Governo enviará ao Congresso proposta que muda regras do saque-aniversário do FGTS

Em reunião ministerial nesta quarta-feira (13) comandada pelo presidente Lula o governo decidiu que enviará ao Congresso um projeto para modificar as regras do saque-aniversário do FGTS. A informação foi revelada ao Valor Econômico por uma fonte que participou da negociação.

O projeto foi elaborado pelo Ministério do Trabalho – que cogitou propor a extinção do saque-aniversário – mas havia travado na Casa Civil, que esperava a chancela do ministro da Fazenda, Fernando Haddad, e do presidente.

Com o aval, o texto acordado permite que o trabalhador que aderiu ao saque-aniversário retire o saldo do FGTS também em caso de demissão sem justa causa.

Segundo a regra atual, quem aderiu à modalidade só pode acessar os 40% da multa rescisória. O trabalhador pode optar por voltar ao modelo tradicional do FGTS, mas o saldo total continua inacessível por dois anos.

Na manhã da quarta-feira, antes da reunião, o ministro do Trabalho, Luiz Marinho, falou em entrevista ao programa “Bom Dia, Ministro” do Empresa Brasileira de Comunicação (EBC) que o projeto corrigiria “uma grande injustiça”.

“O que vamos encaminhar ao Congresso é a correção de uma grande injustiça que o saque-aniversário trouxe ao trabalhador que aderiu ao sistema e, eventualmente, foi demitido e ficou desempregado. Não poder acessar o fundo de garantia porque aderiu ao outro benefício é uma contradição, é inconstitucional, na minha visão. O fundo é do trabalhador e vem para socorrê-lo do desemprego”, afirmou.

A ideia do governo é que as novas regras sejam válidas retroativamente, ou seja, que quem já aderiu ao saque-aniversário também possa ter acesso ao saldo total nas condições estabelecidas tradicionalmente pela Caixa.

A reunião sobre o tema foi realizada no gabinete de Lula e contou com a presença dos ministros Luiz Marinho, Rui Costa (Casa Civil), Fernando Haddad (Fazenda) e da presidente da Caixa Econômica Federal, Rita Serrano.

O governo calcula que as retiradas do fundo podem ser de aproximadamente R$ 14 bilhões caso todos os trabalhadores demitidos que já optaram pelo saque-aniversário resolvam sacar o restante do saldo do FGTS.

Fundo de Investimento do FGTS

Ainda nesta quarta, durante reunião do Conselho Curador do FGTS, Marinho defendeu também a revitalização do FI-FGTS (Fundo de Investimento do FGTS) como novo operador do fundo, que hoje é a Caixa.

“Estamos em um novo momento e a Caixa deve olhar com muito carinho e cuidado o potencial de investimento que o FI-FGTS tem”, disse na reunião.

Ele argumentou que quando o FI-FGTS foi criado, em 2007, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) tentou se habilitar como o administrador do fundo, mas o governo optou pela Caixa na época. Para o ministro, porém, o debate pode ser reaberto.

Com informações de: Valor e Folha de S.Paulo

Foto: Rafa Neddermeyer/Agência Brasil

Compartilhe:

Leia mais
mpt recomendação contadores contribuição sindicatos
Contador não pode incentivar oposição à contribuição sindical, orienta MPT
CSB no Forum Interconselhos 2024
Governo retoma Fórum Interconselhos com G20 Social e Plano Clima em foco; CSB participa
reuniões centrais sindicais 16 e 18 julho
Centrais realizam reuniões por região nos dias 16 e 18 de julho sobre agenda legislativa; participe
reunião CNT 10-7-24
CNT discute ação coordenada diante de transformações no mercado de trabalho
Ernesto e Álvaro CSN reunião Consea
CSB indicará nome para substituir Lino de Macedo no Conselho de Segurança Alimentar
protesto servidores Ipsemg 9-7-24
Em meio a protestos dos servidores, projeto sobre Ipsemg tem votação adiada
ministro do trabalho luiz marinho saqui aniversário fgts
Ministro do Trabalho quer fim do bloqueio do FGTS para quem optou por saque-aniversário
regra-nas-relacoes-de-trabalho-clemente-ganz-lucio
Clemente Ganz: Negociação coletiva e a estratégia de desenvolvimento produtivo
Projeto de lei motoristas em apps
Centrais sindicais criticam alterações em projeto de motoristas em apps
Protesto servidores Ipsemg
Sindicato dos Servidores do Ipsemg convoca para protesto contra projeto sobre o Instituto