“Fórum – 8 de março” debate os direitos das mulheres

Equidade de gênero, violência contra a mulher e relações trabalhistas foram temas discutidos no evento que aconteceu no Rio de Janeiro

Para debater a realidade da mulher trabalhadora brasileira, a CSB e as demais centrais sindicais realizaram, nesta terça-feira (8), mais uma edição do Fórum 8 de março, na Central do Brasil, Rio de Janeiro. Em cinco horas de evento, mais de 300 mulheres discutiram o tema “Pela Vida e Participação das Mulheres: Nenhum Direito a Menos!”.

Saúde e vida da mulher, mulheres e sua relação com o mundo do trabalho e participação política das mulheres foram alguns dos assuntos que nortearam as falas de dirigentes e representantes de associações fluminenses. Em discurso, a presidente da Federação dos Empregados em Estabelecimento de Serviços de Saúde do Estado do Rio de Janeiro e 2ª secretaria da Saúde da Central, Maria Barbara da Costa, falou sobre o assédio sexual e moral sofrido pelas mulheres nas mais diversas instâncias sociais.

“O espaço é público, mas o corpo não é público. É importantíssimo debatermos este e outros temas não só no dia 8 de março, mas durante o nosso cotidiano. O papel das centrais sindicais é tornar a questão da equidade de gênero uma discussão permanente e acessível a todas as pessoas, independente de classe social, nível educacional e etnia”, afirma a dirigente.

De acordo com Maria Barbara, no Brasil, as trabalhadoras chegam a ganhar 30% a menos em comparação aos colegas homens que possuem o mesmo cargo e exercem suas funções na mesma empresa. Com relação à violência doméstica, dados da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR), de janeiro a outubro de 2015, apontam que das 63.090 denúncias recebidas pelo órgão, 37,72% correspondem a mulheres em situação de violência que sofrem agressões todos os dias e 33,86%, semanalmente.

Por conta deste cenário insustentável, a regional da CSB no Rio de Janeiro promoverá, no dia 29 de abril, uma ação para estimular a discussão sobre os temas mais urgentes do universo feminino – como equiparação de salários e igualdade de gênero – e realizará um mutirão em atenção à saúde da mulher com aferição de pressão, glicose, entre outros exames de resultados rápidos.

No mesmo dia, também será relembrada a trajetória de luta da enfermeira e líder feminista Jerônima Mesquita – fundadora da Federação Brasileira pelo Progresso Feminino (FBPF), em 1922. Jerônima foi pioneira na reivindicação pelo direito do voto feminino; autora do Manifesto Feminista de 1934; fundadora do Conselho Nacional das Mulheres, em 1947, e motivo do Dia Nacional da Mulher (30 de abril).

Clique aqui para ver a galeria de fotos de ações da CSB em homenagem ao Dia Internacional da Mulher

Compartilhe:

Leia mais
Apoio Financeiro a trabalhadores empresas calamidade RS
Governo abre cadastro para Apoio Financeiro a trabalhadores atingidos por calamidade no RS
reunião centrais rs e oit
Centrais e OIT discutem impacto das enchentes no mercado de trabalho do RS
plano erradicação trabalho escravo será atualizado
Plano Nacional para Erradicação do Trabalho Escravo será atualizado após 16 anos
podcast fetrarod
Fetrarod lança podcast para discutir temas de interesse dos rodoviários; assista aqui
Manifesto contra PL do estupro
Mulheres sindicalistas divulgam manifesto contra PL do Estupro (PL 1904/24)
Nota das centrais selic
Centrais pedem redução dos juros: "por desenvolvimento com justiça social"
lula critica campos neto
Lula diz que Campos Neto tem lado político e trabalha para prejudicar o país
campos neto presidente bc
Procurador pede investigação sobre influência de bancos na definição dos juros pelo BC
Encontro CSB China
CSB promove encontros com entidades sindicais chinesas em SP e RJ; inscreva-se
CSB-RS conselho plano rio grande
Reconstrução do RS: CSB toma posse como membro do Conselho do Plano Rio Grande