“Empresários achavam que iriam lucrar mais pagando menos, mas mataram a galinha dos ovos de ouro” afirma Antonio Neto em debate com empresários

Em resumo, os empresários, sobretudo os brasileiros, achavam que iriam lucrar mais pagando menos para seus trabalhadores, esquecendo que os outros trabalhadores que consumiam seus produtos também passariam a receber menos e também não poderiam consumir os seus produtos.

Intitulado “Panorama da Gestão Social em Negócios e Empresas na Legislação Internacional” o primeiro painel de debates contou com a presença do presidente nacional da CSB, Antonio Neto, ao lado do Diretor de relações trabalhistas da organização espanhola CEOE, Jordi Viña Garcia, do advogado da Fiesp e  diretor jurídico da ABRH,  Wolnei Tadeu Ferreira e de Tulio Massoni, professor de direito trabalhista da UNIFESP,

“A última década está marcada por um processo intenso de desregulamentação do sistema de proteção social dos trabalhadores. Seja através da multiplicação dos aplicativos, que abarcaram um contingente gigantesco de desempregados para oferecerem serviços mais baratos, competindo com profissões protegidas que tiveram seus ganhos reduzidos, a exemplo dos motoristas de taxis, ou por meio do desmonte das legislações que garantiam o trabalho registrado, incluindo os mecanismos de fiscalização e punição de aberrações como o trabalho análogo à escravidão, como ocorreu no Brasil.” afirmou Antonio Neto no início de sua participação no painel.

Neto ainda lembrou que grande parte dessa desregulamentação foi patrocinada pelo setor empresarial, seguindo uma cartilha do capital financeiro, sem perceber que estava matando a galinha dos ovos de ouro. Em resumo, os empresários, sobretudo os brasileiros, achavam que iriam lucrar mais pagando menos para seus trabalhadores, esquecendo que os outros trabalhadores que consumiam seus produtos também passariam a receber menos e também não poderiam consumir os seus produtos.

Ainda na  abertura do evento, o Procurador-Chefe do Ministério Público do Trabalho, Dr. João Eduardo de Amorim, lembrou que “embora seja indispensável ao desenvolvimento econômico, a liberdade empresarial deve estar alicerçada nos princípios que orientam a atividade econômica. Entre eles a valorização do trabalho humano, a livre iniciativa, a função social da propriedade, a defesa do meio ambiente e a redução das desigualdades. Nesse cenário de conflito resultantes da colisão dos interesses dos direitos humanos e os interesses das corporações, na maioria relacionados a interesses financeiros, assume importância ainda maior o estabelecimento de mecanismos de limitação do poder das empresas.”

O evento promovido pelo instituto acontece entre os dias 08 e 12 de março, contando com uma extensa programação que irá abordar a temática dos direitos humanos dentro das empresas sobre os mais diversos prismas. Confira abaixo a programação completa e para se inscrever basta acessar o site do Instituto Vida e Trabalho

09/03 – TERÇA 10h00 “Escopo para os sistemas e padrões de diligência social’’ –

Palestrante: Victoriana Gonzaga – Advogada, graduada pela PUC – SP

Debatedores:

Mércia Silva – Diretora Executiva da InPacto

Renato Bignami – Pesquisador do Grupo de Trabalho da UNIFESP

Roberto Baungartner – Advogado, Doutor em Direito (PUC – SP), Vice-Presidente do Instituto Brasileiro de Direito Constitucional – IBDC

10/03 – QUARTA 10h00 “Novos paradigmas para a gestão social: para além dos códigos de conduta e check lists”

Palestrante: Thiago Laporte – Auditor Fiscal do Trabalho, Master of Laws em Direito do Trabalho e Governança Corporativa pela Universidade de Bristol, no Reino Unido, Perito na Reunião Técnica da OIT para a Consecução de Trabalho Decente em Cadeias Globais de Abastecimento – 2020

Debatedores:

Manoela Carneiro Roland – Doutora em Direito Internacional e a Integração Econômica

Luis Fabre – Procurador do Ministério Público Federal – Anápolis

Luisa Tânia Elesbão Rodrigues – Engª de Segurança do Trabalho, Professora Universitária, Auditora Fiscal do Trabalho aposentada

11/03 – QUINTA 10h00 Painel: “A Gestão Social no Âmbito da América Latina e Caribe”

Painelistas:

Enrique Perez – Ministério da Previdência e da Seguridade Social do Chile –

Ivani Contini Bramante – Desembargadora do TRT – 2ª Região –

Marina Novaes – Pesquisadora no Business and  Human Rights Centre –

Dante Pesce – Presidente do Grupo de Trabalho de Empresas e Direitos Humanos da ONU

12/03 – SEXTA 10h00

Cases de Boas Práticas Organizacionais e de Prevenção e Reparação de Danos a Direitos Fundamentais do Trabalho

Fonte: Brasil Independente

Compartilhe:

Leia mais
STF reverte reforma previdência para servidores
STF forma maioria para reverter pontos da Reforma da Previdência para servidores
Imagem CSB (28)
CSB NA 112ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO - OIT 2024
Sticmpel campanha salarial 2024-2025
Trabalhadores da Construção e Mobiliário de Pelotas iniciam campanha salarial 2024/2025
Apoio Financeiro a trabalhadores empresas calamidade RS
Governo abre cadastro para Apoio Financeiro a trabalhadores atingidos por calamidade no RS
home office trabalho híbrido estudo
Trabalho híbrido melhora satisfação no emprego e não afeta produtividade, diz estudo
reunião centrais rs e oit
Centrais e OIT discutem impacto das enchentes no mercado de trabalho do RS
plano erradicação trabalho escravo será atualizado
Plano para Erradicação do Trabalho Escravo será atualizado após 16 anos
podcast fetrarod
Fetrarod lança podcast para discutir temas de interesse dos rodoviários; assista aqui
Manifesto contra PL do estupro
Mulheres sindicalistas divulgam manifesto contra PL do Estupro (PL 1904/24)
Nota das centrais selic
Centrais pedem redução dos juros: "por desenvolvimento com justiça social"