicatos
Contador não pode incentivar oposição à contribuição sindical, orienta MPT
CSB no Forum Interconselhos 2024
Governo retoma Fórum Interconselhos com G20 Social e Plano Clima em foco; CSB participa
reuniões centrais sindicais 16 e 18 julho
Centrais realizam reuniões por região nos dias 16 e 18 de julho sobre agenda legislativa; participe
reunião CNT 10-7-24
CNT discute ação coordenada diante de transformações no mercado de trabalho
Ernesto e Álvaro CSN reunião Consea
CSB indicará nome para substituir Lino de Macedo no Conselho de Segurança Alimentar
protesto servidores Ipsemg 9-7-24
Em meio a protestos dos servidores, projeto sobre Ipsemg tem votação adiada
ministro do trabalho luiz marinho saqui aniversário fgts
Ministro do Trabalho quer fim do bloqueio do FGTS para quem optou por saque-aniversário
regra-nas-relacoes-de-trabalho-clemente-ganz-lucio
Clemente Ganz: Negociação coletiva e a estratégia de desenvolvimento produtivo
Projeto de lei motoristas em apps
Centrais sindicais criticam alterações em projeto de motoristas em apps
Protesto servidores Ipsemg
Sindicato dos Servidores do Ipsemg convoca para protesto contra projeto sobre o Instituto