seguranca-para-policiais-penais-sindcop-visita-empresa-de-raio-x

Segurança para policiais penais: Sindcop visita empresa de raio-X e faz pedido à Fundacentro

Dirigentes do Sindcop de São Paulo (Sindicato dos Policiais Penais e Trabalhadores do Sistema Penitenciário Paulista) visitaram na semana passada a empresa VMI Security, que atua com equipamentos com tecnologia de raio-X para inspeção não invasiva de pessoas, cargas e objetos, e que operará no sistema penitenciário do estado nos próximos anos.

De acordo com o presidente do Sindcop, Gilson Pimentel Barreto, a empresa já começou a instalar scanners corporais nos presídios e apresentou seus equipamentos aos representantes dos policiais penais e trabalhadores do sistema prisional, que esperam que as tecnologias contribuam para mais segurança em seu trabalho.

O principal objetivo da visita foi conhecer mais sobre a utilização e manutenção do equipamento, principalmente sobre a questão da segurança dos servidores penitenciários, população carcerária e visitantes das unidades prisionais.

“É uma empresa que investe muito em pesquisa e inovação tecnológica, que entendemos que é muito útil para o sistema prisional. Nos mostraram com muita propriedade os produtos com que trabalham”, contou Barreto.

O secretário do Sindcop e secretário dos Trabalhadores em Segurança da CSB, Carlos Neves, também ficou satisfeito com a apresentação e acredita que os equipamentos vão colaborar para maior segurança para os trabalhadores nos presídios.

“A visita na VMI Security foi extremamente importante para conhecer o tipo de equipamento que a empresa está levando para o sistema penitenciário de São Paulo. A visita também ajudou a aumentar o conhecimento sobre equipamentos de radiação ionizante, cuidados, medição radiológica e normas para melhorar o trabalho de prevenção de acidentes de trabalho pelo Sindcop. O foco é a proteção da vida e da saúde dos usuários, dos servidores que operam estes equipamentos”, afirmou.

Pedido do Sindcop à Fundacentro

No mês passado, o diretor de Comunicação do Sindcop, Magno Alexandre Freire Cirino, e o diretor de Assuntos Jurídicos, Carlos Piotto, estiveram reunidos em Campinas com o presidente da Fundacentro (Fundação Jorge Duprat Figueiredo, de Segurança e Medicina do Trabalho), Pedro Tourinho para pedir que a instituição crie critérios de avaliação ocupacional no uso de equipamentos de inspeção corporal e de bagagem com tecnologia baseada em raio-X para a segurança pública.

O presidente da Fundacentro assinou um requerimento manifestando apoio incondicional da instituição na proposta apresentada pelo Sindcop e a demanda será objeto de estudo do órgão.

Vinculada ao Ministério do Trabalho, a instituição é responsável por promover estudos e pesquisas das condições nos ambientes de trabalho e pela criação das Normas de Higiene Ocupacional (NHO).

Pedro Tourinho tomou posse como presidente da Fundacentro em 28 de abril, no Dia Mundial em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho, num evento que teve a participação de sindicatos, centrais sindicais, estudiosos, faculdades e entidades que discutiram sobre a necessidade de aprimorar a prevenção de acidentes de trabalho.

“É importante o retorno e reconstrução da Fundacentro na ajuda nos estudos e soluções para prevenção e acidentes de trabalho de todos os tipos, uma vez que muitas categorias não tem regulamentação ou regras que protejam os trabalhadores. Lembrando que trabalho, saúde e segurança, inclusive no trabalho, é direito humano”, disse Carlos Neves após o encontro.

Escâneres sem manutenção no sistema penitenciário de São Paulo

Em resposta a um pedido do sindicato, o deputado estadual Paulo Reis enviou um requerimento ao secretário de Administração Penitenciária, Marcello Streifinger, pedindo informações sobre a utilização de escâneres de retrodispersão nas penitenciárias de São Paulo. Além disso, o documento questiona sobre a possível relação entre a ausência de manutenção dos equipamentos e problemas de saúde dos servidores da Pasta.

O pedido destaca que as medidas de proteção dos trabalhadores que lidam com esses equipamentos devem incluir controles físicos e administrativos, limitação de acesso e sinais de alerta, programas de proteção individual e vigilância médica, visando manter os níveis de exposição dos trabalhadores dentro das normas estabelecidas.

Leia também: Servidores da ANM aprovam indicativo de greve e denunciam precariedade

Compartilhe:

Leia mais
discurso lula OIT
Em discurso na OIT, Lula destaca precarização e informalidade como desafios para justiça social
Antonio Neto CSB na OIT 12-06-24
Antonio Neto na OIT: Tecnologias disruptivas podem ser oportunidade para os trabalhadores
Centrais sindicais apresentam denúncia contra governo do Paraná à OIT
Centrais denunciam governo do Paraná na OIT por repressão de greve de professores
FGTS correção inflação decisão stf
Acordo entre centrais e AGU prevalece no STF: FGTS deverá ter correção mínima pela inflação
miguel torres discurso centrais sindicais oit
Centrais pedem fim do golpismo no Brasil em discurso dos trabalhadores na OIT
Luiz Marinho discursa na OIT 2024
Na OIT, Luiz Marinho defende sindicatos e taxação de grandes fortunas
vigilantes niterói ato 13 de junho
Vigilantes de Niterói convocam ato por mais segurança para mulheres da categoria
vinicolas-no-rs-tinham-200-pessoas-em-condicoes-analogas-a-escravidao
Auditores fiscais do Trabalho repudiam fala de dirigente da CNA sobre trabalho escravo
assembleia rodoviários pelotas 10-6-2024
Rodoviários de Pelotas começam a negociar acordos em cenário após enchentes
Comitiva da CSB com ministro Luiz Marinho na Conferência da OIT 2024
Em reunião do Brasil na OIT, empresário diz que Bolsa Família atrapalha mão de obra