Antonio Neto participa de reunião dos Movimentadores de Mercadorias em Curitiba

Presidente da CSB agradeceu aos trabalhadores e dirigentes da Fentramacag pelo empenho no crescimento da Central e reiterou a luta pela categoria

A Federação Nacional dos Trabalhadores na Movimentação de Mercadorias em Geral (Fentramacag) realizou em 9 de abril uma reunião para discutir questões pertinentes à convenção coletiva da categoria, à ampliação dos direitos e à organização da Federação.

O evento ocorreu na sede da entidade, em Curitiba, e contou com a presença de Raimundo Firmino dos Santos, presidente da Federação, e de Antonio Neto, presidente da CSB.

Raimundo dos Santos agradeceu à Central pelo trabalho e apoio da entidade na defesa da categoria, pela garantia da regulamentação da profissão e pela manutenção dos direitos dos trabalhadores. “Vamos nos empenhar para que cem por cento dos sindicatos dos movimentadores de mercadorias sejam filiados à CSB”, comprometeu-se.

Atualmente, os movimentadores de mercadorias representam uma parcela importante do total de entidades filiadas à Central, fato que corrobora a determinação da entidade na representação dos direitos da categoria.

Regulamentada há quase três anos, a profissão de movimentador ainda apresenta um número alto de trabalhadores informais. Segundo documento entregue ao Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) pelos representantes das federações do setor, mais de dois milhões de trabalhadores não têm registro em carteira.

Antonio Neto deixou claro que o apoio da categoria contribuiu muito para o crescimento da CSB. “É mérito de todos a conquista de mais de 400 sindicatos filiados. E também é muito importante que as conversas com os sindicatos sejam mantidas e aprofundadas para continuarmos nesse processo de ampliação da Central”, defendeu o presidente.

A assessora da CSB, Marta Freitas, também participou da reunião. Ela ministrou uma palestra sobre as novas portarias do MTE, disponíveis no link Legislação do site da Central.

Luta pelos trabalhadores

Após três anos de debate, a Lei 12.023, que dispõe sobre as atividades de movimentação de mercadorias em geral e o trabalho avulso, trouxe importantes conquistas para os trabalhadores, como a diminuição expressiva do número da informalidade nas principais regiões do país e a consolidação de direitos trabalhistas e fortalecimento dos sindicatos. Tais vitórias corroboram o empenho e a luta da CSB em prol da categoria, que durante muitos anos sofreu sem a proteção da lei. A reformulação das condições de trabalho garantiu a vertiginosa queda, de 70 a 80%, no número de trabalhadores informais.

Para 2013, a meta das entidades sindicais, com o apoio da CSB, é retirar da informalidade cerca de 20 mil trabalhadores que ainda sofrem com a precarização do trabalho, contribuindo e lutando para que a categoria erradique esta forma de exploração e enfraquecimento dos direitos dos trabalhadores.

Veja as fotos da reunião

Compartilhe:

Leia mais
Chinelo - Antonio Neto e Cosme Nogueira fundação Fesmig
CSB, Sinab e CSPM celebram criação da Fesmig - Federação dos Servidores de Minas Gerais
STF reverte reforma previdência para servidores
STF forma maioria para reverter pontos da Reforma da Previdência para servidores
Imagem CSB (28)
CSB NA 112ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO - OIT 2024
Sticmpel campanha salarial 2024-2025
Trabalhadores da Construção e Mobiliário de Pelotas iniciam campanha salarial 2024/2025
Apoio Financeiro a trabalhadores empresas calamidade RS
Governo abre cadastro para Apoio Financeiro a trabalhadores atingidos por calamidade no RS
home office trabalho híbrido estudo
Trabalho híbrido melhora satisfação no emprego e não afeta produtividade, diz estudo
reunião centrais rs e oit
Centrais e OIT discutem impacto das enchentes no mercado de trabalho do RS
plano erradicação trabalho escravo será atualizado
Plano para Erradicação do Trabalho Escravo será atualizado após 16 anos
podcast fetrarod
Fetrarod lança podcast para discutir temas de interesse dos rodoviários; assista aqui
Manifesto contra PL do estupro
Mulheres sindicalistas divulgam manifesto contra PL do Estupro (PL 1904/24)