Maioria dos americanos apoia imposto sobre fortunas, indica pesquisa

A ideia de impostos sobre fortunas dos americanos mais ricos suscitou pontos de vista acentuadamente diferentes em todo o espectro político, com o presidente Donald Trump classificando a ideia como “socialista” e os pré-candidatos presidenciais democratas Elizabeth Warren e Bernie Sanders apoiando uma possível taxação.

Mas a ideia parece ter mais apoio na população. De acordo com uma pesquisa de opinião Reuters/Ipsos, quase dois terços dos entrevistados concordam que os ricos devem pagar mais.

Entre os 4.441 entrevistados da pesquisa, 64% acreditam totalmente ou parcialmente que “os ricos devem contribuir uma quantia extra de suas riquezas totais todos os anos para apoiar programas públicos” — a essência de um imposto sobre grandes fortunas. Resultados foram similares entre gêneros, raças e rendas domiciliares. Embora o apoio entre democratas tenha sido mais forte, chegando a 77%, a maioria dos republicanos, 53%, também concordou com a ideia.

Um imposto sobre a riqueza é cobrado sobre o patrimônio líquido de um indivíduo, como ações, títulos e imóveis, assim como reservas de caixa, semelhante, na teoria, aos impostos sobre propriedades. O imposto seria separado do imposto de renda, que se aplica aos salários, juros e dividendos, entre outras fontes.

Perguntados na pesquisa se “os ricos deveriam ter permissão de manter o dinheiro que tem, mesmo que isso signifique aumentar a desigualdade”, 54% dos entrevistados discordaram.

— Os ricos têm direito de gastar dinheiro com Lamborghinis e lanchas ou o que for — disse Esin Zimmerman, republicana de 53 anos de Minnesota, que quer impostos mais altos sobre fortunas. — Mas o dinheiro poderia ser usado de outras maneiras para ajudar pessoas.

Zimmerman disse ser especialmente a favor de um imposto sobre fortunas que ajude a financiar programas do governo para veteranos militares, ou que ajudem pais solteiros com crianças pequenas. Ela também afirmou que este dinheiro “poderia erguer o muro“, em referência à barreira que o presidente Donald Trump deseja construir na fronteira com o México.

Os resultados podem ajudar a entender como as mudanças econômicas dos últimos 20 anos, da globalização à crise financeira, moldaram atitudes relacionadas às políticas econômicas.

De acordo com pesquisas da Gallup, preocupações sobre os ricos pagando muito pouco caíram durante a década de 1990 e o início dos anos 2000, um período de relativo crescimento para os EUA. Mas preocupações têm aumentado desde aos anos de crise de 2007 a 2009, de 55% para mais de 60%, em 2016.

Os resultados da pesquisa Reuters/Ipsos sugerem um apoio ainda mais forte para um imposto anual sobre a fortuna total, não apenas a renda. Warren e Sanders sugeriram a ideia como uma maneira de financiar programas de saúde pública e reverter um crescimento na riqueza possuída pelos americanos mais ricos, conhecidos como os “1%”.

A pesquisa também aponta para uma mudança de atitude em relação às ideias básicas como “guardar o que você ganha”. Essa noção, teve respostas mistas. Enquanto 56% dos republicanos concordaram que os ricos deveriam guardar o que têm, independentemente do impacto sobre desigualdade, 35% discordaram desta afirmação, assim como 71% dos democratas.

Os entrevistados republicanos disseram não ver conflitos entre o apoio a um imposto sobre fortunas e o apoio aos ideias partidários, ou ao presidente Trump.

No últimos anos, instituições econômicas como o Fundo Monetário Internacional e o Federal Reserve, o sistema de bancos centrais dos EUA, levaram à sério a possibilidade de que altos níveis de fortunas e desigualdade de renda podem não ser apenas corrosivos no âmbito político, mas também podem ser ruins para o crescimento econômico.

Fonte: O Globo
Link: Maioria dos americanos apoia imposto sobre fortunas

Compartilhe:

Leia mais
Chinelo - Antonio Neto e Cosme Nogueira fundação Fesmig
CSB, Sinab e CSPM celebram criação da Fesmig - Federação dos Servidores de Minas Gerais
STF reverte reforma previdência para servidores
STF forma maioria para reverter pontos da Reforma da Previdência para servidores
Imagem CSB (28)
CSB NA 112ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO - OIT 2024
Sticmpel campanha salarial 2024-2025
Trabalhadores da Construção e Mobiliário de Pelotas iniciam campanha salarial 2024/2025
Apoio Financeiro a trabalhadores empresas calamidade RS
Governo abre cadastro para Apoio Financeiro a trabalhadores atingidos por calamidade no RS
home office trabalho híbrido estudo
Trabalho híbrido melhora satisfação no emprego e não afeta produtividade, diz estudo
reunião centrais rs e oit
Centrais e OIT discutem impacto das enchentes no mercado de trabalho do RS
plano erradicação trabalho escravo será atualizado
Plano para Erradicação do Trabalho Escravo será atualizado após 16 anos
podcast fetrarod
Fetrarod lança podcast para discutir temas de interesse dos rodoviários; assista aqui
Manifesto contra PL do estupro
Mulheres sindicalistas divulgam manifesto contra PL do Estupro (PL 1904/24)