Servidores de Ibatiba (ES) entram em greve geral na próxima segunda-feira (3)

Mobilização dos trabalhadores municipais já dura mais de um mês sem resposta da prefeitura

Após 35 dias de greve parcial sem proposta concreta da prefeitura para o pagamento de direitos trabalhistas, os servidores de Ibatiba (ES) decidiram entrar em greve geral a partir do próximo dia 03 de setembro. A deliberação aconteceu em assembleia, nesta segunda-feira (27), com 132 votos a favor da paralisação. A mobilização é liderada pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Ibatiba (SINDISPUMIES).

Segundo o presidente da Entidade, Edson Salôto, 320 trabalhadores devem aderir ao movimento, previsto para durar quinze dias. Isso porque a administração pública não apresenta prazo para regularizar a revisão geral salarial dos servidores; o piso nacional do magistério, defasado em 18% com relação à lei federal; o pagamento do adicional de periculosidade aos vigias do patrimônio público; o repasse do adicional aos Agentes Comunitários de Saúde, entre outras reivindicações.

“São diversos direitos que estamos pedindo porque são pautas que se acumularam ao longo do tempo. No caso do adicional de periculosidade aos vigias, por exemplo, já teve uma ação judicial transitada e julgada, e o prefeito não cumpre a determinação da Justiça. Há ainda a situação dos servidores de nível 1, que são os operários, serventes, merendeiras, cujo salário-base é menor que o salário mínimo, pois a prefeitura usa direitos trabalhistas e benefícios [horas extras, adicional noturno] para completar o salário da pessoa. Então, o prefeito precisa rever esse cenário”, explica Salôto.

O dirigente também relata que a administração não possui uma comissão de avaliação de desempenho, o que impede a evolução e promoção dos servidores, e que o prefeito Luciano Pingo assinou um termo de compromisso, nas eleições de 2016, assegurando a resolução da maioria das demandas. O documento foi assinado na presença da categoria e de representantes do Sindicato.

“O prefeito, por diversas vezes, enviou ofícios ao Sindicato, realizou reuniões com a gente. Inclusive, algumas testemunhadas pelos vereadores da cidade e pelo Ministério Público. Mas em todas as reuniões, o prefeito coloca que apenas irá pagar os direitos quando tiver índice fiscal. Ele faz essa promessa, mas o nosso entendimento é que a prefeitura não pode usar o argumento do índice fiscal para deixar de pagar direitos previstos em leis e na Constituição Federal”, ressalta.

Apesar do impasse, o presidente do SINDISPUMIES afirma que a Entidade continuará aberta ao diálogo junto à administração pública de Ibatiba mesmo durante a greve. “Quando a gente entra nesse impasse de não conseguir uma negociação, a única ferramenta que sobra ao servidor é a greve. A nossa mobilização foi reconhecida pelo Tribunal do Estado e, além disso, aqui na cidade, a população está com o trabalhador. O povo reconhece que o prefeito está prejudicando os servidores e esse apoio é muito importante”, afirma.

A partir da próxima segunda-feira, todas as categorias do município de Ibatiba irão paralisar, com exceção dos serviços essenciais de emergência, pronto-socorro, vacina e coleta de lixo.

Leia as notícias abaixo para entender melhor a greve dos servidores de Ibatiba:

Manifestação dos servidores de Ibatiba (ES) deflagra greve no município

Greve dos servidores de Ibatiba (ES) completa 8 dias sem proposta da prefeitura

Greve dos servidores de Ibatiba (ES) é reconhecida pela Justiça

Compartilhe:

Leia mais
STF reverte reforma previdência para servidores
STF forma maioria para reverter pontos da Reforma da Previdência para servidores
Imagem CSB (28)
CSB NA 112ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO - OIT 2024
Sticmpel campanha salarial 2024-2025
Trabalhadores da Construção e Mobiliário de Pelotas iniciam campanha salarial 2024/2025
Apoio Financeiro a trabalhadores empresas calamidade RS
Governo abre cadastro para Apoio Financeiro a trabalhadores atingidos por calamidade no RS
home office trabalho híbrido estudo
Trabalho híbrido melhora satisfação no emprego e não afeta produtividade, diz estudo
reunião centrais rs e oit
Centrais e OIT discutem impacto das enchentes no mercado de trabalho do RS
plano erradicação trabalho escravo será atualizado
Plano para Erradicação do Trabalho Escravo será atualizado após 16 anos
podcast fetrarod
Fetrarod lança podcast para discutir temas de interesse dos rodoviários; assista aqui
Manifesto contra PL do estupro
Mulheres sindicalistas divulgam manifesto contra PL do Estupro (PL 1904/24)
Nota das centrais selic
Centrais pedem redução dos juros: "por desenvolvimento com justiça social"