Antonio Neto toma posse como membro do CDESS, o novo Conselhão

O presidente da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), Antonio Neto, tomou posse nesta quinta-feira (4) como membro do Conselho de Desenvolvimento Econômico Social Sustentável (CDESS), o novo Conselhão, no Palácio Itamaraty, em Brasília.

A primeira sessão plenária do novo Conselhão marcou a posse de deus 246 novos integrantes. Criado por Lula na primeira gestão (2003-2007), o colegiado havia sido extinto pelo ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e agora volta a funcionar no terceiro mandato do petista.

“O Conselhão foi responsável por discussões importantes e pela criação de programas como o Minha Casa, Minha Vida e o PAC; e por medidas como a criação do empréstimo consignado, uma alternativa aos abusos dos empréstimos pessoais. Não tenho dúvidas que mais uma vez o CDESS será um importante espaço para o debate de agendas fundamentais para a classe trabalhadora, como a Reforma Tributária e a revisão da Reforma Trabalhista”, afirmou Antonio Neto.

O novo Conselhão

O Conselhão tem a missão de auxiliar o governo na formulação de políticas públicas para o desenvolvimento econômico, social e sustentável, além de analisar e articular propostas com setores da sociedade.

Integrantes de movimentos sociais, do movimento sindical, do setor financeiro, do agronegócio e das fintechs estão entre os representantes do grupo.

Em seu discurso, Lula disse que o grupo representa a “cara da sociedade brasileira” e afirmou considerar uma virtude do “Conselhão” reunir pessoas com pensamentos diferentes e que, deste diálogo, surgirão novas ideias para o país.

“Brasil não mais será país do monólogo, autoritarismo, pensamento imposto à força”, disse.

O colegiado é composto pelo presidente da República, que comanda o órgão, pelo vice-presidente Geraldo Alckmin (foto), pelo ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, e por cidadãos brasileiros “de ilibada conduta e reconhecida liderança e representatividade”.

Durante a cerimônia de abertura, o ministro Alexandre Padilha afirmou que o novo Conselhão retorna para “mostrar ao Brasil que o diálogo é possível”.

“Mostrar para o Brasil que não queremos viver dentro do cercadinho, não queremos viver dentro das bolhas”, disse.

O ministro ainda destacou que o grupo atual tem maior representatividade de mulheres, negros e de empresas do agronegócio.

Combate à desigualdade

Durante a reunião, integrantes fizeram discursos sobre temas como combate à desigualdade e medidas para avanço econômico.

A empresária Luiza Trajano convocou os participantes para fazer o “Brasil para já” e disse que o grupo tem a “obrigação” de combater a desigualdade social.

A filósofa Sueli Carneiro frisou a necessidade de se discutir no Conselhão um modelo de desenvolvimento para que o país enfrente o racismo.

O empresário Rubens Ometto reforçou o coro para redução da taxa Selic, que segue em 13,75% ao ano. Também disse que os empresários estão “asfixiados” pelo juro básico da economia.

O líder indígena Kleber Karipuna agradeceu a Lula pela recente homologação de seis terras indígenas. Ele disse ser possível preservar o meio ambiente, garantir as terras dos povos indígenas e aumentar a produção agrícola do país.

O presidente da Confederação Nacional da Indústria, Robson Andrade, defendeu a aprovação de uma reforma tributária e criticou o patamar da taxa de juros.

“Com a taxa de juros que temos no Brasil, é impossível investir, trabalhar, produzir e ter bens disponíveis a custo adequado para população brasileira.”

Texto: Brasil Independente e CSB, com informações de G1

Fotos: CSB

Leia também: 1º de Maio das centrais sindicais reúne milhares em SP; veja como foi

Compartilhe:

Leia mais
Chinelo - Antonio Neto e Cosme Nogueira fundação Fesmig
CSB, Sinab e CSPM celebram criação da Fesmig - Federação dos Servidores de Minas Gerais
STF reverte reforma previdência para servidores
STF forma maioria para reverter pontos da Reforma da Previdência para servidores
Imagem CSB (28)
CSB NA 112ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO - OIT 2024
Sticmpel campanha salarial 2024-2025
Trabalhadores da Construção e Mobiliário de Pelotas iniciam campanha salarial 2024/2025
Apoio Financeiro a trabalhadores empresas calamidade RS
Governo abre cadastro para Apoio Financeiro a trabalhadores atingidos por calamidade no RS
home office trabalho híbrido estudo
Trabalho híbrido melhora satisfação no emprego e não afeta produtividade, diz estudo
reunião centrais rs e oit
Centrais e OIT discutem impacto das enchentes no mercado de trabalho do RS
plano erradicação trabalho escravo será atualizado
Plano para Erradicação do Trabalho Escravo será atualizado após 16 anos
podcast fetrarod
Fetrarod lança podcast para discutir temas de interesse dos rodoviários; assista aqui
Manifesto contra PL do estupro
Mulheres sindicalistas divulgam manifesto contra PL do Estupro (PL 1904/24)