Congresso aprova projeto de Temer que doa R$ 1 trilhão para petroleiras

Texto da MP 795/17 perdoa dívidas de multinacionais ao promover isenção fiscal até 2040

No mesmo dia em que o líder do governo no Senado anunciou o adiamento da votação da reforma da Previdência para fevereiro de 2018, o Congresso Nacional aprovou parte do pacote de bondades do Governo Federal para conquistar os 308 votos necessários à aprovação da PEC 287. Os projetos, que agora seguem à sanção do presidente da República, Michel Temer, foram aprovados nesta quarta-feira (13).

Entre os textos, encontra-se a criminosa Medida Provisória (MP) 795/17, cujo objetivo é perdoar R$ 54 bilhões em dívidas das multinacionais petroleiras. Conhecida como MP do Trilhão, ela ainda permite que a isenção fiscal se estenda até 2040, quando a soma dos débitos perdoados alcançarão a casa do R$ 1 trilhão. Isso porque a Medida diminui o valor que as empresas de petróleo e gás pagarão à Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) e do Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ).

Além de beneficiar a especulação do capital estrangeiro, os estados também receberão sua parte de vantagens. Com os projetos aprovados, R$ 51,2 bilhões do erário público serão impactados segundo o jornal O Estado de S. Paulo – salvo o R$ 1,9 bilhão que será destinado a entes federados exportadores como compensação de parcelas de dívidas estaduais e municipais com a União vencidas ou próximas do vencimento.

A extensão dos prazos que os governadores terão para pagar os precatórios (dívidas por conta de ações que os estados perderam na Justiça) de 2020 para 2024, a liberação do uso de receitas de royalties como garantia de empréstimos e a chamada securitização são alguns dos pontos que integram a soma dos bilhões.

No caso da securitização, ainda em análise na Câmara, a União, os estados e municípios seriam autorizados a venderem créditos – valores que irão receber futuramente – como títulos no mercado de dívidas ao setor privado, o que pode ser contra à Lei de Responsabilidade Fiscal conforme publicação do Estadão.

Clique aqui para saber mais como o Governo Federal tenta convencer os parlamentares a aprovarem a reforma da Previdência.

Compartilhe:

Leia mais
Chinelo - Antonio Neto e Cosme Nogueira fundação Fesmig
CSB, Sinab e CSPM celebram criação da Fesmig - Federação dos Servidores de Minas Gerais
STF reverte reforma previdência para servidores
STF forma maioria para reverter pontos da Reforma da Previdência para servidores
Imagem CSB (28)
CSB NA 112ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO - OIT 2024
Sticmpel campanha salarial 2024-2025
Trabalhadores da Construção e Mobiliário de Pelotas iniciam campanha salarial 2024/2025
Apoio Financeiro a trabalhadores empresas calamidade RS
Governo abre cadastro para Apoio Financeiro a trabalhadores atingidos por calamidade no RS
home office trabalho híbrido estudo
Trabalho híbrido melhora satisfação no emprego e não afeta produtividade, diz estudo
reunião centrais rs e oit
Centrais e OIT discutem impacto das enchentes no mercado de trabalho do RS
plano erradicação trabalho escravo será atualizado
Plano para Erradicação do Trabalho Escravo será atualizado após 16 anos
podcast fetrarod
Fetrarod lança podcast para discutir temas de interesse dos rodoviários; assista aqui
Manifesto contra PL do estupro
Mulheres sindicalistas divulgam manifesto contra PL do Estupro (PL 1904/24)