Vigilantes de Niterói iniciam campanha por coletes apropiados para mulheres

O Sindicato dos Vigilantes de Niterói (SVNIT) fez uma manifestação nesta quinta-feira (13) no centro da cidade pedindo atenção das empresas de vigilância para a necessidade de se fornecer colete feminino, à prova de balas, para as profissionais da categoria, que usam os modelos masculinos durante o serviço.

O presidente do sindicato, Cláudio Vigilante, disse que adaptação modelo masculino do equipamento de proteção não protege as mulheres adequadamente e frisou que houve aumento de 20% no número de mulheres vigilantes nos últimos quatro anos.

“Temos que dar conforto para essas profissionais que trabalham mais de 12 horas por dia e se dedicam, deixam suas famílias e devem ter seus direitos respeitados”, afirmou.

De acordo com levantamento do sindicato, há 3 mil vigilantes trabalhando em Niterói atualmente e 600 são mulheres, o que representa 20% da categoria na cidade.

Lucilene Ribeiro, 47 anos, trabalha há 13 anos como vigilante. “É muito ruim usar esse equipamento pois prejudica o corpo e nossa saúde. Não é anatomicamente feito para o corpo feminino. Aperta os seios, pesa a coluna e prejudica o tórax”, contou.

O presidente Cláudio explicou ainda que as empresas não investem nesse equipamento por falta de sensibilidade pela causa, já que um colete feminino é mais barato do que o masculino.

“Muitas empresas nos dizem que esses equipamentos não existes, mas temos levantamento que eles existem sim e são mais baratos quando comparados com os masculinos”, falou.

O grupo usou faixas e caixas de som para chamar atenção das pessoas que passam em frente da estação das Barcas. Na próxima segunda feira (17), o SVNIT irá enviar um ofício para o sindicato patronal, que representa as empresas de segurança no Rio, pedindo uma reunião.

O movimento tem apoio da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), da Confederação Nacional dos Vigilantes (CNTV) e Federação Interestadual dos Trabalhadores Vigilantes (Fintravig) e começou em todo o país.

Compartilhe:

Leia mais
greve por redução de jornada
Três projetos sobre redução da jornada tramitam no Senado; pauta é histórica no sindicalismo
livro mpt conalis direito coletivo do trabalho
MPT abre seleção de artigos para livro sobre direito coletivo do trabalho; veja regras
reunião fessergs reestruturação carreiras servidores rs
Servidores do RS pedem mais tempo para debater projetos de reestruturação de carreiras
Diretoria sindicato rodoviarios caxias do sul
Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Caxias do Sul (RS) reelege diretoria
senado e governo reoneração folha de pagamento
STF prorroga prazo para Senado e governo discutirem reoneração da folha de pagamento
eleição diretoria sindicato servidores são vicente 2024
Sindicato dos Servidores de São Vicente (SP) elege nova diretoria em disputa acirrada
lucro recorde fgts 2023
Lucro do FGTS quase dobra em um ano e atinge recorde de R$ 23,4 bilhões em 2023
comissão provisória csb-ba
Presidente da CSB-BA pede afastamento, e Antonio Neto nomeia comissão provisória
reunião centrais e governo lei igualdade salarial
Centrais e governo avaliam resultados do primeiro ano da Lei da Igualdade Salarial
mpt recomendação contadores contribuição sindicatos
Contador não pode incentivar oposição à contribuição sindical, orienta MPT