Por regularização de movimentadores, Sintracamp e Ceasa se reúnem em Campinas

Próxima reunião acontece no Ministério Público do Trabalho (MPT), ainda no mês de novembro

 

Representantes do Sindicato Único da Categoria Profissional Diferenciada dos Empregados e dos Trabalhadores Avulsos não Portuários Marítimos da Atividade de Movimentação de Mercadorias em Geral, Transbordo de Cargas e Descargas de Campinas e Região (Sintracamp), da Centrais de Abastecimento de Campinas (Ceasa) e da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB) se reuniram na manhã desta terça-feira (9), na sede da autarquia, para tratar dos próximos passos da regularização dos movimentadores de mercadorias, que ainda não estão trabalhando de acordo com a Lei 12.023/2009.

 

Uma nova reunião deve acontecer ainda no mês de novembro, na sede do Ministério Público do Trabalho (MPT), em Campinas.

 

Para o presidente do Sintracamp, Mosair Ribeiro do Nascimento, essa reunião foi mais um importante passo na conquista dos direitos trabalhistas para os aproximadamente 600 trabalhadores, que hoje atuam no Ceasa de Campinas como autônomos.

 

“A reunião foi positiva, os membros do Ceasa foram bem receptivos. No próximo encontro já devemos saber quais serão as diretrizes e como serão as mudanças dentro do Ceasa”, disse Nascimento.

Após essas mudanças, os movimentadores que trabalham como autônomos serão classificados como avulsos e seguirão a Lei 12.023/2009. Com isso, os trabalhadores garantirão seus direitos como férias, 13º salário, FGTS, vale transporte, entre outros benefícios, sem redução do seu ganho.

Além dos direitos trabalhistas, os movimentadores poderão usufruir de benefícios como cursos profissionalizantes, cursos de qualificação, convênios médico e odontológico.

Representada pelo seu Secretário de Saúde do Trabalho Francisco Erivan Pereira, a CSB tem realizado um importante papel no andamento dessas regularizações.

“Estamos ajudando nas articulações políticas dessas reuniões e na aproximação entre as lideranças, no sentido de mostrar o que é correto, e a melhor maneira de fazer as mudanças, de forma que não seja traumática”, explicou Erivan.

“Como uma entidade nacional, a CSB dá mais prestígio na hora de sentar e negociar. A entidade passa mais seriedade para o movimento”, completou o presidente do Sintracamp.

Após encontro no MPT, Sindicato, CSB e Ceasa devem se reunir com trabalhadores para explicar como acontecerão as transições e de que maneira eles devem se beneficiar com as mudanças, que devem acontecer no prazo máximo de 60 dias.

Compartilhe:

Leia mais
adolescentes trabalho escravo colheita batatas cerquilho sp
Operação resgata 13 adolescentes de trabalho escravo em colheita de batatas em SP
sindicam-ba filia-se csb
Sindicato dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens da Bahia filia-se à CSB
Parceria Brasil-EUA contra calor extremo trabalhadores
Parceria Brasil-EUA pelos Trabalhadores e OIT unem esforços contra riscos do calor extremo
BNDES abre concurso 2024 veja edital
BNDES abre concurso com 150 vagas e salário inicial de R$ 20 mil; acesse edital
pesquisa jornada flexivel trabalho híbrido
Flexibilidade de jornada é prioridade para 30% dos trabalhadores no Brasil
csb-mt sinpaig redução jornada assistentes sociais cuiabá
CSB-MT e servidores de Cuiabá celebram redução da jornada para assistentes sociais
greve por redução de jornada
Três projetos sobre redução da jornada tramitam no Senado; conheça cada um
livro mpt conalis direito coletivo do trabalho
MPT abre seleção de artigos para livro sobre direito coletivo do trabalho; veja regras
reunião fessergs reestruturação carreiras servidores rs
Servidores do RS pedem mais tempo para debater projetos de reestruturação de carreiras
Diretoria sindicato rodoviarios caxias do sul
Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Caxias do Sul (RS) reelege diretoria