Compra da casa própria vai liderar crédito em 2013

A retomada do crescimento do crédito imobiliário é observada desde 2008

O crédito habitacional deve reassumir, até o fim do primeiro trimestre, o posto de principal modalidade de crédito utilizada por pessoas físicas no país.

A liderança havia sido perdida em meados de 2001, para o segmento de veículos, depois que o governo reestruturou os contratos de financiamento imobiliário, cujos valores estavam distorcidos por anos de hiperinflação.

A pequena diferença de participação para o atual primeiro colocado –o crédito pessoal, que inclui empréstimos consignados, descontados diretamente dos salários– deve ser superada até março, na avaliação de economistas ouvidos pela Folha.

O financiamento habitacional representava, em novembro de 2012, uma fatia de 24,8% do total de R$ 1,1 trilhão em crédito a pessoas físicas, segundo os dados mais recentes do Banco Central.

A parcela era um ponto percentual maior que a do crédito pessoal (25,8%). O nicho de veículos aparecia em terceiro lugar, com 18,5%.

A retomada do crescimento do crédito imobiliário é observada desde 2008, favorecida pelas mudanças nas regras de financiamento –que ampliaram o limite e o prazo dos empréstimos, por exemplo–, pela estabilidade econômica e pelo aumento do emprego e da renda.

QUALIDADE

Mas essa tendência ganha mais força no momento, afirmam especialistas, pelo esforço dos bancos em melhorar a qualidade das carteiras de crédito priorizando linhas com menor índice de calotes, como a habitacional.

“Os bancos, em geral, têm preferido reduzir a exposição a financiamentos como o de veículos, com taxa de inadimplência maior”, diz Luiz Rabi, economista da Serasa Experian, empresa de informações financeiras, que avaliou a série histórica do BC sobre os dados de crédito.

“Considerando também que ainda há demanda por residências, a perspectiva é que o crédito imobiliário cresça acima da média das demais modalidades em 2013.”

Rabi ressalta que a parcela do financiamento imobiliário no PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro, de cerca de 6%, ainda é muito baixa na comparação com a de países desenvolvidos, como EUA (76%) e Reino Unido (84%).

André Perfeito, economista-chefe da Gradual Investimentos, afirma que, no cenário de juros mais baixos, os bancos precisam ir atrás de segmentos mais rentáveis, e os consumidores começam a entender melhor e utilizar mais dívidas de longo prazo.

MAIS BARATO

“É um processo natural, mas ainda é novidade no Brasil. Planejar o futuro está mais barato no país hoje, e o crédito imobiliário cai como uma luva”, afirma.

Uma preocupação recorrente no mercado em relação ao crescimento do crédito imobiliário é quanto aos recursos para sustentá-lo –basicamente, os da poupança.

A Abecip (Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança) afirma, no entanto, que a captação líquida da poupança habitacional quadruplicou de 2011 para 2012, de R$ 9,3 bilhões para R$ 37,2 bilhões.

“Considerando essa expansão, não há perigo de um eventual esgotamento desses recursos até meados de 2015″, diz Octavio de Lazari Junior, presidente da instituição.

“Mas, mesmo que a perspectiva mude e a captação da poupança diminua, temos outras fontes de recursos que podem financiar o mercado habitacional, como as LCIs [Letras de Crédito Imobiliário] e os CRIs [Certificados de Recebíveis Imobiliários], que têm se desenvolvido.”

Fonte: Folha de São Paulo

Compartilhe:

Leia mais
reunião centrais rs e oit
Centrais e OIT discutem impacto das enchentes no mercado de trabalho do RS
plano erradicação trabalho escravo será atualizado
Plano Nacional para Erradicação do Trabalho Escravo será atualizado após 16 anos
podcast fetrarod
Fetrarod lança podcast para discutir temas de interesse dos rodoviários; assista aqui
Manifesto contra PL do estupro
Mulheres sindicalistas divulgam manifesto contra PL do Estupro (PL 1904/24)
Nota das centrais selic
Centrais pedem redução dos juros: "por desenvolvimento com justiça social"
lula critica campos neto
Lula diz que Campos Neto tem lado político e trabalha para prejudicar o país
campos neto presidente bc
Procurador pede investigação sobre influência de bancos na definição dos juros pelo BC
Encontro CSB China
CSB promove encontros com entidades sindicais chinesas em SP e RJ; inscreva-se
CSB-RS conselho plano rio grande
Reconstrução do RS: CSB toma posse como membro do Conselho do Plano Rio Grande
distribuição extra fgts
Após acordo com centrais, governo fará distribuição extra do FGTS aos trabalhadores