csb-mototaxistas-fenordest

Mototaxistas e taxistas fazem manifestação contra transporte clandestino em Rio Branco (AC)

Aproximadamente 300 trabalhadores se reuniram em frente à prefeitura na última terça-feira (29)

Mototaxistas e taxistas da cidade de Rio Branco (AC) organizaram manifestação, na manhã da última terça-feira (29), em frente ao prédio da prefeitura, no centro da capital acreana. O ato, que começou com uma carreata em frente ao teatro Plácido de Castro, contou com a presença de cerca de 300 profissionais que reivindicam da prefeitura mais fiscalização contra transportes clandestinos de pessoas, realizados com motos e carros.

Segundo o presidente da Federação Interestadual das Regiões Norte e Nordeste em Transporte de Mototaxistas, Motoboys, Moto-frete e Taxistas (Fenordest), Pedro da Silva Mourão, além de carros sem permissão para fazer transporte de pessoas, motofretistas, que deveriam transportar pequenos pacotes, estão transportando passageiros, o que é proibido pela Lei 2057.

Esse fato tem causado prejuízos financeiros para os profissionais e colocado a vida dos passageiros em risco.

“Com os clandestinos, diminuiu entre 30% e 40% a rentabilidade do trabalhador legalizado. Esses clandestinos não têm a mesma credibilidade, eles não passam por cursos de qualificação profissional. Para ser mototaxistas precisa ter carteira de habilitação de categoria A, por no mínimo dois anos, tem que ter no mínimo 21 anos de idade e a moto precisa de diversos aparatos que dão segurança ao usuário”, falou Mourão, que informou que a prefeitura, por meio da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (RBTrans), dispõe de 40 agentes para combater o transporte clandestino.

Ainda segundo Mourão, que também é vice-presidente da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), estima-se que haja atualmente cerca de 300 veículos clandestinos na cidade. Somente no ano de 2016 foram apreendidos mais de 400 veículos que descumpriram a lei.

Em Rio Branco existem mais de 1.120 mototaxistas e 1.200 taxistas regularizados na prefeitura. Caso não haja fiscalização, a Fenordest promete organizar um novo ato, ainda maior.

Veja a galeria de fotos da mobilização

Compartilhe:

Leia mais
discurso lula OIT
Em discurso na OIT, Lula destaca precarização e informalidade como desafios para justiça social
Antonio Neto CSB na OIT 12-06-24
Antonio Neto na OIT: Tecnologias disruptivas podem ser oportunidade para os trabalhadores
Centrais sindicais apresentam denúncia contra governo do Paraná à OIT
Centrais denunciam governo do Paraná na OIT por repressão de greve de professores
FGTS correção inflação decisão stf
Acordo entre centrais e AGU prevalece no STF: FGTS deverá ter correção mínima pela inflação
miguel torres discurso centrais sindicais oit
Centrais pedem fim do golpismo no Brasil em discurso dos trabalhadores na OIT
Luiz Marinho discursa na OIT 2024
Na OIT, Luiz Marinho defende sindicatos e taxação de grandes fortunas
vigilantes niterói ato 13 de junho
Vigilantes de Niterói convocam ato por mais segurança para mulheres da categoria
vinicolas-no-rs-tinham-200-pessoas-em-condicoes-analogas-a-escravidao
Auditores fiscais do Trabalho repudiam fala de dirigente da CNA sobre trabalho escravo
assembleia rodoviários pelotas 10-6-2024
Rodoviários de Pelotas começam a negociar acordos em cenário após enchentes
Comitiva da CSB com ministro Luiz Marinho na Conferência da OIT 2024
Em reunião do Brasil na OIT, empresário diz que Bolsa Família atrapalha mão de obra