chile-reduz-jornada-semanal-de-trabalho-para-40-horas-400x255-1

Chile inicia redução da jornada de trabalho conforme “lei das 40 horas”

Foi iniciada na última sexta-feira (26) no Chile a primeira etapa da lei aprovada no ano passado que reduz gradualmente a jornada de trabalho no país. A partir de agora, a jornada de trabalho pode ser de no máximo 44 horas semanais, uma hora a menos do que o permitido até a semana passada.

A “lei das 40 horas” estabelece que as horas de trabalho serão reduzidas a cada ano até 2028, quando chegará ao máximo de 40 horas semanais. Além disso, existe agora a possibilidade de trabalhar 4 dias na semana descansar três, enquanto a legislação antiga obrigava a distribuição da carga horária em 5 dias.

Quando atingir o marco de 40 horas semanais, o Chile terá a menor carga horária da América Latina juntamente com o Equador. A jornada de até 40 horas é também o limite recomendado pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), mas já foi até superada em diversos países europeus, que adotam jornadas menores como uma forma de gerar mais empregos e melhorar a qualidade de vida da população.

“Há cinco ou seis anos [a redução da jornada] parecia impossível. Todos aqueles mitos, todos aqueles fantasmas que foram construídos ao mesmo tempo para apontar a redução da jornada de trabalho como impossível ficaram para trás”, disse a ministra porta-voz do governo, Camila Vallejo, que foi uma das autoras do projeto apresentado em 2017, quando era parlamentar. “O país avança e avançou graças ao impulso dos trabalhadores”, ressaltou.

As autoridades enfatizaram que a hora a menos não pode afetar os salários dos trabalhadores, nem estar relacionada com a hora do intervalo.

As empresas serão monitoradas em relação à nova lei e aqueles que não a cumprirem estarão sujeitas a sanções e multas por parte da Direção Trabalhista do Chile.

Brasil

No Brasil, a carga horária máxima é de 44 horas semanais desde 1943, quando foi promulgada a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Porém, há décadas sindicatos e movimentos de trabalhadores tentam alterar a legislação para que a jornada seja reduzida para 40 horas.

Apesar disso, diversas categorias de trabalhadores no Brasil já contam com jornada máxima de 40 horas semanais por determinação de sua Convenção Coletiva de Trabalho. É o caso, por exemplo, dos trabalhadores de Tecnologia da Informação de São Paulo, que têm jornada reduzida desde 2011 após mobilização do Sindpd-SP.

Com informações de: CNN

Foto: reprodução

Compartilhe:

Leia mais
discurso lula OIT
Em discurso na OIT, Lula destaca precarização e informalidade como desafios para justiça social
Antonio Neto CSB na OIT 12-06-24
Antonio Neto na OIT: Tecnologias disruptivas podem ser oportunidade para os trabalhadores
Centrais sindicais apresentam denúncia contra governo do Paraná à OIT
Centrais denunciam governo do Paraná na OIT por repressão de greve de professores
FGTS correção inflação decisão stf
Acordo entre centrais e AGU prevalece no STF: FGTS deverá ter correção mínima pela inflação
miguel torres discurso centrais sindicais oit
Centrais pedem fim do golpismo no Brasil em discurso dos trabalhadores na OIT
Luiz Marinho discursa na OIT 2024
Na OIT, Luiz Marinho defende sindicatos e taxação de grandes fortunas
vigilantes niterói ato 13 de junho
Vigilantes de Niterói convocam ato por mais segurança para mulheres da categoria
vinicolas-no-rs-tinham-200-pessoas-em-condicoes-analogas-a-escravidao
Auditores fiscais do Trabalho repudiam fala de dirigente da CNA sobre trabalho escravo
assembleia rodoviários pelotas 10-6-2024
Rodoviários de Pelotas começam a negociar acordos em cenário após enchentes
Comitiva da CSB com ministro Luiz Marinho na Conferência da OIT 2024
Em reunião do Brasil na OIT, empresário diz que Bolsa Família atrapalha mão de obra