Na calada da noite, deputados concluem votação da MP que dá R$ 1 trilhão às petroleiras estrangeiras

Valor é o dobro do que governo anunciou que economizaria com a reforma da Previdência e representa uma ameaça à soberania nacional

Em meio às artimanhas do governo para a votação da reforma da Previdência, deputados finalizaram a aprovação, na madrugada desta quarta-feira (6), da Medida Provisória (MP) 795/2017, que dá R$ 1 trilhão às multinacionais do petróleo, em forma de isenção fiscal, nos próximos 22 anos, a partir de 2018.  O texto-base já havia sido aprovado pela Casa no dia 29 de novembro.

Este valor é quase o dobro do que o atual governo anunciou que economizaria – R$ 630 bilhões – com a aprovação do Projeto de Emenda à Constituição (PEC) 287/2016, da reforma da Previdência, que dificulta o acesso dos mais pobres ao benefício e prejudica o sistema previdenciário público no País.

Vendida como avanço, geração de emprego e aquecimento da economia, a MP do Trilhão, como é conhecida, isenta o Imposto de Importação, o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), o PIS/PASEP-Importação e a Confins- Importaçãodas empresas do setor.  A proposta, que também beneficia empresas que participam do leilão do Pré-sal, segue agora para votação no Senado Federal.

Em um vídeo divulgado em seu Facebook, o presidente da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), Antonio Neto, repudiou a MP, que trará prejuízos ao povo brasileiro.

“A medida vem para incentivar essas empresas a importarem tudo, não produzirem nada aqui no Brasil e para gerar mais desemprego. Essa Lei prejudica todos, os empresários nacionais, os trabalhadores do setor de petróleo e gás, e acima de tudo prejudica toda nossa economia. Isso é um crime contra nossa soberania, conta nossa economia e contra o nosso povo”, criticou Neto.

Com a MP, o Brasil está abrindo mão da arrecadação de impostos importantes para o investimento em áreas sensíveis para o desenvolvimento do País, além de ameaçar a soberania nacional, tudo em troca de benefícios a multinacionais estrangeiras, que, além de enviarem seus lucros para o exterior, não gerarão empregos nem riqueza para os brasileiros, uma vez que não produzirão nada em território nacional.

Assista ao vídeo de Antonio Neto sobre a MP 795 e compartilhe nas redes sociais.

 

Compartilhe:

Leia mais
Chinelo - Antonio Neto e Cosme Nogueira fundação Fesmig
CSB, Sinab e CSPM celebram criação da Fesmig - Federação dos Servidores de Minas Gerais
STF reverte reforma previdência para servidores
STF forma maioria para reverter pontos da Reforma da Previdência para servidores
Imagem CSB (28)
CSB NA 112ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO - OIT 2024
Sticmpel campanha salarial 2024-2025
Trabalhadores da Construção e Mobiliário de Pelotas iniciam campanha salarial 2024/2025
Apoio Financeiro a trabalhadores empresas calamidade RS
Governo abre cadastro para Apoio Financeiro a trabalhadores atingidos por calamidade no RS
home office trabalho híbrido estudo
Trabalho híbrido melhora satisfação no emprego e não afeta produtividade, diz estudo
reunião centrais rs e oit
Centrais e OIT discutem impacto das enchentes no mercado de trabalho do RS
plano erradicação trabalho escravo será atualizado
Plano para Erradicação do Trabalho Escravo será atualizado após 16 anos
podcast fetrarod
Fetrarod lança podcast para discutir temas de interesse dos rodoviários; assista aqui
Manifesto contra PL do estupro
Mulheres sindicalistas divulgam manifesto contra PL do Estupro (PL 1904/24)