Servidores públicos ocupam Assembleia para cobrar deputados

Grevistas querem saber se pagamento de reposição não foi prevista na Lei Orçamentária Anual de 2016

Servidores do Estado se concentram, na manhã desta terça-feira (07), na  Assembleia Legislativa. Os manifestantes cobram uma explicação dos parlamentares sobre a declaração do secretário de Planejamento, José Bussiki, de que o Legislativo foi o responsável por retirar, da Lei Orçamentária Anual (LOA), a previsão de pagamento da Revisão Geral Anual (RGA).

De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Educação Superior de Mato Grosso (Sintesmat), Luiz Wanderlei, os grevistas cobram uma reunião com os deputados ainda hoje.

“Hoje, estamos aqui para saber quem é que está mentindo, porque alguém está mentindo nessa história e precisamos saber quem é. Estamos pressionando para ver se conseguimos participar do colégio de líderes. A ideia é ficar ao longo do dia”, afirmou.

Segundo o sindicalista, os deputados Wancley Carvalho (PV) e Leonardo Albuquerque (PSD) já conversaram com alguns líderes sindicais. Segundo eles, não está contida na LOA a palavra “RGA”, mas, sim, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC)

“Na reunião com o secretário Bussiki, na quinta-feira passada, eu mesmo falei que era uma irresponsabilidade essa declaração. Na nossa visão, essa é mais uma enganação que o Governo está fazendo. Estamos cobrando desde e janeiro e ele fala em junho que não esta na LOA? Então, estamos aqui na Assembleia para saber a verdade”, disse.

Entenda

Durante reunião com sindicalistas do Fórum Sindical – que representa o funcionalismo público de Mato Grosso -, na última quinta-feira (2), Bussiki afirmou que o Governo enviou a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) com previsão de 7,5% da reposição inflacionária.

Porém, os valores não foram incluídos na LOA, aprovada em dezembro de 2015. “Nós mandamos o Orçamento e isso é analisado pelos deputados, feitas emendas e é votado. E, na hora de se aprovar, se aprovou orçamento sem RGA. Não tem, na dotação orçamentária de pessoal, valor suficiente para se pagar RGA”, disse.

O presidente da Assembleia, Guilherme Maluf (PSDB), classificou como “irresponsável” a declaração do secretário.

“A RGA não foi retirado da LOA, de forma alguma. Alguns deputados, inclusive, já estão convocando o secretário Bussiki para que explique essa declaração aqui na Assembleia”, afirmou o deputado.

Fonte e Foto : Midia News

 

Compartilhe:

Leia mais
reunião centrais rs e oit
Centrais e OIT discutem impacto das enchentes no mercado de trabalho do RS
plano erradicação trabalho escravo será atualizado
Plano Nacional para Erradicação do Trabalho Escravo será atualizado após 16 anos
podcast fetrarod
Fetrarod lança podcast para discutir temas de interesse dos rodoviários; assista aqui
Manifesto contra PL do estupro
Mulheres sindicalistas divulgam manifesto contra PL do Estupro (PL 1904/24)
Nota das centrais selic
Centrais pedem redução dos juros: "por desenvolvimento com justiça social"
lula critica campos neto
Lula diz que Campos Neto tem lado político e trabalha para prejudicar o país
campos neto presidente bc
Procurador pede investigação sobre influência de bancos na definição dos juros pelo BC
Encontro CSB China
CSB promove encontros com entidades sindicais chinesas em SP e RJ; inscreva-se
CSB-RS conselho plano rio grande
Reconstrução do RS: CSB toma posse como membro do Conselho do Plano Rio Grande
distribuição extra fgts
Após acordo com centrais, governo fará distribuição extra do FGTS aos trabalhadores