CSB-MG marca presença em audiência pública com Luiz Marinho na ALMG

Presidente da CSB-MG defendeu a revogação de retrocessos da reforma trabalhista; ministro do Trabalho endossou pautas dos sindicalistas e pediu apoio da sociedade

Diretores da CSB-MG representaram a Central na audiência pública realizada nesta segunda-feira (5) na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, em Belo Horizonte.

A audiência contou com a presença do ministro do Trabalho, Luiz Marinho, e foi proposta pelos deputados Roberto Cupolilo (PT) e Celinho do Sintrocel (PCdoB).

Na ocasião, o presidente da CSB-MG, Cosme Nogueira, destacou como prioridade a revogação dos retrocessos da reforma trabalhista de 2017, que levou milhões de trabalhadores à informalidade e à extrema pobreza, a regulamentação da negociação coletiva no setor público (Convenção 151 da OIT) e uma forma de financiamento das atividades das entidades sindicais.

“É preciso equilibrar a balança nas relações de trabalho, e a reorganização das entidades sindicais será fundamental para o governo no enfrentamento das forças reacionárias que são maioria no Congresso Nacional”, afirmou Nogueira.

Marinho classificou a atual composição do parlamento federal como “arcaica” e conclamou o movimento sindical mineiro e nacional a se unir ao esforço para sensibilizar a sociedade brasileira, para pressionar o Congresso Nacional na aprovação de medidas em prol de causas prioritárias para o trabalhador.

Dentre elas estão medidas para combater o trabalho análogo à escravidão, como a expropriação de propriedades, e a revisão de retrocessos provocados pelas reformas trabalhistas e da Previdência.

“Estamos num momento de reconstrução do país e para isso acontecer necessariamente passa por boa parte do que foi pedido aqui, que também deve ser aprovado pelo Congresso. O resultado das eleições mostrou a divisão extremada da nossa sociedade e, se dependesse do nosso desejo, teríamos um congresso bem diferente do que este que está aí”, falou.

“O respaldo do governo Lula não pode ser dar apenas na relação com o Congresso, mas com o apoio dos movimentos sociais. Se desejamos reestruturar as relações sindicais, fortalecer o papel dos sindicatos e das centrais sindicais, rever aspectos da reforma trabalhista e previdenciária, precisamos de mobilização, negociação e a construção de entendimentos. Se isso não for feito, não vai andar no Congresso”, prosseguiu o ministro.

Centenas de sindicalistas do estado compareceram à audiência. Alguns membros da CSB que também estiveram presentes foram os diretores Cláudio Cacau e Abadia do Sisipisemg, além dos militantes e diretores do Sinserpu-JF Rozivaldo Gervásio, Ivan Cararina e José Laureano (Goiaba).

Fotos: Divulgação/CSB-MG

Leia também: Ministro do Trabalho defende negociação coletiva e sindicatos fortes em evento no RJ

Compartilhe:

Leia mais
mpt recomendação contadores contribuição sindicatos
Contador não pode incentivar oposição à contribuição sindical, orienta MPT
CSB no Forum Interconselhos 2024
Governo retoma Fórum Interconselhos com G20 Social e Plano Clima em foco; CSB participa
reuniões centrais sindicais 16 e 18 julho
Centrais realizam reuniões por região nos dias 16 e 18 de julho sobre agenda legislativa; participe
reunião CNT 10-7-24
CNT discute ação coordenada diante de transformações no mercado de trabalho
Ernesto e Álvaro CSN reunião Consea
CSB indicará nome para substituir Lino de Macedo no Conselho de Segurança Alimentar
protesto servidores Ipsemg 9-7-24
Em meio a protestos dos servidores, projeto sobre Ipsemg tem votação adiada
ministro do trabalho luiz marinho saqui aniversário fgts
Ministro do Trabalho quer fim do bloqueio do FGTS para quem optou por saque-aniversário
regra-nas-relacoes-de-trabalho-clemente-ganz-lucio
Clemente Ganz: Negociação coletiva e a estratégia de desenvolvimento produtivo
Projeto de lei motoristas em apps
Centrais sindicais criticam alterações em projeto de motoristas em apps
Protesto servidores Ipsemg
Sindicato dos Servidores do Ipsemg convoca para protesto contra projeto sobre o Instituto