WhatsApp-Image-2017-08-20-at-09.54.51-1

Em caminhada, bombeiros civis de Petrópolis pedem aprovação de PL que exige cumprimento da Lei Kiss no município

Evento contou com o apoio da população; artigo exige presença de bombeiros civis em locais com grande fluxo de pessoas

Mais de 300 bombeiros civis participaram na manhã deste domingo (20), na cidade de Petrópolis, região serrana do estado do Rio de Janeiro, da 1ª Caminhada dos Bombeiros Civis pela aprovação de um projeto de lei que exige o cumprimento da Lei 13.452/2017, também conhecida como Lei Kiss, sancionado pelo presidente Michel Temer, em março deste ano.

A Lei, que estabelece diretrizes sobre medidas de prevenção e combate a incêndios e a desastres em estabelecimentos e edificações, trará mais segurança para a população que frequenta locais de grande fluxo de pessoas, assim como eventos públicos, shoppings e empresas. A lei também deve gerar emprego para os profissionais do município, que hoje precisam se deslocar à cidade do Rio de Janeiro.

Segundo o presidente do Sindicato dos Bombeiros de Aeródromo do Estado do Rio de Janeiro (SINBARJ), Júlio Cesar Santos de Souza -Julinho-, o evento contou com a aprovação da população, que demonstrou apoio à categoria.

“Durante a caminhada de 4km pela cidade, falamos da necessidade do bombeiro civil nos shoppings e nos lugares de grandes eventos, e o povo gostou, pois eles veem essa necessidade na cidade. Todos que estavam nas portas de suas casas aplaudiram, acenaram e buzinaram os carros. Eu realmente fui surpreendido”, disse o presidente da entidade, que informou que os municípios de Campos, Três Rios e Teresópolis já aprovaram a lei.

Ainda de acordo com o presidente, a aprovação do PL vai auxiliar no trabalho dos bombeiros militares.

“A maior importância desta lei é na segurança da cidade. Hoje, há poucos praças nos bombeiros militares e eles atendem toda região serrana. Quando eles saem para atender os municípios vizinhos, Petrópolis fica desguarnecida”, completou.

A futura aprovação da lei também deve gerar empregos para os bombeiros civis da cidade, que hoje são obrigados a viajar mais de 100 km para trabalhar na capital Fluminense.

“Com o título: “A lei da obrigatoriedade da presença do bombeiro profissional civil na condição de prevencionista em locais de grande aglomeração de pessoas, eventos públicos, shoppings, empresas e afins”, a regra vai trazer empregos para os bombeiros da cidade, na própria cidade. Hoje os bombeiros do município são obrigados a trabalhar na capital, dão endereço da baixada ou de algum parente que mora no entorno da região metropolitana, e acabam custeando o transporte. Com essa lei, eles terão mais qualidade de vida e não precisarão se deslocar para a capital” falou o vice-presidente do sindicato, Nelson Santos de Souza, que também informou que há mais 800 bombeiros civis na cidade e mais cinco turmas com 50 estudantes em três escolas de formação.

A caminhada contou com a presença da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB). Para o presidente do SINBARJ, o apoio é de extrema importância para aprovação do projeto.

“A CSB é um braço do sindicato, e isso tem uma força grande. A gente precisa da Central, sem eles o sindicato não poderia tomar atitudes. Com a Central, a gente avança em todos os meios, quando chegamos com a Central tem um respaldo maior para atuar”, finalizou Julinho.

Compartilhe:

Leia mais
discurso lula OIT
Em discurso na OIT, Lula destaca precarização e informalidade como desafios para justiça social
Antonio Neto CSB na OIT 12-06-24
Antonio Neto na OIT: Tecnologias disruptivas podem ser oportunidade para os trabalhadores
Centrais sindicais apresentam denúncia contra governo do Paraná à OIT
Centrais denunciam governo do Paraná na OIT por repressão de greve de professores
FGTS correção inflação decisão stf
Acordo entre centrais e AGU prevalece no STF: FGTS deverá ter correção mínima pela inflação
miguel torres discurso centrais sindicais oit
Centrais pedem fim do golpismo no Brasil em discurso dos trabalhadores na OIT
Luiz Marinho discursa na OIT 2024
Na OIT, Luiz Marinho defende sindicatos e taxação de grandes fortunas
vigilantes niterói ato 13 de junho
Vigilantes de Niterói convocam ato por mais segurança para mulheres da categoria
vinicolas-no-rs-tinham-200-pessoas-em-condicoes-analogas-a-escravidao
Auditores fiscais do Trabalho repudiam fala de dirigente da CNA sobre trabalho escravo
assembleia rodoviários pelotas 10-6-2024
Rodoviários de Pelotas começam a negociar acordos em cenário após enchentes
Comitiva da CSB com ministro Luiz Marinho na Conferência da OIT 2024
Em reunião do Brasil na OIT, empresário diz que Bolsa Família atrapalha mão de obra