LOGO-ENERCON-1

XXXV Enercon inicia nesta sexta-feira, em Florianópolis

Nesta sexta-feira, dia 1º, começa em Florianópolis a 35º edição do Encontro Nacional das Entidades Representativas de Contabilistas (Enercon), no auditório do Hotel Mercure Centro. Este é um dos mais tradicionais eventos do calendário contábil nacional e deve reunir cerca de 100 lideranças da Contabilidade de todo o país. Estarão em debate três temas: Previdência, Trabalho e Momento Político.

No primeiro dia, estão programadas três minipalestras, que abordarão Previdência, Trabalho e Momento Político – os temas deste Encontro. Elas serão ministradas por Ernesto Germano Parés, jornalista e assessor político do Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Energia do Rio de Janeiro e Região; André Santos, jornalista, consultor parlamentar, colaborador do boletim do DIAP e da publicação Radiografia do Novo Congresso Nacional-2015/2019, e Moacir Pereira, jornalista, colunista e comentarista político e autor de mais de quarenta livros.

“O objetivo é debater o atual cenário brasileiro e levantar propostas que possam contribuir no processo de retomada do crescimento do país”, explica o presidente da Federação dos Contabilistas de SC (Fecontesc), Tadeu Oneda, entidade responsável pela organização do encontro, que é uma realização conjunta das oito federações existentes. Conforme ele, ninguém como os profissionais da contabilidade conhece a realidade das empresas e a difícil situação por que passam, assim como os problemas financeiros que afetam a área pública.

No sábado, ao final do Enercon, será divulgada a Carta de Florianópolis com as conclusões do evento, para ser encaminhada a parlamentares e ao governo federal. “A classe contábil sente no dia a dia os impactos da crise nas empresas e na máquina administrativa e tem condições técnicas de colaborar com sugestões que possam reverter o quadro atual”, afirma Oneda.

Hoje, mais de 520 mil profissionais da contabilidade exercem a atividade no país. Em Santa Catarina, este número supera os 21 mil. O Estado também conta com mais de 3,5 mil organizações contábeis. “Muitos desconhecem, mas é o trabalho de toda essa rede que permite aos empreendedores atenderem às exigências cada vez maiores dos fiscos federal, estadual e municipal”, ressalta o presidente da Fecontesc. “Dito de outra forma, é o contador que assegura ao empresário o tempo necessário para dirigir o seu negócio e fazê-lo crescer”.

 O 35º Enercon conta com o apoio da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), Confederação Nacional das Profissões Liberaiso (CNPL), Sistema Gestor Sindical, desenvolvido pela IBF Sistemas, e da SCI Sistemas. A realização é das Federações dos Contabilistas dos Estados de Santa Catarina (Fecontesc), de São Paulo (Fecontesp), do Rio Grande do Sul (Federacon), do Rio de Janeiro, Espírito Santo e Bahia (Fedcont), de Minas Gerais (Fecon), do Paraná  (Fecopar), do Centro-Oeste (Fecon) e do Norte e Nordeste.

Fonte: Assessoria do Enercon

Compartilhe:

Leia mais
discurso lula OIT
Em discurso na OIT, Lula destaca precarização e informalidade como desafios para justiça social
Antonio Neto CSB na OIT 12-06-24
Antonio Neto na OIT: Tecnologias disruptivas podem ser oportunidade para os trabalhadores
Centrais sindicais apresentam denúncia contra governo do Paraná à OIT
Centrais denunciam governo do Paraná na OIT por repressão de greve de professores
FGTS correção inflação decisão stf
Acordo entre centrais e AGU prevalece no STF: FGTS deverá ter correção mínima pela inflação
miguel torres discurso centrais sindicais oit
Centrais pedem fim do golpismo no Brasil em discurso dos trabalhadores na OIT
Luiz Marinho discursa na OIT 2024
Na OIT, Luiz Marinho defende sindicatos e taxação de grandes fortunas
vigilantes niterói ato 13 de junho
Vigilantes de Niterói convocam ato por mais segurança para mulheres da categoria
vinicolas-no-rs-tinham-200-pessoas-em-condicoes-analogas-a-escravidao
Auditores fiscais do Trabalho repudiam fala de dirigente da CNA sobre trabalho escravo
assembleia rodoviários pelotas 10-6-2024
Rodoviários de Pelotas começam a negociar acordos em cenário após enchentes
Comitiva da CSB com ministro Luiz Marinho na Conferência da OIT 2024
Em reunião do Brasil na OIT, empresário diz que Bolsa Família atrapalha mão de obra