Enfermeiros ganham apoio de deputados federais

Antônia Trindade, presidente do Sindicato dos Enfermeiros do Estado do Pará (Senpa), recebeu no evento o apoio de quatro deputados federais da bancada paraense que enviaram representantes

O Sindicato dos Enfermeiros do Estado do Pará (Senpa) promoveu, ontem, em um hotel de Belém, encontro com parlamentares paraenses da bancada federal no Congresso, com o objetivo de discutir e pedir o apoio ao Projeto de Lei das 30 horas e o Piso Salarial para a Enfermagem Brasileira, em especial do Pará.

Antônia Trindade, presidente do Sindicato dos Enfermeiros do Estado do Pará (Senpa), recebeu no evento o apoio de quatro deputados federais da bancada paraense que enviaram representantes. Já o deputado federal Arnaldo Jordy esteve no encontro e garantiu apoio de todos os deputados do Partido Popular Socialista (PPS) à Lei 30 horas dos enfermeiros.

“Hoje existe uma sobrecarga do enfermeiro, eles tem baixos salários e são esses profissionais que na verdade sustentam o Sistema Único de Saúde (SUS). A enfermagem de uma maneira geral se paralisar, colapsa o sistema de saúde, não tenha dúvida. E mais do que isso, essa prática das 30 horas já é realidade em muitos países, no Brasil acho que mais de um terço dos profissionais já exercem dentro das 30 horas”, declarou Jordy.

O deputado falou que o que sobrecarrega a receita são os mais de R$300 bilhões que o Brasil paga de juros de serviço da dívida pública, por incompetência do governo. “O que sobrecarrega a receita são os quase 15 bilhões de desvio de dinheiro público no Petrolão, isso é que além de sobrecarregar a receita, constrange os cidadãos e cidadãs de bem desse país. Não é pagamento digno de salário, nem de jornada de trabalho, não só aos fisioterapeutas, mas os agentes sociais, psicólogos e vários outros funcionários exercem 30 horas semanais”.

Segundo o Senpa, 50 mil profissionais de enfermagem no Pará enfrentam uma carga horária elevada, causando uma baixa qualidade de vida, disse a presidente. “O serviço dos enfermeiros é um serviço estressante ao se tratar da saúde de terceiros, uma responsabilidade enorme para todos os trabalhadores da saúde, exigindo dos mesmos muita atenção e dedicação”, complementa Antônia Trindade.

“Os estudos realizados pelo Fórum Nacional demonstram que o impacto financeiro das 30 horas, para o governo e empregadores dos serviços de saúde, é muito pequeno. No entanto, para a categoria de enfermagem e para a sociedade, as consequências são altamente positivas, resultando em serviço mais seguro e de qualidade, e em melhores condições no ambiente de trabalho”, garante Antônia Trindade.

Fonte: O Liberal Pará

Compartilhe:

Leia mais
reunião centrais rs e oit
Centrais e OIT discutem impacto das enchentes no mercado de trabalho do RS
plano erradicação trabalho escravo será atualizado
Plano Nacional para Erradicação do Trabalho Escravo será atualizado após 16 anos
podcast fetrarod
Fetrarod lança podcast para discutir temas de interesse dos rodoviários; assista aqui
Manifesto contra PL do estupro
Mulheres sindicalistas divulgam manifesto contra PL do Estupro (PL 1904/24)
Nota das centrais selic
Centrais pedem redução dos juros: "por desenvolvimento com justiça social"
lula critica campos neto
Lula diz que Campos Neto tem lado político e trabalha para prejudicar o país
campos neto presidente bc
Procurador pede investigação sobre influência de bancos na definição dos juros pelo BC
Encontro CSB China
CSB promove encontros com entidades sindicais chinesas em SP e RJ; inscreva-se
CSB-RS conselho plano rio grande
Reconstrução do RS: CSB toma posse como membro do Conselho do Plano Rio Grande
distribuição extra fgts
Após acordo com centrais, governo fará distribuição extra do FGTS aos trabalhadores