3a agenda legislativa centrais sindicais congresso nacional

Centrais sindicais formulam guia de projetos em tramitação no Congresso Nacional

As centrais sindicais lançaram a 3ª edição de sua Agenda Legislativa no Congresso Nacional, elaborada pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap). O objetivo da publicação é oferecer um guia para a atuação das entidades sindicais junto ao Legislativo na construção de políticas públicas.

O documento visa ser uma ferramenta que facilite o diálogo dos sindicalistas com os parlamentares a respeito das propostas em tramitação no Parlamento, uma vez que a presença tanto na Câmara dos Deputados quanto no Senado é fundamental para que os interesses da classe trabalhadora sejam levados em consideração na discussão dos projetos.

Veja também: Centrais lançam guia de ações no STF relevantes para os trabalhadores

Nesta edição, as centrais identificaram 33 proposições como prioritárias para os trabalhadores. A agenda inclui ainda um levantamento que abrange centenas de propostas que também são acompanhadas com atenção pelas entidades sindicais.

Foram levados em consideração os seguintes critérios para classificar as proposições:

  1. chance de tramitação no ano;
  2. alto impacto na sociedade e trabalhadores;
  3. iniciativa do governo e/ou apoiada por setores;
  4. necessidade regulatória;
  5. impacto fiscal – receita e despesa;
  6. possui decisão no judiciário; e
  7. outros critérios relevantes para a análise das propostas.

Além disso, a agenda está organizada em 16 eixos temáticos que abrangem áreas como:

  • estado e servidores;
  • previdência social;
  • negociação coletiva;
  • contratos de trabalho;
  • licença maternidade,
  • paternidade e estabilidade da gestante;
  • trabalho em plataforma;
  • jornada de trabalho;
  • idosos, deficiência e doenças graves;
  • trabalho escravo e infantil;
  • saúde e segurança do trabalhador;
  • remuneração do trabalhador;
  • emprego, demissão e seguro-desemprego;
  • organização, estrutura e custeio sindical;
  • convenções da OIT;
  • cidades e municípios; e
  • agricultura e trabalhadores rurais.

A agenda destaca também as iniciativas em discussão nos grupos de trabalho junto ao Poder Executivo, que podem posteriormente tramitar no Congresso Nacional.

Dentre essas iniciativas, merecem destaque as propostas sobre a regulamentação da reforma tributária, a negociação coletiva tanto no setor público quanto no privado e a regulamentação do modelo de financiamento das entidades sindicais.

Para acessar a agenda, basta fazer o download gratuitamente clicando aqui.

Compartilhe:

Leia mais
miguel torres discurso centrais sindicais oit
Centrais pedem fim do golpismo no Brasil em discurso dos trabalhadores na OIT
Luiz Marinho discursa na OIT 2024
Na OIT, Luiz Marinho defende fortalecimento dos sindicatos e taxação de grandes fortunas
vigilantes niterói ato 13 de junho
Vigilantes de Niterói convocam ato por mais segurança para mulheres da categoria
vinicolas-no-rs-tinham-200-pessoas-em-condicoes-analogas-a-escravidao
Auditores fiscais do Trabalho repudiam fala de dirigente da CNA sobre trabalho escravo
assembleia rodoviários pelotas 10-6-2024
Rodoviários de Pelotas (RS) começam a negociar acordos em novo cenário após enchentes
Comitiva da CSB com ministro Luiz Marinho na Conferência da OIT 2024
Em reunião do Brasil na OIT, empresário diz que Bolsa Família atrapalha mão de obra
carteira vazia contas a pagar salário mínimo
Salário mínimo no BR é menos da metade do valor necessário para garantir vida digna
reajuste salarial TI Paraná
Trabalhadores de TI do Paraná terão 5% de aumento salarial; veja pisos de cada função
assembleia feserp mg
Feserp-MG convoca sindicatos para assembleia de reformulação do estatuto
instrutor de yoga entra na cbo
Ufólogo, instrutor de yoga e outras 17 ocupações são incluídas na CBO