servidores-da-anm-paralisam-atividades-greve-agencia-nacional-de-mineracao

Servidores da ANM paralisam atividades e pedem negociação com o governo federal

Servidores da ANM paralisam atividades – Os servidores da Agência Nacional de Mineração (ANM) paralisaram totalmente suas atividades nesta segunda e terça-feira (30). No dia seguinte, quarta-feira, os funcionários realizarão apenas os serviços relacionados à segurança.

Este é mais um passo da mobilização que os trabalhadores da ANM vêm fazendo desde o início do ano denunciando a grave precarização do órgão, que nunca foi devidamente estruturado após sua criação, e de suas carreiras.

Relacionada: Servidores da ANM aprovam indicativo de greve e denunciam precariedade

Para estruturar a ANM, os servidores exigem a correção da distorção salarial entre eles e as outras 10 agências reguladoras. Eles pedem também o reforço na estrutura de cargos e a recomposição do quadro de pessoal com a realização de concursos públicos.

Além disso, a categoria solicita o repasse integral da CFEM (Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais), correspondente a 7% da arrecadação anual, e a reformulação do Fundo Nacional da Mineração (FUNAM), conforme previsto na Lei nº 14.514/2022.

Em carta aberta à população, o Sindicato Nacional dos Servidores das Agências Nacionais de Regulação (Sinagências) explicou a fundo a situação da ANM. Diz o documento:

“A Agência Nacional de Mineração (ANM) criada pela Lei nº 13.575/2017 é a sucessora legal do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), responsável pela outorga, fiscalização e regulação da mineração no Brasil, setor que contribuiu com 4 % do PIB em 2021. A ANM é uma das 11 Agências Reguladoras do Governo Federal, conforme previsto no art. 2º da Lei nº 13.848/2019.

Embora esteja incluída na Lei Geral da Agências Reguladoras, a ANM jamais foi tratada pelos governos como as demais. A ANM nunca foi estruturada para cumprir suas atribuições determinadas em Lei, tendo recebido recentemente mais atribuições através da Lei nº 14.514/2022, sem qualquer alteração de sua Lei original, seja em relação à sua estrutura de cargos, à orçamentária, de pessoal ou capacidade física instalada.

Além do descaso de governos anteriores em criar uma Agência sem a mínima estrutura para cumprir as suas atribuições, a remuneração dos servidores da ANM não condiz com os valores pagos aos servidores das demais 10 outras agências reguladoras nacionais pois, apesar de possuir carreiras estruturadas criadas com a mesma estrutura de remuneração, hoje tem vencimentos em média 46% menores do que os das demais agências reguladoras para exercer atividades de idêntica natureza, grau de complexidade, periculosidade e responsabilidade.

Trata-se da maior distorção salarial existente entre carreiras semelhantes no Executivo Federal.”

Leia o documento na íntegra aqui.

O Sinagências enviou ofícios à Presidência da República e diversos ministérios solicitando agenda para negociar as mudanças necessários na ANM, mas informou que, até agora, só obteve resposta do Ministério da Gestão e Inovação após os servidores fazerem uma manifestação em frente à pasta em 17 de maio.

Com a movimentação, a ministra Esther Dweck pediu que fosse marcada uma reunião entre representantes do sindicato e a equipe da Secretaria de Relações de Trabalho. O Sinagências apresentou as demandas da categoria, mas ainda não teve retorno até o momento sobre que medidas serão tomadas.

“Caso as reivindicações não sejam atendidas pelo Governo Federal, a agência deve marcar novas paralisações ou até mesmo uma greve geral”, comunicou o Sinagências.

Compartilhe:

Leia mais
miguel torres discurso centrais sindicais oit
Centrais pedem fim do golpismo no Brasil em discurso dos trabalhadores na OIT
Luiz Marinho discursa na OIT 2024
Na OIT, Luiz Marinho defende fortalecimento dos sindicatos e taxação de grandes fortunas
vigilantes niterói ato 13 de junho
Vigilantes de Niterói convocam ato por mais segurança para mulheres da categoria
vinicolas-no-rs-tinham-200-pessoas-em-condicoes-analogas-a-escravidao
Auditores fiscais do Trabalho repudiam fala de dirigente da CNA sobre trabalho escravo
assembleia rodoviários pelotas 10-6-2024
Rodoviários de Pelotas (RS) começam a negociar acordos em novo cenário após enchentes
Comitiva da CSB com ministro Luiz Marinho na Conferência da OIT 2024
Em reunião do Brasil na OIT, empresário diz que Bolsa Família atrapalha mão de obra
carteira vazia contas a pagar salário mínimo
Salário mínimo no BR é menos da metade do valor necessário para garantir vida digna
reajuste salarial TI Paraná
Trabalhadores de TI do Paraná terão 5% de aumento salarial; veja pisos de cada função
assembleia feserp mg
Feserp-MG convoca sindicatos para assembleia de reformulação do estatuto
instrutor de yoga entra na cbo
Ufólogo, instrutor de yoga e outras 17 ocupações são incluídas na CBO