*

Servidores municipais de Juiz de Fora param no dia 18 de junho

A categoria reivindica reposição da inflação, 10% de recomposição de perdas salariais, 5% de ganho real e tíquete-alimentação de R$ 300

Os servidores públicos municipais de Juiz de Fora aprovaram nesta terça-feira (10 de junho) à noite uma paralisação de protesto na próxima quarta-feira, dia 18. A decisão foi aprovada em Assembleia do SINSERPU-JF  (filiado à FESERP-MG) , na Sociedade de Medicina, e sinalizou a rejeição da proposta enviada pelo Executivo à categoria. Os trabalhadores reivindicam reposição da inflação, 10% de recomposição de perdas salariais, 5% de ganho real e tíquete-alimentação de R$ 300. A PJF propõe reajuste salarial de 6,5% a partir de maio e aumento de 13,3% no tíquete-alimentação, passando para R$ 170. O movimento envolve um quadro de cerca de 16 mil trabalhadores.

“A categoria considerou a possibilidade de mais uma greve. Porém, o sindicato entende que ainda não é o momento para tomar uma atitude como esta”, ressaltou o presidente do Sinserpu, Amarildo Romanazzi. No dia da paralisação, a categoria realiza mais uma assembleia, marcada para às 10h, em frente à Câmara Municipal. “Queremos chamar a atenção para o descaso que a Prefeitura vem tendo com o servidor público”, pontuou. Após a assembleia, os servidores saíram em passeata pelas ruas do Centro até a Câmara. Em nota, a secretária de Administração e Recursos Humanos, Andréia Goreske, informou que o esforço feito pela PJF observa os limites orçamentários e financeiros para possibilitar o reconhecimento de todas as categorias. “Tudo que pôde ser concedido foi apresentado nas mesas de negociação, como o índice único de reajuste e os cronogramas com datas para início e término de estudos”, destacou.

Fonte: Feserp/MG

Compartilhe:

Leia mais
discurso lula OIT
Em discurso na OIT, Lula destaca precarização e informalidade como desafios para justiça social
Antonio Neto CSB na OIT 12-06-24
Antonio Neto na OIT: Tecnologias disruptivas podem ser oportunidade para os trabalhadores
Centrais sindicais apresentam denúncia contra governo do Paraná à OIT
Centrais denunciam governo do Paraná na OIT por repressão de greve de professores
FGTS correção inflação decisão stf
Acordo entre centrais e AGU prevalece no STF: FGTS deverá ter correção mínima pela inflação
miguel torres discurso centrais sindicais oit
Centrais pedem fim do golpismo no Brasil em discurso dos trabalhadores na OIT
Luiz Marinho discursa na OIT 2024
Na OIT, Luiz Marinho defende sindicatos e taxação de grandes fortunas
vigilantes niterói ato 13 de junho
Vigilantes de Niterói convocam ato por mais segurança para mulheres da categoria
vinicolas-no-rs-tinham-200-pessoas-em-condicoes-analogas-a-escravidao
Auditores fiscais do Trabalho repudiam fala de dirigente da CNA sobre trabalho escravo
assembleia rodoviários pelotas 10-6-2024
Rodoviários de Pelotas começam a negociar acordos em cenário após enchentes
Comitiva da CSB com ministro Luiz Marinho na Conferência da OIT 2024
Em reunião do Brasil na OIT, empresário diz que Bolsa Família atrapalha mão de obra