centrais-sindicais-pacto-brasil-eua-pelos-trabalhadores

Neto sobre pacto Brasil-EUA pelos trabalhadores: “Que seja um freio à precarização”

Na tarde desta quarta-feira (20), o presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, e o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, lançaram a Parceria pelos Direitos dos Trabalhadores, em Nova York, junto a lideranças sindicais, dirigentes da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e representantes dos governos dos dois países.

“Os trabalhadores e os seus sindicatos lutaram pela proteção no local de trabalho, pela justiça na economia e pela democracia nas nossas sociedades – eles estão no centro das economias dinâmicas e do mundo saudável e sustentável que procuramos construir para os nossos filhos. Face aos complexos desafios globais, desde as alterações climáticas ao aumento dos níveis de pobreza e à desigualdade econômica, devemos colocar os trabalhadores no centro das nossas soluções políticas”, diz trecho da declaração conjunta divulgada pelos dois países.

Veja aqui a íntegra da declaração.

Em seu discurso de abertura da 57ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas, o presidente Lula fez uma ofensiva contra a precarização trabalhista praticadas pelas empresas de aplicativo as que, segundo ele, tentam “abolir os direitos trabalhistas duramente conquistados”.

O pacto assinado por Brasil e EUA estabelece esforços pela promoção das negociações coletivas, o combate às subcontratações, terceirizações e o emprego precário, além do fortalecimento dos sindicatos.

Mais cedo nesta quarta, o presidente da CSB e do Sindpd-SP (Sindicato dos Trabalhadores em Tecnologia da Informação de São Paulo), Antonio Neto participou de uma reunião para falar sobre  trabalho decente junto com os outros presidentes das centrais sindicais brasileiras, sindicalistas americanos, o diretor-geral da OIT, Gilbert F. Houngbo, a representante especial para assuntos trabalhistas internacionais do Departamento de Estado Americano, Kelly Fay Rodriguez, e o ministro do Trabalho do Brasil, Luiz Marinho.

Em sua fala, Neto fez duras críticas às chamadas big techs e à precarização do trabalho em Tecnologia da Informação:

“Estamos vivenciando uma verdadeira pandemia de precarização nas relações trabalhistas, causada pelas plataformas digitais e as big techs. O mundo acompanha com perplexidade demissões em massa promovidas por essas gigantes, com o objetivo de reduzir salários, eliminar direitos e desregular o mercado de trabalho’, afirmou.

Presidente do maior sindicato de TI da América Latina, ele criticou a precarização promovida pelas gigantes de tecnologia no Brasil e nos EUA.

“Espero que iniciativas como esta coloquem um freio em empresas como as Big Techs, a IBM, a Amazon, a BairesDev e todas que atuam como se estivessem acima das leis, operando com desrespeito à legislação trabalhista e tributária, utilizam-se de práticas antissindicais, explorando nossa mão de obra e promovendo uma concorrência desleal na prestação de serviços tanto em nosso país quanto nos EUA. ”

Em sua fala, Antonio Neto, que foi delegado dos trabalhadores brasileiros na Conferência Internacional do Trabalho da OIT em 2022, lembrou que apresentou um pedido para a criação de uma Convenção Internacional para regulamentar o trabalho em plataformas digitais.

“Com o controle da informação em massa e o poder econômico, essas empresas promovem uma falsa ideia de empreendedorismo e ‘novos modelos de trabalho’, que não passam de uma nova forma de explorar a mão de obra e perpetuar a precarização. Um trabalhador que tem sua mão de obra intermediada por um aplicativo não deixa de ser um trabalhador agrícola, assim como era aquele sob regime escravagista na agricultura.”

Veja também: CSB acompanha lançamento de aliança Lula-Biden pelos direitos dos trabalhadores

Compartilhe:

Leia mais
discurso lula OIT
Em discurso na OIT, Lula destaca precarização e informalidade como desafios para justiça social
Antonio Neto CSB na OIT 12-06-24
Antonio Neto na OIT: Tecnologias disruptivas podem ser oportunidade para os trabalhadores
Centrais sindicais apresentam denúncia contra governo do Paraná à OIT
Centrais denunciam governo do Paraná na OIT por repressão de greve de professores
FGTS correção inflação decisão stf
Acordo entre centrais e AGU prevalece no STF: FGTS deverá ter correção mínima pela inflação
miguel torres discurso centrais sindicais oit
Centrais pedem fim do golpismo no Brasil em discurso dos trabalhadores na OIT
Luiz Marinho discursa na OIT 2024
Na OIT, Luiz Marinho defende sindicatos e taxação de grandes fortunas
vigilantes niterói ato 13 de junho
Vigilantes de Niterói convocam ato por mais segurança para mulheres da categoria
vinicolas-no-rs-tinham-200-pessoas-em-condicoes-analogas-a-escravidao
Auditores fiscais do Trabalho repudiam fala de dirigente da CNA sobre trabalho escravo
assembleia rodoviários pelotas 10-6-2024
Rodoviários de Pelotas começam a negociar acordos em cenário após enchentes
Comitiva da CSB com ministro Luiz Marinho na Conferência da OIT 2024
Em reunião do Brasil na OIT, empresário diz que Bolsa Família atrapalha mão de obra