Modelo de capacitação de segurança do trabalho é tema de reunião em Brasília

Encontro no final de junho discutiu saídas para que o País crie cultura da prevenção e melhore estatísticas

 

Centrais sindicais, entidades patronais e de trabalhadores e o Ministério do Trabalho discutiram um modelo de projeto piloto de capacitação para profissionais do Serviço Especializado em Engenharia e em Medicina do Trabalho (SESMT). A reunião é a segunda realizada pela Matriz de Competência, uma das principais comissões da área de segurança do Trabalho que há no País. O encontro aconteceu nos dias 28 e 29 de junho, em Brasília.

A CSB estava presente e foi representada pelo 1º secretário de segurança do Trabalho da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), Cláudio Ferreira dos Santos, o Kcau. Essa foi a segunda reunião da comissão para tratar do tema. Há uma terceira já marcada para agosto. Kcau explica que o tema precisa ser discutido e ter um modelo mais sólido, já que no Brasil não existe a cultura da prevenção, fator levantado na primeira reunião do grupo. “O empresariado precisa treinar e depois colocar para trabalhar. A prevenção é o melhor caminho”, diz. Para isso, a comissão tem trabalhado para identificar um modelo de matriz para ser aplicado aos trabalhadores do Brasil.

Os profissionais do SESMT teriam um treinamento para depois serem agentes multiplicadores dessa política. “Esses profissionais estão nas empresas e eles precisam de investimento em capacitação para cumprir o trabalho de orientar tecnicamente as empresas quanto à segurança”, afirma Kcau.

A conclusão de um modelo que torne a teoria em prática deve sair apenas na próxima reunião, mas o secretário de segurança do Trabalho da CSB se mostrou otimista com o encontro no final de junho. “Foram solicitadas apresentações para que o Governo entenda os modelos e para que nós discutamos bastante o assunto”, diz o dirigente, que apresentou um caso de sucesso entre o estado de Minas Gerais, os sindicatos e uma associação de empresas de consultoria em Segurança e Saúde do Trabalho (SST), que têm feito um trabalho interessante na região.

Os dados de acidente de trabalho no Brasil devem ser tratados com seriedade. Segundo Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho, desenvolvido pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) e pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) , desde o começo de 2017, pelo menos um trabalhador brasileiro morreu a cada quatro horas e meia, vítima de acidente de trabalho.

 

Compartilhe:

Leia mais
STF reverte reforma previdência para servidores
STF forma maioria para reverter pontos da Reforma da Previdência para servidores
Imagem CSB (28)
CSB NA 112ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO - OIT 2024
Sticmpel campanha salarial 2024-2025
Trabalhadores da Construção e Mobiliário de Pelotas iniciam campanha salarial 2024/2025
Apoio Financeiro a trabalhadores empresas calamidade RS
Governo abre cadastro para Apoio Financeiro a trabalhadores atingidos por calamidade no RS
home office trabalho híbrido estudo
Trabalho híbrido melhora satisfação no emprego e não afeta produtividade, diz estudo
reunião centrais rs e oit
Centrais e OIT discutem impacto das enchentes no mercado de trabalho do RS
plano erradicação trabalho escravo será atualizado
Plano para Erradicação do Trabalho Escravo será atualizado após 16 anos
podcast fetrarod
Fetrarod lança podcast para discutir temas de interesse dos rodoviários; assista aqui
Manifesto contra PL do estupro
Mulheres sindicalistas divulgam manifesto contra PL do Estupro (PL 1904/24)
Nota das centrais selic
Centrais pedem redução dos juros: "por desenvolvimento com justiça social"