Fórum Sindical pressiona deputados e emenda da RGA é incluída na Lei de Diretrizes Orçamentárias do Mato Grosso

Reunião aconteceu na última terça-feira (25), na Assembleia Legislativa 

A greve dos servidores públicos, que durou mais de 30 dias no estado do Mato Grosso, começou a surtir efeitos positivos após reunião da Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) realizada na tarde da última terça-feira (25), na Assembleia Legislativa. Com a presença de mais de 10 membros do Fórum Sindical, entidade que representa 32 sindicatos de diversas categorias de servidores, foram discutidas emendas para assuntos como a Revisão Geral Anual (RGA) do ano de 2017, que não haviam sido incluídas na Lei de Diretrizes Orçamentais (LDO) e na Lei Orçamentária Anual (LOA).

A presença dos sindicalistas na Assembleia e os dias de paralisação dos servidores foram fatores determinantes para a vitória da categoria. A pressão das entidades, aliada aos trabalhadores, fez com que os deputados incluíssem uma emenda coletiva sobre a RGA e enviassem o relatório da Comissão de Justiça para votação no plenário.

Segundo o integrante da Direção Nacional da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB) e do Fórum Sindical, Antonio Wagner de Oliveira, os deputados estão receosos de sofrer um novo desgaste.

“Os deputados estão fazendo a parte deles, já que o executivo mandou a LDO sem a previsão do RGA, o que causaria novamente um conflito com as categorias no ano que vem”, falou. Ainda segundo Wagner, o Fórum Sindical fez uma “gestão” na Assembleia Legislativa, e essa é uma pequena vitória para o trabalhador.

“A inclusão da emenda é uma sinalização de que estamos sendo ouvidos e que estamos fazendo a nossa parte. A participação dos servidores no Conselho de Gestão de Pessoas, o encaminhamento de uma série de ofícios para a Assembleia Legislativa e os resultados das urnas, que não foram muito favoráveis aos candidatos do governador, são os principais fatores para essa primeira conquista”, completou Wagner, que também é diretor do Sindicato dos Profissionais da Área Instrumental do Governo (Sinpaig-MT).

A presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Agrícola, Agrário e Pecuário do Estado de Mato Grosso (SINTAP/MT) e vice-presidente da CSB, Diany Dias de Souza, aproveitou a ocasião para fazer algumas propostas aos deputados. Uma delas foi a taxação dos insumos agrícolas para a indústria.

“Nós estamos fazendo esse trabalho, pois eles não pagam o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) dentro do nosso estado. Não queremos taxar o produtor, e sim a indústria. Essa proposta também ajudaria o Mato Grosso a fazer pesquisas e desenvolver o Instituto de Defesa Agropecuária”, finalizou a presidente do SINTAP/MT.

Compartilhe:

Leia mais
Chinelo - Antonio Neto e Cosme Nogueira fundação Fesmig
CSB, Sinab e CSPM celebram criação da Fesmig - Federação dos Servidores de Minas Gerais
STF reverte reforma previdência para servidores
STF forma maioria para reverter pontos da Reforma da Previdência para servidores
Imagem CSB (28)
CSB NA 112ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO - OIT 2024
Sticmpel campanha salarial 2024-2025
Trabalhadores da Construção e Mobiliário de Pelotas iniciam campanha salarial 2024/2025
Apoio Financeiro a trabalhadores empresas calamidade RS
Governo abre cadastro para Apoio Financeiro a trabalhadores atingidos por calamidade no RS
home office trabalho híbrido estudo
Trabalho híbrido melhora satisfação no emprego e não afeta produtividade, diz estudo
reunião centrais rs e oit
Centrais e OIT discutem impacto das enchentes no mercado de trabalho do RS
plano erradicação trabalho escravo será atualizado
Plano para Erradicação do Trabalho Escravo será atualizado após 16 anos
podcast fetrarod
Fetrarod lança podcast para discutir temas de interesse dos rodoviários; assista aqui
Manifesto contra PL do estupro
Mulheres sindicalistas divulgam manifesto contra PL do Estupro (PL 1904/24)