Sem resposta da prefeitura, servidores de Hortolândia reivindicam pelo quarto dia seguido melhores salários

Diariamente mais de 1.200 servidores reúnem-se em frente à prefeitura local para pedir reajuste e benefícios

 

Pelo quarto dia consecutivo, mais de 1.200 servidores públicos de Hortolândia, município do interior de São Paulo, concentraram-se nesta quinta-feira (2) em frente à prefeitura local para reivindicar melhores condições de trabalho. A mobilização é apoiada diretoria da CSB São Paulo.

O dia começou às 6h30 com um café da manhã coletivo na sede do Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Municipal de Hortolândia (STSPMH). Em seguida, os trabalhadores seguiram em caminhada até a prefeitura.  Preparados, os manifestantes levaram barracas, lonas, cadeiras de praia, guarda-chuva e guarda-sol.

Ainda sem resposta da prefeitura, o sindicato garante não interromper os atos até o início da negociação. “Os servidores precisam continuar mobilizados. Chegamos no quarto dia de greve e, infelizmente, as dúvidas, incertezas e medos começam a bater. Mas nós, companheiros, somos guerreiros e devemos continuar. Vamos um incentivar aos outros e se manter constantes no embate. Unidos avançamos e conquistamos”, afirmou o presidente da entidade, Milton Vianna Pinto.

Entre as reivindicações da categoria estão 5% de ganho real e benefícios. “Só temos a cesta básica e o vale-transporte que são pagos. Não é nada dado 100% para o servidor. Estamos pedindo plano dentário gratuito para os servidores, custo zero da cesta básica até que se troque por um cartão de alimentação, vale-refeição e mudança de data-base”, informou o presidente.

A greve
A paralisação foi motivada pela atitude do prefeito de Hortolândia, que, mesmo com a recusa dos servidores, insistiu no índice de 1,56% de reajuste salarial, enviou a decisão à Câmara e não abriu mais diálogo com a representação da categoria.

Conheça as reivindicações dos servidores:

1) Reposição das perdas inflacionárias do período entre abril/2017 e abril/2018, mais 5% de ganho real, prevista no Artigo 37, inciso X, da Constituição Federal;

2) Plano Dentário custo zero (90% PMH + 10% Sindicato = 16,80). Repasse Sindicato;

3) Custo zero para cestas básicas, com melhoria dos produtos deste ano;

4) Custo zero para planos de saúde;

5) Cartão de compras no valor de R$ 300,00; substituindo a cesta básica;

6) Fornecimento de 25 unidades de tíquete-refeição mensais, no valor de R$ 20 por unidade;

7) Mudança da data-base para março.

Compartilhe:

Leia mais
Chinelo - Antonio Neto e Cosme Nogueira fundação Fesmig
CSB, Sinab e CSPM celebram criação da Fesmig - Federação dos Servidores de Minas Gerais
STF reverte reforma previdência para servidores
STF forma maioria para reverter pontos da Reforma da Previdência para servidores
Imagem CSB (28)
CSB NA 112ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO - OIT 2024
Sticmpel campanha salarial 2024-2025
Trabalhadores da Construção e Mobiliário de Pelotas iniciam campanha salarial 2024/2025
Apoio Financeiro a trabalhadores empresas calamidade RS
Governo abre cadastro para Apoio Financeiro a trabalhadores atingidos por calamidade no RS
home office trabalho híbrido estudo
Trabalho híbrido melhora satisfação no emprego e não afeta produtividade, diz estudo
reunião centrais rs e oit
Centrais e OIT discutem impacto das enchentes no mercado de trabalho do RS
plano erradicação trabalho escravo será atualizado
Plano para Erradicação do Trabalho Escravo será atualizado após 16 anos
podcast fetrarod
Fetrarod lança podcast para discutir temas de interesse dos rodoviários; assista aqui
Manifesto contra PL do estupro
Mulheres sindicalistas divulgam manifesto contra PL do Estupro (PL 1904/24)