Welinton-dos-Santos

Dieese: novo valor do salário mínimo e impactos na economia

Com o valor do salário mínimo o trabalhador poderá comprar o equivalente a 2,22 cestas básicas, a maior quantidade de cestas básicas por salário mínimo registrada desde 1979

Desde 1º de janeiro de 2015, o valor do salário mínimo passou a ser R$ 788,00, com reajuste de 8,84% sobre os R$ 724,00 em vigor durante 2014 e que corresponde à variação do Produto Interno bruto (PIB) em 2013, de 2,5%, e à variação anual do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), em 2014, estimada em 6,19%, segundo cálculos de estudo do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Econômicos (Dieese). Abaixo segue tabela com os valores do salário mínimo desde 2003 e seus reajustes reais e nominais, comparados ao INPC.

dieese

O estudo estima que o aumento do R$ 64 no salário mínimo corresponderia a R$ 38,4 bilhões em incremento de renda na economia e R$ 20,7 bilhões a mais em arrecadação tributária sobre o consumo no ano de 2014. O estudo também mostra que o impacto do aumento do salário mínimo será maior na esfera municipal em todo o país, em especial na região Nordeste, que nas esferas estadual e federal. Quanto à Previdência, o estudo mostra que o aumento significará custo adicional ao ano de cerca de R$ 18,3 bilhões para a mesma.

Com o valor do salário mínimo em R$ 788,00 e a cesta básica de janeiro calculada pelo Dieese estimada em R$ 355,00, o salário mínimo terá poder de compra equivalente a 2,22 cestas básicas, a maior quantidade de cestas básicas por salário mínimo registrada desde 1979. O estudo ainda mostra que o valor de R$ 788,00 é o maior valor real da série das médias anuais do salário mínimo desde 1983.

Fonte: Fundação Perseu Abramo

Compartilhe:

Leia mais
discurso lula OIT
Em discurso na OIT, Lula destaca precarização e informalidade como desafios para justiça social
Antonio Neto CSB na OIT 12-06-24
Antonio Neto na OIT: Tecnologias disruptivas podem ser oportunidade para os trabalhadores
Centrais sindicais apresentam denúncia contra governo do Paraná à OIT
Centrais denunciam governo do Paraná na OIT por repressão de greve de professores
FGTS correção inflação decisão stf
Acordo entre centrais e AGU prevalece no STF: FGTS deverá ter correção mínima pela inflação
miguel torres discurso centrais sindicais oit
Centrais pedem fim do golpismo no Brasil em discurso dos trabalhadores na OIT
Luiz Marinho discursa na OIT 2024
Na OIT, Luiz Marinho defende sindicatos e taxação de grandes fortunas
vigilantes niterói ato 13 de junho
Vigilantes de Niterói convocam ato por mais segurança para mulheres da categoria
vinicolas-no-rs-tinham-200-pessoas-em-condicoes-analogas-a-escravidao
Auditores fiscais do Trabalho repudiam fala de dirigente da CNA sobre trabalho escravo
assembleia rodoviários pelotas 10-6-2024
Rodoviários de Pelotas começam a negociar acordos em cenário após enchentes
Comitiva da CSB com ministro Luiz Marinho na Conferência da OIT 2024
Em reunião do Brasil na OIT, empresário diz que Bolsa Família atrapalha mão de obra