Deputados aprovam reajuste de 9% do salário mínimo regional do RS; confira valores

Após intensa mobilização das centrais sindicais, a Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul aprovou nesta semana o reajuste de 9% do salário mínimo regional do RS. O projeto de lei 290/2023, de autoria do governo do estado, foi aprovado pelo plenário por 47 votos a dois. Com isso, o piso regional passará a ser de R$ 1.573,94 a R$ 1.994,56, a depender da categoria profissional.

Representantes da CSB e das demais centrais sindicais estiveram presentes no momento da votação no plenário e durante toda a tramitação do projeto nas comissões, que adiaram a aprovação da proposta diversas vezes por pressão patronal.

Relacionada: Em meio à pressão das centrais, comissão aprova reajuste do piso regional do RS

Foi aprovada também, por 37 votos a 12, uma emenda do deputado Gustavo Victorino (Republicanos) que determina que a data-base para o reajuste será o dia da publicação da lei aprovada pelo parlamento.

Foram apresentadas três outras emendas ao projeto que não foram votadas por requerimento de preferência para o texto do projeto de lei e para a emenda do deputado do Republicanos. Umas das emendas propunha um reajuste de 13% e instituía o dia 1º de fevereiro como data-base.

Apesar de votarem pela aprovação do projeto, deputados da oposição criticaram a proposta do governo, alegando que ela não garante a recuperação das perdas ocasionadas durante os governos de Eduardo Leite.

O deputado Miguel Rossetto (PT) defendeu a emenda apresentada por seu partido aumentava o percentual de reajuste para 13%, argumentando que o piso é um mecanismo de distribuição de renda e justiça social. “A política de desvalorização do piso gerou pobreza e desequilíbrio no Rio Grande do Sul”, afirmou.

No mesmo sentido de considerar o projeto insuficiente, o deputado Matheus Gomes (PSOL) lembrou que o reajuste zero do piso em 2020 até hoje tem impacto negativo na condição salarial da população gaúcha.

Um exemplo disso foi dado pelo deputado Pepe Vargas (PT), que afirmou que o piso regional no governo Leite teve o pior resultado da história. “No início do governo, o piso comprava 2,75 cestas básicas. Hoje, compra apenas 1,95”, comparou.

O único a se manifestar contra o piso – não apenas ao reajuste – foi o deputado Felipe Camozzato (Novo). Ele alegou que o piso aumenta a informalidade e reduz a geração de empregos e defendeu a extinção do mínimo regional.

Valores

As cinco faixas do salário mínimo regional do RS passarão a ter os seguintes valores:

Faixa 1: R$ 1573,89

Faixa 2: R$ 1610,13

Faixa 3: R$ 1646,65

Faixa 4: R$  1711,69

Faixa 5: R$ 1994,56

Com informações de Agência de Notícias Alergs

Foto 1: Celso Bender

Compartilhe:

Leia mais
reunião CNT 10-7-24
CNT discute ação coordenada diante de transformações no mercado de trabalho
Ernesto e Álvaro CSN reunião Consea
CSB indicará nome para substituir Lino de Macedo no Conselho de Segurança Alimentar
protesto servidores Ipsemg 9-7-24
Em meio a protestos dos servidores, projeto que altera regras do Ipsemg tem votação adiada
ministro do trabalho luiz marinho saqui aniversário fgts
Ministro do Trabalho quer fim do bloqueio do FGTS para quem optou por saque-aniversário
regra-nas-relacoes-de-trabalho-clemente-ganz-lucio
Clemente Ganz: Negociação coletiva e a estratégia de desenvolvimento produtivo
Projeto de lei motoristas em apps
Centrais sindicais criticam alterações em projeto de motoristas em apps
Protesto servidores Ipsemg
Sindicato dos Servidores do Ipsemg convoca para protesto contra projeto sobre o Instituto
Ministro Carlos Lupi e José Avelino Pereira Sinab CSB
Presidente do Sinab assume posto no Conselho Nacional de Previdência Social
destruição enchente rs auxilio financeiro
Mais de 5,6 mil trabalhadores domésticos no RS podem pedir auxílio financeiro; saiba como
img-inscricao-concurso-publico-vagas-para-ti
Encerram hoje (4/7) inscrições para concurso do Ministério da Gestão; salário de R$ 8,3 mil