Caso Marielle Franco e assédio no trabalho são tema de reunião entre centrais sindicais

Assuntos que ganharam manchetes dos jornais devem pautar da Conferência anual da OIT de 2018

O assédio no mundo do trabalho foi foco em 2017 e continua a repercutir no mundo todo. Em grau local ou global, denúncias colocaram o tema na pauta do dia dos jornais e na roda dos amigos. Entre diretores de Hollywood e atores ou cantores brasileiros, o assunto passou a não ser ignorado e tratado com mais seriedade. De olho nisso, a Organização Internacional do Trabalho (OIT) elegeu esse como o tema a ser tratado na da Conferência anual, em Genebra, entre os dias 28 de maio e 8 de junho.

Para tratar desse e de outros pontos, as centrais sindicais, entre elas a CSB, reuniram-se na sede da Central Sindical das Américas (CSA) nesta terça-feira (20). O vice-presidente da CSB Sergio Arnoud compareceu ao evento como representante da Central. “A CSB tem crescido em representatividade e é importante marcarmos a nossa posição em relação à violência e ao assédio. A Conferência da OIT é uma oportunidade de criar um debate coletivo e buscar discutir nossas questões urgentes de forma representativa”.

 Arnoud explicou que há um rodízio entre as centrais para expor sobre o Brasil na Conferência anual. “A CSB lutou por esse sistema. A priori ele existia, mas não era seguido e agora isso voltou. É importante que toda delegação sinta que tem voz”.

 A reforma trabalhista e a precarização das condições de trabalho no Brasil também apareceram no evento. “Há uma denúncia aberta na OIT sobre a reforma trabalhista brasileira. O momento político (ano de eleição) brasileiro também foi tratado. “É um momento complicado em que alguns candidatos, inclusive, baseiam seu discurso no ódio e na descriminalização e isso deve ser lembrado”.

 Caso Marielle
Com representantes dos Estados Unidos e de outras partes da América Latina, o assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) ganhou também destaque no encontro. Marielle foi morta a tiros, na noite de quarta-feira (14), duas semanas depois de assumir a função de relatora da Comissão da Câmara de Vereadores do Rio, feita para acompanhar a atuação das tropas na intervenção federal na área de segurança do Rio.

Deu para perceber a indignação de todos e a solidariedade com a morte. É importante que isso seja tratado em vários órgãos e eventos, assim reforça uma cobrança junto ao Governo. O assunto teve repercussão mundial”, salienta Sergio Arnoud.

 

 

 

 

 

Compartilhe:

Leia mais
Chinelo - Antonio Neto e Cosme Nogueira fundação Fesmig
CSB, Sinab e CSPM celebram criação da Fesmig - Federação dos Servidores de Minas Gerais
STF reverte reforma previdência para servidores
STF forma maioria para reverter pontos da Reforma da Previdência para servidores
Imagem CSB (28)
CSB NA 112ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO - OIT 2024
Sticmpel campanha salarial 2024-2025
Trabalhadores da Construção e Mobiliário de Pelotas iniciam campanha salarial 2024/2025
Apoio Financeiro a trabalhadores empresas calamidade RS
Governo abre cadastro para Apoio Financeiro a trabalhadores atingidos por calamidade no RS
home office trabalho híbrido estudo
Trabalho híbrido melhora satisfação no emprego e não afeta produtividade, diz estudo
reunião centrais rs e oit
Centrais e OIT discutem impacto das enchentes no mercado de trabalho do RS
plano erradicação trabalho escravo será atualizado
Plano para Erradicação do Trabalho Escravo será atualizado após 16 anos
podcast fetrarod
Fetrarod lança podcast para discutir temas de interesse dos rodoviários; assista aqui
Manifesto contra PL do estupro
Mulheres sindicalistas divulgam manifesto contra PL do Estupro (PL 1904/24)