Governo Bolsonaro mente sobre a contribuição sindical dos servidores públicos

Segundo a OAB, ao editar a MP 873/2019, o Executivo afirma erroneamente que a cobrança é “vantagem indevida e custeada pelos impostos pagos pela população brasileira”

 

A Ordem dos Advogados do Brasil, em Ação Direta de Inconstitucionalidade da MP 873/2019, afirma o governo de Jarir Bolsonaro utilizou informações mentirosas e equivocadas para justificar a mudança da cobrança da contribuição sindical dos servidores públicos.

Segundo a Medida Provisória, apesar de ser direito do servidor o desconto em folha, conforme estabelece a Lei 8.112, de 1990, “fica claro que não se trata de um direito legítimo dos servidores, mas sim de um privilégio dos sindicatos, de uma vantagem indevida e custeada pelos impostos pagos pela população brasileira”.

Entretanto, a OAB contesta tal argumentação afirmando que “atualmente, as entidades sindicais de servidores públicos têm possibilitado o desconto das contribuições em folha de pagamento dos servidores mediante a realização de convênio ou contrato com o órgão operacionalizador de tal desconto, o qual contempla os custos da operação, que são pagos pelo próprio sindicato consignatário. Portanto, a Administração sequer tem arcado com tais custos, ao contrário do afirmado”.

Na análise da Ordem dos Advogados do Brasil, direitos não podem ser confundidos com privilégios, uma vez que a “Constituição de 1988 não instituiu uma vantagem indevida [nas formas de financiamento das atividades sindicais], mas uma garantia para a atuação dos sindicatos, em reconhecimento do seu papel fundamental para a democracia e para a efetivação dos direitos sociais dos trabalhadores”.

Quando o governo afirma que o desconto em folha da contribuição dos servidores representa vantagem indevida a organizações privadas, violando “princípios basilares da administração pública”, a OAB rebate apontando que não se trata, em nenhuma hipótese, de concessão de vantagem governamental ao atual sistema, uma vez que a própria Constituição prevê o desconto em folha em seu artigo 8º.

A ADI 6098 foi protocolada pela OAB no Supremo Tribunal Federal no último dia 11 e apresenta uma série de inconstitucionalidades cometidas pela MP 873/2019, que, segundo a Ordem, também fere normas da OIT. A relatoria é do ministro Luiz Fux.

Veja a íntegra da Ação Direta de Inconstitucionalidade

Compartilhe:

Leia mais
reunião fessergs reestruturação carreiras servidores rs
Servidores do RS pedem mais tempo para debater projetos de reestruturação de carreiras
Diretoria sindicato rodoviarios caxias do sul
Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Caxias do Sul (RS) reelege diretoria
senado e governo reoneração folha de pagamento
STF prorroga prazo para Senado e governo discutirem reoneração da folha de pagamento
eleição diretoria sindicato servidores são vicente 2024
Sindicato dos Servidores de São Vicente (SP) elege nova diretoria em disputa acirrada
lucro recorde fgts 2023
Lucro do FGTS quase dobra em um ano e atinge recorde de R$ 23,4 bilhões em 2023
comissão provisória csb-ba
Presidente da CSB-BA pede afastamento, e Antonio Neto nomeia comissão provisória
reunião centrais e governo lei igualdade salarial
Centrais e governo avaliam resultados do primeiro ano da Lei da Igualdade Salarial
mpt recomendação contadores contribuição sindicatos
Contador não pode incentivar oposição à contribuição sindical, orienta MPT
CSB no Forum Interconselhos 2024
Governo retoma Fórum Interconselhos com G20 Social e Plano Clima em foco
reuniões centrais sindicais 16 e 18 julho
Links: centrais realizam reuniões sobre agenda legislativa nos estados