Parceria entre Sintraf-Nova Olinda e Minha Casa, Minha Vida Rural beneficia trabalhadores do campo

Casas construídas pelo projeto já proporcionam moradia digna para 50 famílias de agricultores do Cariri, no Ceará

O município de Nova Olinda, no Ceará, foi beneficiado com a construção de 50 casas do projeto Minha Casa, Minha Vida Rural, do Ministério das Cidades. O projeto já entregou 15 casas, irá entregar mais 25 e 10 estão na fase do projeto. A iniciativa é uma parceria da Caixa Econômica Federal com o Sindicato dos Trabalhadores na Agricultura Familiar de Nova Olinda (Sintraf-Nova Olinda), entidade filiada à CSB.

SAM_2042Há 4 anos o Sintraf é a entidade organizadora do programa no município. “Para o sindicato, Minha Casa, Minha Vida Rural é motivo de orgulho. Nós estamos transformando a realidade das famílias beneficiadas. Nosso projeto é que, com o apoio da CSB, nós possamos levar moradia digna a todo agricultor familiar, em qualquer cidade do Brasil. Um projeto que não saiu de políticos ou partidos, mas dos trabalhadores”, disse Andreia Silva, presidente do Sintraf.

Segundo a dirigente, esse projeto resgata os benefícios  à população rural. “Esse é o programa que Nova Olinda precisava para avançarmos a passos largos. Me sinto extremamente gratificada pelo esforço de todos que contribuíram para que o projeto fosse realizado com êxito.  Hoje são 50 famílias beneficiadas, mas não iremos parar por aqui”, afirmou.

Andreia lembrou que o sindicato tem o objetivo de construir mais 100 casas no município. “Tudo isso é resultado do reforço do Sintraf. Essa ação beneficia o município, traz investimento e fixa o produtor local na zona rural. O agricultor precisa estar mais assistido e cuidado. Fazemos isso por meio dos cursos de capacitação rural, promoção social e entendemos que – agindo dessa forma, com essas ações – vamos segurar o produtor no campo, valorizando seu trabalho e minimizando o êxodo rural. Isso é importante”, explicou.

Minha Casa, Minha Vida Rural

A meta do Plano Nacional de Habitação Rural (PNHR), no qual o Minha Casa, Minha Vida Rural é apenas um dos programas, é entregar casas em áreas rurais do Brasil. O Ministério das Cidades é o gestor da aplicação dos recursos que são repassados pelo Ministério da Fazenda. O agente financeiro de Nova Olinda é a Caixa Econômica Federal, que assina os contratos diretamente com os beneficiários das moradias rurais. O Sindicato dos Trabalhadores na Agricultura Familiar de Nova Olinda é responsável pela organização dos empreendimentos, das pessoas que poderão ser beneficiadas, da viabilização da documentação necessária e devidas orientações no processo.

Antes do programa Minha Casa, Minha Vida Rural
Antes do programa Minha Casa, Minha Vida Rural
20150127_174618
Depois do programa

 

Os subsídios do Governo Federal são de R$ 28,5 mil por casa. O beneficiário paga apenas 4% do valor, que é devolvido ao governo em 4 parcelas anuais de R$ 285. Além disso, agricultor familiar, trabalhador rural e trabalhador rural aposentado precisam apresentar comprovação de renda de até R$ 15 mil anuais, documentação de terra e documentação pessoal.

“O que o trabalhador paga pela casa é muito pouco. Não conseguiríamos construir uma casa com R$ 1.140,00. Esse programa mudou totalmente a vida das famílias beneficiadas. Muitos agricultores que conquistaram a casa puderam investir mais na plantação, os jovens estão estudando. Fora a qualidade de vida, pois muitas casas eram feitas de taipa, o que atrai muitos insetos”, disse Andreia.

Compartilhe:

Leia mais
STF reverte reforma previdência para servidores
STF forma maioria para reverter pontos da Reforma da Previdência para servidores
Imagem CSB (28)
CSB NA 112ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO - OIT 2024
Sticmpel campanha salarial 2024-2025
Trabalhadores da Construção e Mobiliário de Pelotas iniciam campanha salarial 2024/2025
Apoio Financeiro a trabalhadores empresas calamidade RS
Governo abre cadastro para Apoio Financeiro a trabalhadores atingidos por calamidade no RS
home office trabalho híbrido estudo
Trabalho híbrido melhora satisfação no emprego e não afeta produtividade, diz estudo
reunião centrais rs e oit
Centrais e OIT discutem impacto das enchentes no mercado de trabalho do RS
plano erradicação trabalho escravo será atualizado
Plano para Erradicação do Trabalho Escravo será atualizado após 16 anos
podcast fetrarod
Fetrarod lança podcast para discutir temas de interesse dos rodoviários; assista aqui
Manifesto contra PL do estupro
Mulheres sindicalistas divulgam manifesto contra PL do Estupro (PL 1904/24)
Nota das centrais selic
Centrais pedem redução dos juros: "por desenvolvimento com justiça social"