Por elaboração de um nova CLT, Leandro Allan participa de subcomissão no Senado Federal

Representando a CSB, Allan deixou claro que a Central se posicionou contra a reforma trabalhista

O vice-presidente da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), Leandro Allan, participou na manhã desta sexta-feira (29), no Senado Federal, de subcomissão Temporária do Estatuto do Trabalho, que debate as “Normas Gerais de Tutela do Trabalho” e faz um diálogo com o Brasil sobre a elaboração de uma nova Consolidação das leis do Trabalho (CLT).

Ao se pronunciar, Allan deixou claro aos participantes, que a Central foi contra a reforma trabalhista e que ela chega para massacrar o trabalhador.

“A CSB se posicionou em todos os momentos, contra esta reforma trabalhista, reforma esta, que na verdade vem para massacrar os trabalhadores porque ela está retirando direitos e nada mais. Ela está indo contra alguns princípios constitucionais, que tratam da irredutibilidade do salário. Ela está criando mecanismo que possibilita a contratação precária de trabalhadores e com a possibilidade de salários menores, além de forçar o trabalhador aceitar condições absurdas para que permanecem no trabalho em um momento que estamos vivendo uma crise econômica e política, com 14 milhões e 500 mil empregados”, disse Allan.

Ainda na sua fala, o representante da CSB acredita que pela importância desta reforma, o governo não debateu de maneira ampla.

“Essa reforma não foi debatida com o povo, não foi debatida com os representantes dos trabalhadores, com as instituições que fiscalizam a Lei, como o Ministério Público, não foi debatida com o judiciário. Ou seja, ela não foi debatida com ninguém, ela veio através de um projeto da presidência da República e com o apoio de alguns parlamentares, que, infelizmente, fizeram várias negociatas para votar a favor do governo e contra o povo brasileiro, contra o trabalhador”, completou o vice-presidente.

Ao finalizar sua participação, Leandro Allan, que também é presidente do Sindicato dos Técnicos Penitenciários do Distrito Federal (Sindpen/DF), declarou que a criação desta comissão é a prova de que a reforma é um desastre.

“Este grupo, que está se criando para rediscutir algo que acabou de ser aprovado, é a prova concreta de que essa reforma trabalhista foi um fiasco, está sendo um fiasco e não vai dar certo. Infelizmente, estão retirando direitos os trabalhadores que nós conquistamos a conquistas há 100 anos. O ano de 2017 completam exatamente 100 anos da primeira greve geral que nós estivemos no Brasil. A CSB defende uma nova reforma e que se coloque em discussão novos institutos jurídicos, que venha fortalecer a relação trabalhista de empregado e empregador”, finalizou o dirigente.

De iniciativa do Senador Paulo Paim (PT-RS), a subcomissão teve a participação de Alex Myller Duarte Lima, do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho (Sinait), Alessandro Santos de Miranda, Procurador do Trabalho da 10ª região e secretário de relações institucionais do MPT, Alessandra Camarano Martins, que é vice-presidente da Associação Brasileira de Advogados Trabalhistas (Abrat) e representantes da CTB.

Compartilhe:

Leia mais
plano erradicação trabalho escravo será atualizado
Plano Nacional para Erradicação do Trabalho Escravo será atualizado após 16 anos
podcast fetrarod
Fetrarod lança podcast para discutir temas de interesse dos rodoviários; assista aqui
Manifesto contra PL do estupro
Mulheres sindicalistas divulgam manifesto contra PL do Estupro (PL 1904/24)
Nota das centrais selic
Centrais pedem redução dos juros: "por desenvolvimento com justiça social"
lula critica campos neto
Lula diz que Campos Neto tem lado político e trabalha para prejudicar o país
campos neto presidente bc
Procurador pede investigação sobre influência de bancos na definição dos juros pelo BC
Encontro CSB China
CSB promove encontros com entidades sindicais chinesas em SP e RJ; inscreva-se
CSB-RS conselho plano rio grande
Reconstrução do RS: CSB toma posse como membro do Conselho do Plano Rio Grande
distribuição extra fgts
Após acordo com centrais, governo fará distribuição extra do FGTS aos trabalhadores
Sindpd=SP ganha premio no Sindimais
Projeto do Sindpd-SP vence prêmio de Inovação no SindiMais 2024