dsc_0162b_isabella-reis-e1418406889547

Leia o relatório final sobre a perseguição aos Trabalhadores entregue à CNV

Ismael de Souza, diretor do Sindpd e da CSB, ex-preso político e membro do GT representou às Centrais Sindicais na cerimônia da OAB, em Brasília

O GT dos Trabalhadores entregou à Comissão Nacional da Verdade na última segunda-feira (08/12) um relatório com o resultado da pequisa, coleta de testemunhos e documentos sobre a perseguição e repressão aos trabalhadores e trabalhadoras durante o período do regime civil-militar em todo o país. Na quarta-feira (10/12) representantes das Centrais Sindicais e da Secretaria Executiva do GT-13 estiveram em Brasília para participar da apresentação do relatório final por parte dos Comissários da CNV.

No texto, apontamos as seguintes informações:

1) Os trabalhadores e seu movimento sindical constituíram o alvo primordial do golpe de Estado de 1964, das ações antecedentes dos golpistas e da ditadura a seguir imposta;
 
2) O Golpe de 1964 e a ditadura subsequente decorreram de uma aliança civil-militar embasada em um projeto comum e numa ação articulada;

3) A ditadura de 1964 criou um novo regime fabril;

4) A articulação público-privada constituída no âmbito da ditadura de 1964 ampliou significativamente as formas de violência e repressão praticadas contra os trabalhadores;

5) Na ditadura de 1964 empresas estatais tornaram-se laboratórios de monitoramento e repressão;

6) Durante a ditadura de 1964 alterou-se a legislação econômica e trabalhista para viabilizar a superexploração dos trabalhadores e mais rápida concentração de capital;

7) Na esteira das violações de direitos mencionadas ocorreram as graves violações de direitos dos trabalhadores: prisões ilegais e arbitrárias, tortura, assassinatos, desaparecimento forçado, ocultação de cadáver;

8) A classe trabalhadora foi vítima de torturas que resultaram em sequelas físicas e  psicológicas insuperáveis;
     
9) Tem-se notícia de muitas mortes e desaparecimentos forçados de trabalhadores mas os números continuam inconclusivos;

CLIQUE AQUI E LEIA NA ÍNTEGRA O RELATÓRIO SUBSIDIADO PELAS 10 CENTRAIS SINDICAIS EM PARCERIA COM ENTIDADES E ASSOCIAÇÕES DE EX-PRESOS POLÍTICOS, COMITÊS E COMISSÕES DA VERDADE EM TODO O PAÍS, E PESQUISADORES. O DOCUMENTO FOI REDIGIDO PELA DRª ROSA CARDOSO E LEVADO À DISCUSSÃO NO GT DOS TRABALHADORES.

*Por causa do limite no tamanho do documento foram utilizados como exemplos casos emblemáticos.

NOSSAS RECOMENDAÇÕES

O GT ainda elaborou uma cartilha dcom as NOSSAS RECOMENDAÇÕES que foi entregue à Comissão Nacional da Verdade e, pelos representantes das Centrais Sindicais, à presidente Dilma Rousseff, na segunda-feira (08/12).

O documento sugere, entre outras coisas, mudanças na legislação, como a revisão da Lei de Anistia, a desmilitarização das Polícias Militares e PUNIÇÃO a empresas, empresário e todos que tenham colaborado com a repressão à classe trabalhadora durante o a ditadura civil-militar. 

Acesse a cartilha com as NOSSAS RECOMENDAÇÕES.

Fonte: GT dos Trabalhadores 

Compartilhe:

Leia mais
discurso lula OIT
Em discurso na OIT, Lula destaca precarização e informalidade como desafios para justiça social
Antonio Neto CSB na OIT 12-06-24
Antonio Neto na OIT: Tecnologias disruptivas podem ser oportunidade para os trabalhadores
Centrais sindicais apresentam denúncia contra governo do Paraná à OIT
Centrais denunciam governo do Paraná na OIT por repressão de greve de professores
FGTS correção inflação decisão stf
Acordo entre centrais e AGU prevalece no STF: FGTS deverá ter correção mínima pela inflação
miguel torres discurso centrais sindicais oit
Centrais pedem fim do golpismo no Brasil em discurso dos trabalhadores na OIT
Luiz Marinho discursa na OIT 2024
Na OIT, Luiz Marinho defende sindicatos e taxação de grandes fortunas
vigilantes niterói ato 13 de junho
Vigilantes de Niterói convocam ato por mais segurança para mulheres da categoria
vinicolas-no-rs-tinham-200-pessoas-em-condicoes-analogas-a-escravidao
Auditores fiscais do Trabalho repudiam fala de dirigente da CNA sobre trabalho escravo
assembleia rodoviários pelotas 10-6-2024
Rodoviários de Pelotas começam a negociar acordos em cenário após enchentes
Comitiva da CSB com ministro Luiz Marinho na Conferência da OIT 2024
Em reunião do Brasil na OIT, empresário diz que Bolsa Família atrapalha mão de obra