Sindicatos de TI no PR e Uberlândia (MG) adotam modelo de operação do Sindpd-SP

Os sindicatos dos trabalhadores em empresas de TI no Paraná e Uberlândia preparam uma série de mudanças nos próximos meses. Sitepd-PR, Sintipar-PR e Sinttec-MG vão mudar a operação de comunicação, recebimento de denúncias e atuação na negociação para um novo modelo já consolidado em São Paulo pelo Sindpd.

A principal mudança é a extensão do COE (Comitê de Operações Especiais) para as demais cidades como braço de enfrentamento ao descumprimento da Convenção Coletiva, através do recebimento de denúncias, pesquisa e apuração.

As ações são promovidas pela Federação Interestadual dos Trabalhadores em Tecnologia da Informação (Feittinf), que já atua em outros estados como Bahia, Mato Grosso, Alagoas e em cidades como Joinville (SC).

A ideia da federação sindical é promover integração, otimização de recursos e organização conjunta entre os sindicatos para as pautas comuns como o combate à precarização e às demissões em massa, o fortalecimento da negociação coletiva e a luta pela valorização da categoria.

Entre as mudanças na comunicação, todos os sindicatos terão novos portais, mudanças nas redes sociais, atendimento aos sócios e contribuintes pelo Whatsapp e canais exclusivos para o recebimento de denúncias. A integração deve contar também com uma maior atuação junto à imprensa das cidades e do setor de tecnologia.

Outra agenda que será integrada é a jurídica. As entidades devem atuar cada vez mais juntas contra empresas que buscam fugir do enquadramento sindical de tecnologia como a IBM, Proxxi, Kyndryl e ViaHub. Descumprimento de Convenção Coletiva, pejotização e demissões em massa também serão alvo da integração que responde por quase dois terços dos profissionais em TI do Brasil.

Emerson Morresi, presidente da Feittinf, destaca que o projeto deve ser expandido para outros estados que já estão filiados à Federação. “Estamos iniciando um processo que vai fortalecer muito os trabalhadores em TI do Brasil, quando integramos os sindicatos, estamos integrando a mobilização, a organização e as lutas dos trabalhadores que na maioria das vezes são comuns”, avalia.

O presidente do Sindpd-SP, Antonio Neto, se diz orgulhoso das mudanças promovidas no Sindicato de SP e no impacto do setor. “Mudar é preciso, o sindicato precisa estar mais próximo das suas bases e dos trabalhadores. A tecnologia nos proporciona isso. Queremos cada vez mais aprimorar o modelo e expandir para outros estados que já estão filiados à Feittinf. Sem dúvida nenhuma, quando integramos e nos unimos, saímos mais fortes para enfrentar a precarização do setor”, disse.

Leia também: Sindpd-SP fecha acordo com reajuste acima da inflação e aumento no VR

Compartilhe:

Leia mais
Chinelo - Antonio Neto e Cosme Nogueira fundação Fesmig
CSB, Sinab e CSPM celebram criação da Fesmig - Federação dos Servidores de Minas Gerais
STF reverte reforma previdência para servidores
STF forma maioria para reverter pontos da Reforma da Previdência para servidores
Imagem CSB (28)
CSB NA 112ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO - OIT 2024
Sticmpel campanha salarial 2024-2025
Trabalhadores da Construção e Mobiliário de Pelotas iniciam campanha salarial 2024/2025
Apoio Financeiro a trabalhadores empresas calamidade RS
Governo abre cadastro para Apoio Financeiro a trabalhadores atingidos por calamidade no RS
home office trabalho híbrido estudo
Trabalho híbrido melhora satisfação no emprego e não afeta produtividade, diz estudo
reunião centrais rs e oit
Centrais e OIT discutem impacto das enchentes no mercado de trabalho do RS
plano erradicação trabalho escravo será atualizado
Plano para Erradicação do Trabalho Escravo será atualizado após 16 anos
podcast fetrarod
Fetrarod lança podcast para discutir temas de interesse dos rodoviários; assista aqui
Manifesto contra PL do estupro
Mulheres sindicalistas divulgam manifesto contra PL do Estupro (PL 1904/24)