WhatsApp-Image-20160526-e1464616515155

CSB propõe ao Ministério das Cidades criação de GT para discutir o programa “Minha Casa Minha Vida”

Reunião assegurou organização de agenda para próximos encontros com a pasta

Em reunião com representantes do Ministério das Cidades, dirigentes da CSB debateram junto ao governo uma das principais bandeiras de luta da Central: a ampliação de políticas públicas habitacionais. Durante o encontro, que aconteceu na última segunda-feira, em Brasília, a CSB reivindicou a criação de um Grupo de Trabalho (GT) para discutir a implantação de todas as fases do programa “Minha Casa Minha Vida”.

Com o objetivo de encontrar soluções para o enorme déficit habitacional ainda existente no País, o secretário dos Trabalhadores na Agricultura Familiar e Cooperativismo da CSB, Gedir Santos Ferreira, destacou a importância de expandir a discussão acerca do tema com as seis maiores centrais sindicais do Brasil. Para Ferreira, sem um “amplo debate”, é impossível transpor os obstáculos ao desenvolvimento do programa.

“É necessário que sejam adotadas medidas inovadoras no sentido de inibir o maior entrave do Programa, que são as fraudes e a corrupção. E isto só será possível com a construção de um combate sistêmico por meio de um amplo debate envolvendo governo, entidades e beneficiários representados pelas centrais sindicais. Não podemos permitir a interrupção de um programa de tamanha envergadura e relevância”, enfatiza o dirigente.

O secretário da CSB ainda ressaltou a falta de informações e esclarecimentos a respeito do “Minha Casa Minha Vida”, salientando a preocupação com o não cumprimento do compromisso assegurado pela gestão de Dilma Rousseff. No lançamento da terceira etapa do programa, a então presidente da República e o ministro Gilberto Kassab anunciaram a alocação total dos recursos da área voltados ao programa – uma incerteza no atual governo.

“O movimento sindical e os beneficiários experimentaram simultaneamente dois sentimentos: o primeiro, de euforia pelo anúncio da etapa 3 do programa; e o segundo, de frustração e desalento com o anúncio da paralisação do maior projeto habitacional do mundo”, afirmaram os sindicalistas que participaram da reunião. Além de Ferreira, estiveram presentes no encontro o secretário de Organização e Mobilização da CSB, Itamar Kunert, o assessor jurídico da Secretaria dos Trabalhadores na Agricultura Familiar da Central, Lucas Laudano, e o assessor parlamentar da Entidade, Ernesto Pereira.

Representada pelo chefe de gabinete do Ministério das Cidades, Tarcísio Bastos Cunha, e pela diretora nacional de Urbanização e Entidades, Alessandra D’avila, a pasta garantiu que os projetos contratados à terceira fase do programa estão assegurados e informou que as milhares de demandas vistoriadas e diagnosticadas não possuem previsão para a contratação. Ainda assim, o Ministério se comprometeu a organizar uma agenda para futuras discussões sobre o tema com a presença do ministro Bruno Araújo.

A coordenadora da Secretaria dos Trabalhadores na Agricultura Familiar e Cooperativismo, Andréia Silva, e o companheiro João Batista também foram nomes relembrados pelos dirigentes que estão na luta por condições habitacionais dignas a todos trabalhadores brasileiros.

Compartilhe:

Leia mais
discurso lula OIT
Em discurso na OIT, Lula destaca precarização e informalidade como desafios para justiça social
Antonio Neto CSB na OIT 12-06-24
Antonio Neto na OIT: Tecnologias disruptivas podem ser oportunidade para os trabalhadores
Centrais sindicais apresentam denúncia contra governo do Paraná à OIT
Centrais denunciam governo do Paraná na OIT por repressão de greve de professores
FGTS correção inflação decisão stf
Acordo entre centrais e AGU prevalece no STF: FGTS deverá ter correção mínima pela inflação
miguel torres discurso centrais sindicais oit
Centrais pedem fim do golpismo no Brasil em discurso dos trabalhadores na OIT
Luiz Marinho discursa na OIT 2024
Na OIT, Luiz Marinho defende sindicatos e taxação de grandes fortunas
vigilantes niterói ato 13 de junho
Vigilantes de Niterói convocam ato por mais segurança para mulheres da categoria
vinicolas-no-rs-tinham-200-pessoas-em-condicoes-analogas-a-escravidao
Auditores fiscais do Trabalho repudiam fala de dirigente da CNA sobre trabalho escravo
assembleia rodoviários pelotas 10-6-2024
Rodoviários de Pelotas começam a negociar acordos em cenário após enchentes
Comitiva da CSB com ministro Luiz Marinho na Conferência da OIT 2024
Em reunião do Brasil na OIT, empresário diz que Bolsa Família atrapalha mão de obra