Promessas da reforma trabalhista eram falsas, diz dirigente da CSB no 39º Enafit

A CSB participou do 39º Encontro Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho (Enafit), realizado de 17 a 22 de setembro em São Paulo, pelo Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho (Sinait). O secretário de Organização e Mobilização da CSB, Paulo de Oliveira, representou a central em um painel que discutiu liberdade sindical e efetividade das negociações coletivas.

Os destaques do painel mediado pelos diretores do SINAIT Marco Aurélio Gonsalves e Renato Bignami foram a regulamentação da Convenção 151 da OIT no Brasil, a unicidade sindical e o financiamento dos sindicatos, destruído após a reforma trabalhista de 2017.

Paulo de Oliveira defendeu a unicidade sindical (modelo em que apenas um sindicato representa uma categoria, adotado no Brasil) e destacou a importância de se reconstruir as finanças do sindicato para garantir sua representatividade.

“É preciso fortalecer a luta sindical por meio da unicidade, e não enfraquecer. Dentro desse contexto, temos que falar de financiamento sindical. É muito importante o fortalecimento dos sindicatos para o exercício legitimo da divergência, e isso não deve ser feito em organizações paralelas”, argumentou.

Ele lembrou também que o enfraquecimento dos sindicatos se deu a partir da reforma trabalhista, que fez falsas promessas à sociedade e limitou a contribuição sindical àqueles trabalhadores que se filiam (cerca de 9% segundo dados mais recentes do IBGE) e, na prática, financiam os benefícios conquistados pelo sindicato para todos os profissionais da sua categoria.

“Vendeu-se para a sociedade três pontos sobre a reforma trabalhista que não são verdadeiros: que traria segurança jurídica, que iria atrair mais emprego e que modernizaria as relações de trabalho”, afirmou.

Participaram da discussão no Enafit representantes da CUT, NCST, CSP-Conlutas, Intersindical e Pública, que também fizeram críticas aos retrocessos para os trabalhadores trazidos pela reforma, como o crescimento da informalidade e a terceirização generalizada, utilizada por empregadores para fraudar contratos de trabalho que deveriam ser CLT.

O dirigente da CSB é um dos membros do Grupo de Trabalho da Negociação Coletiva, coordenado pelo Ministério do Trabalho, e que reúne representantes das centrais sindicais e das entidades patronais para discutir, dentre outros temas, um modelo de contribuição assistencial atrelado às Convenções Coletivas de Trabalho.

A CSB estará também do Grupo de Trabalho para Regulamentação da Convenção 151 da OIT, criado no fim de agosto pelo governo federal. O tema chegou a ser aprovado pelo Congresso Nacional em 2017, mas foi integralmente vetado pelo então presidente Michel Temer.

Encontro com secretário nacional da Inspeção do Trabalho

Oliveira teve ainda uma reunião com o secretário nacional da Inspeção do Trabalho, Luiz Felipe Brandão de Mello, para entender como está a dinâmica da fiscalização, que está sendo reorganizada após a recriação do Ministério do Trabalho no início do governo Lula.

O secretário-geral da CSB, Álvaro Egea, e o assessor Ernesto Pereira, também participaram da conversa, em que falaram sobre o concurso que será realizado para a contratação de 1.125 auditores fiscais, demanda que vinha sendo feita pela categoria há anos.

“É o maior concurso público realizado até hoje no âmbito do Ministério do Trabalho, então discutimos sobre como as vagas serão distribuídas até para que a gente da CSB possa contribuir indicando lugares que mais necessitam da presença do auditor fiscal para que se tenha mais eficiência fiscalização, e naturalmente isso contribui para o desenvolvimento do trabalho decente”, contou Oliveira.

Fotos 1 e 2: Sinait

Compartilhe:

Leia mais
mpt recomendação contadores contribuição sindicatos
Contador não pode incentivar oposição à contribuição sindical, orienta MPT
CSB no Forum Interconselhos 2024
Governo retoma Fórum Interconselhos com G20 Social e Plano Clima em foco; CSB participa
reuniões centrais sindicais 16 e 18 julho
Centrais realizam reuniões por região nos dias 16 e 18 de julho sobre agenda legislativa; participe
reunião CNT 10-7-24
CNT discute ação coordenada diante de transformações no mercado de trabalho
Ernesto e Álvaro CSN reunião Consea
CSB indicará nome para substituir Lino de Macedo no Conselho de Segurança Alimentar
protesto servidores Ipsemg 9-7-24
Em meio a protestos dos servidores, projeto sobre Ipsemg tem votação adiada
ministro do trabalho luiz marinho saqui aniversário fgts
Ministro do Trabalho quer fim do bloqueio do FGTS para quem optou por saque-aniversário
regra-nas-relacoes-de-trabalho-clemente-ganz-lucio
Clemente Ganz: Negociação coletiva e a estratégia de desenvolvimento produtivo
Projeto de lei motoristas em apps
Centrais sindicais criticam alterações em projeto de motoristas em apps
Protesto servidores Ipsemg
Sindicato dos Servidores do Ipsemg convoca para protesto contra projeto sobre o Instituto